A tragédia grega: um estudo teórico

Adilson dos Santos

Resumo


O presente estudo tem por objetivo apresentar algumas considerações teóricas sobre a tragédia grega, sua gênese e suas particularidades. Além de proporcionar conhecimento acerca desta especificidade literária surgida na Grécia Antiga, objetiva-se, a partir de tais reflexões, oferecer ao presente leitor um embasamento que torne possível a identificação de obras literárias de natureza trágica.

Texto completo:

PDF

Referências


ABBAGNANO, Nicola. Dicionário de filosofia. 2003. Trad. Alfredo Bosi e Ivone Castilho Benedetti. 4. ed. São Paulo: Martins Fontes.

ARISTÓTELES. Poética. 1987. Trad. Eudoro de Souza. São Paulo: Nova Cultural.

BENJAMIN, Walter. 1984. Origem do drama barroco alemão. Trad. Sergio Paulo Rouanet. São Paulo: Brasiliense.

BORNHEIM, Gerd. 1992. O sentido e a máscara. 3. ed. São Paulo: Perspectiva.

BRANDÃO, Junito de Souza. 2000. Dicionário mítico-etmológico da mitologia grega. 2. vols. 4. ed. Petrópolis: Vozes.

______. 1992. Teatro grego: origem e evolução. São Paulo: Ars Poetica.

______. 1996. Teatro grego: tragédia e comédia. 6. ed. Petrópolis: Vozes.

CARVALHO, Alfredo Leme Coelho de. 1998. Interpretação da Poética de Aristóteles. São José do Rio Preto: Rio-Pretense.

CÉZAR, Adelaide Caramuru. 1999. “O trágico enquanto marca do texto literário”. Signum: estudos literários, Londrina, n. 2, p. 139-153.

CIVITA, Victor. 1973. Mitologia. 3. vols. São Paulo: Abril Cultural.

DANZIGER, Marlies K. e JOHNSON, W. Stacy. 1974. Introdução ao

estudo crítico da literatura. Trad. Álvaro Cabral. São Paulo: Cultrix.

FRYE, Northrop. 1957. Anatomia da crítica. Trad. Péricles Eugênio da

Silva Ramos. São Paulo: Cultrix.

HARVEY, Paul. 1998. Dicionário Oxford de literatura clássica grega e

latina. Trad. Mário da Gama Kury. Rio de Janeiro: J. Zahar.

HEINZ-MOHR, Gerd. 1994. Dicionário dos símbolos: imagens e

sinais da arte cristã. Trad. João Rezende Costa. São Paulo: Paulus.

KITTO, H. D. F. 1990. Tragédia grega: estudo literário. Trad. José

Manuel Coutinho e Castro. 2. vols. 3. ed. Coimbra: Armênio Amado.

KOTHE, Flávio R. 2000. O herói. 2. ed. São Paulo: Ática.

LESKY, Albin. 1996. A tragédia grega. Trad. J. Guinsburg et al. 3. ed.

São Paulo: Perspectiva.

MEICHES, Mauro Pergaminik. 2000. A travessia do trágico em análise. São Paulo: Casa do Psicólogo.

ROMILLY, Jacqueline de. 1998. A tragédia grega. Trad. Ivo Martinazzo. Brasília: Editora Universidade de Brasília.

ROSENFIELD, Kathrin Holzermaur. 2000. Antígona – de Sófocles a

Hölderlin: por uma filosofia trágica da literatura. Porto Alegre: L&PM.

SÓFOCLES. 2002. A trilogia tebana: Édipo Rei, Édipo em Colono e

Antígona. Trad. Mário da Gama Kury. 10. ed. Rio de Janeiro: J. Zahar.

VERNANT, Jean-Pierre. 2001. Entre mito & política. Trad. Cristina Murachco. São Paulo: Editora da Universidade de São Paulo.

______. e VIDAL-NAQUET, Pierre. 1999. Mito e tragédia na Grécia antiga I e II. Trad. Anna Lia A. de Almeida Prado et al. São Paulo: Perspectiva.

VOILQUIN, Jean e CAPELLE, Jean. 1964. “Introdução”. In: ARISTÓTELES. Arte retórica e arte poética. Trad. Antônio Pinto de Carvalho. São Paulo: Difusão Européia do Livro.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Revista Investigações - Linguística e Teoria Literária. Programa de Pós-graduação em Letras da Universidade Federal de Pernambuco.

ISSN Edição Digital 2175-294X - ISSN Edições Impressas 0104-1320

www.ufpe.br/pgletras - www.pgletras.com.br 

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.