Duas leituras de a “Fábula de Anfíon” de João Cabral de Melo Neto e a polêmica do estruturalismo no Brasil

Ana Karla Canarinos

Resumo


O trabalho objetiva, através das análises críticas de Luiz Costa Lima e José Guilherme Merquior do poema “Fábula de Anfíon” de João Cabral de Melo Neto, refletir o debate em torno da recepção do estruturalismo no Brasil. Para tanto, serão considerados os textos, “A traição consequente ou a poesia de Cabral” presente na obra Lira e Antilira (1968) de Costa Lima e “Nuvem civil sonhada”, presente em A astúcia da mimese (1972), de José Guilherme Merquior

Texto completo:

PDF

Referências


BASTOS, Dau. Luiz Costa Lima: uma obra em questão. Rio de Janeiro: Grammond, 2010, p.128

MELO NETO, João Cabral. Obra completa. Rio de Janeiro: Nova Aguillar, 1994.

CAMPOS, Haroldo de. “O lugar de Luiz Costa Lima”. In: GUMBRECHT, Hans Ulrich. ROCHA, João César de Castro. Máscaras da mímesis: a obra de Luiz Costa Lima. Rio de Janeiro: Record, 1999. p. 150.

CRESPO, Angel e GÓMEZ, Pilar Bedate: “Realidad y forma en la poesía de Cabral de Melo Neto”. Madrid: Revista de Cultura brasileña, 1964.

DOSSE, François. História do Estruturalismo. Tradução de Álvaro Cabral; revisão técnica de Maria Mansor D’Alessio. Bauru: Edusc, 2007. 2 v

LIMA, Luiz Costa. Lira e Antilira: Mário, Drummond, Cabral. Rio de Janeiro: Topbooks, 1995

MERQUIOR, José Guilherme. A astúcia da mimese: ensaios sobre lírica. Rio de Janeiro: Topbooks, 1997

_____, José Guilherme. Formalismo e tradição moderna: o problema da arte na crise da cultura. São Paulo: É realizações, 2015.

_____, José Guilherme. O estruturalismo dos pobres e outras questões. Rio de Janeiro: Tempo brasileiro, 1975






Revista Investigações - Linguística e Teoria Literária. Programa de Pós-graduação em Letras da Universidade Federal de Pernambuco.

ISSN Edição Digital 2175-294X - ISSN Edições Impressas 0104-1320

www.ufpe.br/pgletras - www.pgletras.com.br 

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.