Intertextualidade em textos universitários

Judith C. Hoffnagell

Resumo


A análise da intertextualidade nos gêneros textuais escritos por alunos degraduação visa mostrar tanto a gradual aquisição de conhecimentos específicos a diferentes áreas disciplinares quanto a aquisição dos padrões ou cânones de expressão desse conhecimento. Tomando a intertextualidade como as relações explícitas e implícitas que um texto estabelece com outros textos, ela é vista não somente como uma questão dos outros textos a que um escritor se refere, mas também como esse escritor usa esses textos, para quê os usa e como se posiciona diante deles para elaborar seus próprios argumentos.

Texto completo:

PDF

Referências


ALLEN, Graham. 2000. Intertextuality. London: Routledge.

BAUMAN, Richard. 2004. A World of Others’ Words: cross-cultural

perspectives on intertextuality. Oxford: Blackwell.

BAZERMAN, Charles. 2007. Intertextualidades: Volosinov, Bakhtin,

Teoria Literária e Estudos de Letramento. In —: Escrita, gênero e interação social. São Paulo: Cortez, p. 92-109.

______. 2006. Intertextualidade: como os textos se apóiam em ouros

textos. In —: Gênero, Agência e Escrita. São Paulo: Cortez, p. 87-103.

______. 1988. Shaping Written Knowledge. The genre and activity of the

experimental article in science. Madison: University of Wisconsin Press.

BERKENKOTTER, C. T.; HUCKIN, T. 1995. Genre knowledge in

disciplinary communication. Hillsdale, NJ: Lawrence Erlbaum.

______.; ______.; ACKERMAN, J. 1991. Social context and socially

constructed texts: the initiation of a graduate student into a writing

research community. In: BAZERMAN, C.; PARDIS, J. (eds). Textual

dynamics of the professions. Madison: University of Wisconsin Press, p.

-215.

FAIRCLOUGH, Norman. 2005. Media Discourse. London: Arnold

______. 2003. Analysing Discourse. Textual analysis for social research.

London: Routledge.

HYLAND, Ken. 2000. Disciplinary Discourses. Social interactions in

academic writing. London: Longman.

KRISTEVA, Julia. 1974. Introdução à semanálise. São Paulo: Perspectiva.

MAINGUENEAU, Dominique. 2005. Gênese dos discursos. Curitiba: Criar Edições.

______. 1991. L’Analyse du discours. Paris: Hachette.

— MARCUSCHI, Luiz Antonio; DIONISIO, Angela Paiva. 2005.

Princípios gerais para o tratamento das relações entre a fala e a escrita. In:Fala e escrita. Belo Horizonte: Autêntica, p.13-30.

MEINHOF, Ulrike H.; SMITH, Jonathan, eds. 2000. Intertextuality and the Media: from genre to everyday life. Manchester: Manchester University Press.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Revista Investigações - Linguística e Teoria Literária. Programa de Pós-graduação em Letras da Universidade Federal de Pernambuco.

ISSN Edição Digital 2175-294X - ISSN Edições Impressas 0104-1320

www.ufpe.br/pgletras - www.pgletras.com.br 

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.