Uma mirada interna: centro e periferia em Selva trágica

Fábio Luiz de Arruda Herrig

Resumo


Este artigo tem por finalidade fazer uma análise do texto literário de Selva trágica, de Hernani Donato, particularmente das infl uências culturais que podem ser percebidas na obra, observando como há a imposição de formas de trabalho vindas de um centro, baseado em um capital econômico e, na contramão, há uma resistência dos trabalhadores com relação a essa imposição. Em outros termos, o que se pretende é explorar a relação centro e periferia, dando atenção às estruturas intermediárias que se interpõem nessa relação.

Texto completo:

PDF

Referências


AGAMBEN, Giorgio. 2007. Profanações. Tradução Selvino José Assman. São Paulo: Boitempo.

AGUIAR, Flavio; VASCONCELOS, Sandra Guardini. 2004. O conceito de transculturação na obra de Ángel Rama. In: ABDALA JÚNIOR, Benjamin. Margens da cultura: mestiçagem, hibridismo & outras misturas. São Paulo: Boitempo.

CARVALHAL, Tânia. 2003. Fronteiras da crítica e crítica das fronteiras. In: – O próprio e o alheio: Ensaios de Literatura comparada. São Leopoldo (RS): Unisinos, p. 153-183.

DONATO, Hernâni. 1995. Selva trágica: a geste ervateira no sulestematogrossense. São Paulo: Autores Reunidos.

FOUCAULT, Michel. 1979. Microfísica do poder. Rio de Janeiro: Graal.

MAGALHÃES, Hilda Gomes Dutra. 2002. Literatura e poder em Mato Grosso. Brasília: MIN; Universidade Federal de Mato Grosso.

PIGLIA, Ricardo. 1991. Memoria y tradición. In: Anais do 2º Congresso Abralic. Belo Horizonte: Fale/UFMG, v.1, p. 60-66.

SAHLINS, Marshall. 2003. Ilha de História. Tradução de Bárbara Sette. Rio de Janeiro: Jorge Zahar.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Revista Investigações - Linguística e Teoria Literária. Programa de Pós-graduação em Letras da Universidade Federal de Pernambuco.

ISSN Edição Digital 2175-294X - ISSN Edições Impressas 0104-1320

www.ufpe.br/pgletras - www.pgletras.com.br

Licença Creative Commons
Este trabalho está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição 4.0 Internacional.