Quand l’abécédaire français contemporain s’émancipe

Nelly Chabrol Gagne

Resumo


Se ele é um gênero dedicado aos muitos jovens que souberam relacionarmuito rapidamente as possibilidades gráficas e narrativas das letras, daspalavras e das imagens, é na verdade o ABC, ou abecedário, do qual seencontra vestígios desde a Antiguidade. Desde o século XIX, o gênero conheceu suas horas de graça e dedesgraça, de tradição e de inventividade. O que é dele hoje então mesmoo ABC tendo se tornado caduco enquanto o manual de aprendizagemcoletivo e que a literatura infanto-juvenil multiplica as propostas dedescobertas das palavras, das frases, das primeiras narrativas?


Texto completo:

PDF

Referências


Dégé, Guillaume. 2004. ABC DÉGÉ de Guillaume Dégé et Anémone de Blicquy. Paris: Gallimard Jeunesse, Giboulées.

Heidelbach, Nikolaus. 2000. Que font les garçons. Paris: Seuil Jeunesse.

Pakovska, Kveta. 1996. Alphabet. Paris: Le Seuil Jeunesse.

Pittau et Gervais. 2000. ABC. Paris: Seuil Jeunesse.

Russell, Harriet. 2005. A comme rhinoceros. Paris: Panama.

Sfar, Joann. 2003. L’atroce abécédaire. Rosny-sous-Bois: Editions Bréal.

Solotareff, Grégoire. 1995. Album. Photographies choisies par Gabriel Bauret et Grégoire Solotareff. Paris: L’Ecole des loisirs.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Revista Investigações - Linguística e Teoria Literária. Programa de Pós-graduação em Letras da Universidade Federal de Pernambuco.

ISSN Edição Digital 2175-294X - ISSN Edições Impressas 0104-1320

www.ufpe.br/pgletras - www.pgletras.com.br

Licença Creative Commons
Este trabalho está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição 4.0 Internacional.