POR UM ÍNDICE DE SUSTENTABILIDADE LOCAL (ISL)

Cristiano Correa Correa, Ivo Vasconcelos Pedrosa

Resumo


O presente artigo propõe reflexão sobre a temática do complexo paradigma do desenvolvimento sustentável e sua mensuração em nível local. Para isto, visita autores e instituições que tratam de índices e indicadores de sustentabilidade que, em menor ou maior grau, buscam aferir como estão as condições do ambiente, sob as dimensões ecológica, social e econômica, de determinado país, região ou cidade. Propõe-se, experimentalmente, um método baseado na composição de dois índices: um voltado para a dimensão humana (com variáveis relativas à distribuição de bem-estar e econômicas, neste caso, especificamente relativas à produção de bens e serviços), medido pelo Índice de Desenvolvimento Humano, e um índice ecológico, medido pelo Índice das Pressões Antrópicas (IPA), como forma de avaliação da sustentabilidade local em municípios brasileiros.

Palavras-chave: Desenvolvimento sustentável; Gestão Ambiental; Sustentabilidade Ambiental


Texto completo:

PDF

Referências


ALISTE, Enrique. Territorio y huellas territoriales: una memoria del espacio vivido en el Gran Concepción, Chile. Desenvolvimento e Meio Ambiente, n. 23, p. 25-38, jan./jun. 2011. Curitiba: Editora UFPR, 2011.

ANTUNES, D.C.; CONTI, B. R. Dilemas de uma Nova Agenda de Desenvolvimento: um olhar sobre a Política Ambiental Brasileira. Desenvolvimento e Meio Ambiente, n. 25, p. 73-86, jan./jun. 2012. Curitiba: Editora UFPR, 2012.

BARLOW, Maude. Natureza: um Ecossistema Vivo do qual brota toda a vida. INTERthesis, v. 9. 2012. Florianópolis: Editora UFSC, 2012

BELLEN, Hans Michael van. Indicadores de Sustentabilidade: uma análise comparativa. Rio de Janeiro, RJ: FGV, 2006.

CAPRA, Fritjof. A Teia da Vida: Uma Nova Compreensão Científica dos Sistemas Vivos. São Paulo, SP: Cultrix, 2004.

_______. O Ponto de Mutação. São Paulo, SP: Cultrix, 2006.

CMMAD - COMISSÃO MUNDIAL SOBRE MEIO AMBIENTE E DESENVOLVIMENTO. Nosso Futuro Comum, Rio de Janeiro: FGV, 1991.

CONFERÊNCIA DAS NAÇÕES UNIDAS SOBRE MEIO AMBIENTE. Declaração de Estocolmo Sobre o Ambiente Humano, disponível em www.silex.com.br/leis/normas/estocolmo.htm, acesso em 12 dez 10

CORRÊA, Cristiano. A Contribuição dos Serviços de Salvamento e Combate a Incêndios para o Dsenvolvimento Sustentável: um panorama pernambucano, sob a ótica dos gestores municipais. Dissertação, Recife, 2011.

DUQUE, G.; MELLO, A. C. P. de; ARAÚJO, M. G. B. de. Ação coletiva e desenvolvimento sustentável. Desenvolvimento e Meio Ambiente, n. 25, p. 109-116, jan./jun. 2012. Curitiba: Editora UFPR, 2012.

FERNANDEZ, B. P. M. Ecodesenvolvimento, Desenvolvimento Sustentável e Economia Ecológica: em que sentido representam alternativas ao paradigma de desenvolvimento tradicional? Desenvolvimento e Meio Ambiente, n. 23, p. 109-120, jan./jun. 2011. Curitiba: Editora UFPR, 2011.

GONÇALVES, Carlos Walter P. A Ecologia Política na América Latina: reapropriação social da natureza e reinvenção dos Territórios. INTERthesis, v. 9. p. 16-50, jan./jun 2012. Florianópolis: Editora UFSC, 2012

IBGE - INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA. Perfil dos municípios brasileiros: Meio Ambiente 2002. Rio de Janeiro: IBGE, 2005.

_______. Indicadores de Desenvolvimento Sustentável, Brasil 2008. Disponível em: www.ibge.gov.br/cidadesat/top.window.htm?1. Acesso em 20 mar 2010.

_______. Indicadores de Desenvolvimento Sustentável, Brasil 2008. Disponível em: http://www.ibge.gov.br/home/geociencias/recursosnaturais/ids/ids2010.pdf. Acesso em 11 nov 2012.

MACEDO, Nívea Marcela Marques Nascimento e CÂNDIDO, Gesinaldo Ataíde. Índice de Desenvolvimento Sustentável Local e suas influências nas políticas públicas: um estudo exploratório no município de Alagoa Grande – PB. Gestão & Produção, v.18, nº03. São Carlos 2011.

MORIN, Edgar e KERN, Anne Brigitte. Terra-Pátria. Porto Alegre: Sulina, 2002.

PEDROSA, Ivo V.; REIS, André Casimiro; SILVA, Erasto Mustafa da. Políticas públicas municipais relacionadas com a melhoria do ambiente urbano no Estado de Pernambuco: limitações e possibilidades. In: III Encontro da ANPPAS, 2006, Brasília. Anais do III Encontro da ANPPAS. Brasília: ANPPAS, 2006.

PEDROSA, Ivo V.; PAULO, Felipe L. L. de; CORRÊA, Cristiano ; MARTINS, A.C.Q.L.; ALMEIDA, L. L.; VALGUEIRO, G. de C. L.; SENA, G. I. C.; NASCIMENTO, M. F. L.; LUCENA, Alysson Henrique F. Relatório da Pesquisa “Crise Ambiental: é possível obter contribuição dos governos locais para minimizá-la? Um exame do caso de Pernambuco 2008-2010”. 2011. (Relatório de pesquisa).

PNUD. Atlas do Desenvolvimento Humano – 2003. Disponível em: http://www.pnud.org.br/IDH/Atlas2003.aspx?indiceAccordion=1&li=li_Atlas2003. Acesso em 11 nov 2012.

______. O que é IDH. Disponível em: http://www.pnud.org.br/IDH/IDH.aspx?indiceAccordion=0&li=li_IDH. Acesso em 04 dez 2012.

SACHS, I. Espaços, tempos e estratégias do desenvolvimento. São Paulo: Vértice, 1981.

______. Ecodesenvolvimento: crescer sem destruir. São Paulo: Vértice, 1986.

SAMPAIO, Y.; ALCÂNTARA, R.; SAMPAIO, E. Ação antrópica e biodiversidade: o índice de pressão antrópica em Pernambuco. In: TABARELLI, M.; SILVA, J. M. C. da (Org.). Diagnóstico da biodiversidade de Pernambuco. Recife: Secretaria de Ciência e Tecnologia e Meio Ambiente: Fundação Joaquim Nabuco; Ed. Massangana, 2002.

SILVA, Chistian Luiiz da. Desenvolvimento Sustentável: um modelo analítico integrado e adaptativo. Petrópolis, RJ: Vozes, 2006.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA E DE EMPRESAS, CIÊNCIAS CONTÁBEIS E TURISMO: B5; ARQUITETURA, URBANISMO E DESIGN: B5; CIÊNCIAS AMBIENTAIS: B4; EDUCAÇÃO, ENGENHARIAS I: B5; ENSINO: B2; GEOGRAFIA: C; INTERDISCIPLINAR: B3. 

 

Publicação e Apoio:

RMP está indexada em:

Instituições de referência para a RMP: