Roberto Bolaño e a inflexão do marxismo na crítica sobre a literatura da América Latina do séc. XXI

Juan Castro Chacon

Resumo


Esta pesquisa tenta estabelecer um diálogo entre a crítica literária do séc. XXI e o marxismo, por meio da obra crítica ensaística de Roberto Bolaño Entre paréntesis (2011). Nesta publicação, Bolaño discute algumas das vozes narrativas do séc. XX, no viés crítico geopolítico em que se movimentam, canonizadas ou não, definindo, inflexivamente, um passo ao estudo da narrativa não-cânone. Nesse sentido, acredita-se que Bolaño, ao fundamentar a obra contemporânea, na descontinuidade (GONZÁLEZ, 2010), cria uma inflexão crítica que se desprende do marxismo dialético, na aliança entre o real e a ficção, numa narração latino-americana de finais do século passado.

Texto completo:

PDF

Referências


ADORNO, Theodor. Notas de literatura I. Tradução Jorge de Almeida. 2ª edição. São Paulo: Editora 34, 2012.

AUERBACH, Erich. Introdução aos estudos literários. Tradução José Paulo Paes. São Paulo: Cosac Naify, 2015.

BENJAMIN, Walter. Magia e técnica, Arte e política, I. Tradução Sérgio Paulo Rouanet. 8ª edição. São Paulo: Editora Brasiliense, 2012.

BOLAÑO, Roberto. Entre paréntesis. Barcelona: Anagrama, 2004.

______. Nocturno de Chile. Barcelona: Anagrama, 2006.

BOURDIEU, Pierre. A distinção: crítica social do julgamento. Tradução Daniela Kern; Guilherme Teixeira. 2ª edição. Porto Alegre: Zouk, 2015.

______. O Poder Simbólico. Tradução Fernando Tomaz. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2010.

BURGOS, Fernando. El Cuento Hispanoamericano en el Siglo XX, I. Madrid: Castalia S.A. 1997.

CHACON, Juan. A função da produção de Roberto Bolaño na canonização de novos modelos para a narrativa hispano-americana no final do séc. XX. 2015. Dissertação (Mestrado em Estudos Literários pelo Programa de Pós Graduação em Letras e Lingüística) – Faculdade de Letras, Universidade Federal de Goiás, Goiânia.

ESPINOSA, Patricia. Territorios en fuga: Estudios críticos sobre la obra de Roberto Bolaño. Andalucía: Editorial Frasis, 2003.

EVEN-ZOHAR, Itamar. Teoría dos Polissistemas. Tradução Luiz Fernando Marozo; Carlos Rizzon et all. Rio Grande do Sul: 2013. Disponível em: < http://www.seer.ufrgs.br/translatio/article/viewFile/42899/27134>. Acesso em 14 jul 2018.

FRIEDMAN, Norman. O Ponto de Vista na Ficção: o Desenvolvimento de um Conceito Crítico. Revista USP. São Paulo, n. 53, 2002.

GONZÁLEZ, Daniuska. La Escritura Bárbara. La Narrativa de Roberto Bolaño. Lima: Fondo Editorial Cultura Peruana, 2010.

HERRALDE, Jorge. Para Roberto Bolaño. Acantilado, 2005. Disponível em: . Acesso em: 20 jul 2018.

HOUVENAGHEL, Eugenia ; LOGIE, Ilse. Alianzas entre historia y ficción: homenaje a Patrick Collard. Ginebra: Droz S. A., 2009.

MANZONI, Celina. Roberto Bolaño: la escritura como tauromaquia. Buenos Aires: Corregidor, 2006.

MARX, Karl. O capital. Tradução Gabriel Deville. 3ª edição. São Paulo: Editora Edipro, 2008.

MENTON, Seymour. Historia Verdadera del Realismo Mágico. México D.F.: Fondo de Cultura Económica, 1998.

SHAW, Donald. La Nueva Narrativa Hispanoamericana. 5. ed. Madrid: Cátedra, 1996.

WILLIAMS, Raymond. Marxismo e Literatura. Rio de Janeiro: Zahar, 1979.

ŽIŽEK, Slavoj. Um mapa da ideologia. Tradução Vera Ribeiro. Rio de Janeiro: Editora Contraponto, 2013.






Revista Investigações - Linguística e Teoria Literária. Programa de Pós-graduação em Letras da Universidade Federal de Pernambuco.

ISSN Edição Digital 2175-294X - ISSN Edições Impressas 0104-1320

www.ufpe.br/pgletras - www.pgletras.com.br 

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.