A Comunhão da palavra em “Cara-de-Bronze”

André Vinicius Lira Costa

Resumo


Numa interpretação do conto “Cara-de-Bronze”, de Guimarães Rosa, buscamos observar a dimensão essencial da linguagem na poética rosiana. Percorrendo uma via hermenêutica, entraremos em diálogo com vários autores que mostrem a sinergia de Rosa com uma tradição ocidental genuinamente poética, pois vincula, de maneira inexorável, a bênção do destino humano, suas possibilidades, e o consórcio libertador com a poesia.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Revista Investigações - Linguística e Teoria Literária. Programa de Pós-graduação em Letras da Universidade Federal de Pernambuco.

ISSN Edição Digital 2175-294X - ISSN Edições Impressas 0104-1320

www.ufpe.br/pgletras - www.pgletras.com.br 

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.