A UNIVERSIDADE E SUA FUNÇÃO SÓCIO-EDUCATIVA-CULTURAL: A EXTENSÃO E A CULTURA NA UFPE NO PERÍODO 2004-2010

Maria Christina de Medeiros Nunes

Resumo


A educação e a cultura traduzem-se conceitualmente num binômio que histórica e institucionalmente vem caminhando juntos na extensão universitária da Universidade Federal de Pernambuco. Este artigo pretende demonstrar a relação educação/cultura/extensão no âmbito da Pró-Reitoria de Extensão da Universidade Federal de Pernambuco, por meio das principais atividades do Programa UFPE & Políticas Culturais, e da produção extensionista, modalidade projeto, registrada no Sistema de Informação em Extensão Universitária – SIEX, no período 2004-2010, na área temática da cultura. Adotou-se como base teórica para correlacionar tais conceitos as idéias do educador Paulo Freire, que em sua prática pedagógica na área da educação, implantou em 1961 na Universidade do Recife, o Serviço de Extensão Cultural. A partir das concepções teóricas referenciadas e da produção extensionista analisada, buscou-se demonstrar que na confluência da relação educação/cultura, que caminham histórica e conceitualmente juntas, numa perspectiva indissociável da ação humana, é que se assentam as bases da missão sócio-educativa-cultural da Universidade.


Texto completo:

PDF

Referências


BELLONI, Isaura. Função da universidade: notas para reflexão. In: HOUAISS, Antonio. Universidade e Educação. Campinas: Papirus, 1992, p.71-78.

BOTOMÉ, Silvio Paulo. Pesquisa alienada e ensino alienante: o equívoco da extensão universitária. Petrópolis: Vozes, 1996.

BRASILEIRO, Dimas; MENDONÇA, Djanyse. Educação popular e reforma universitária: Paulo Freire e a criação do Serviço de Extensão Cultural da Universidade do Recife (1962-1964). In: ESTUDOS Universitários: Revista de Cultura. 2. ed. Recife: Universitária, 2009, p. 1-78.

CALABRE, Lia. Políticas Culturais no Brasil: balanço e perspectivas. ENCONTRO DE ESTUDOS MULTIDISCIPLINARES EM CULTURA, 3, 2007, Salvador. Anais... Salvador: UFBA, 2007.

DÓRIA, Carlos Alberto. Teses (equivocadas ou não) sobre o Estado e a Cultura Brasileira. In: CRIBARI, Isabela (Org.). Economia da Cultura. Recife: Fundaj/ Massangana, 2009, p.81-91.

FREIRE, Paulo. Extensão ou Comunicação? Trad. Rosisca Darcy de Oliveira. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1985.

____________. Educação como prática da liberdade. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1976.

FRANTZ, Walter; SILVA, Enio Waldir da. As Funções Sociais da Universidade: O papel da extensão e a questão das comunitárias. Ijuí: Unijuí, 2002. (Coleção Ciências Sociais)

MELO, Jowania Rosas de. A extensão universitária na UFPE: Uma Análise sobre a Produção Extensionista na Perspectiva Docente 2004-2009. 2010. Dissertação (Mestrado) – Mestrado Profissional em Gestão Pública para o Desenvolvimento do Nordeste, UFPE. Recife, 2010.

MENEGHEL, S. M.; BERTOLIN, J. C. G. Reflexão sobre objetivos e procedimentos adotados pelas Comissões de Avaliação das Condições de Ensino/ACE do INEP. Educação Temática Digital, Campinas, v. 5, n. 11, p. 115-145, 2003. Disponível em: . Acesso em: 28 jul. 2011.

BRASIL. Ministério da Cultura. Histórico do Ministério. Disponível em: . Acesso em: 28 jul. 2011

RENEX. Rede Nacional de Extensão Universitária. Disponível em: . Acesso em: 30 jul. 2011.

TRINDADE, Hélgio. A República em tempos de Reforma Universitária: O desafio do Governo Lula. Educação e Sociedade, Campinas, v. 25, n. 88, p. 819-844, Especial - Out. 2004. Disponível em: < http://www.scielo.br/pdf/es/v25n88/a09v2588.pdf>. Acesso em: 30 jul. 2011.

UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO - UFPE. Pontão de Cultura. Disponível em: http://www.proext.ufpe.br/pontaoindex.php?option=com_content&view=article&id=63&Itemid=71>. Acesso em: 28 jul. 2011.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA E DE EMPRESAS, CIÊNCIAS CONTÁBEIS E TURISMO: B5; ARQUITETURA, URBANISMO E DESIGN: B5; CIÊNCIAS AMBIENTAIS: B4; EDUCAÇÃO, ENGENHARIAS I: B5; ENSINO: B2; GEOGRAFIA: C; INTERDISCIPLINAR: B3. 

 

Publicação e Apoio:

RMP está indexada em:

Instituições de referência para a RMP: