Influência dos reforços utilitários e informativos na avaliação do consumidor em testes às cegas e marcas reveladas

Sônia Regina Gouvêa Rezende, Cristiano Coelho

Resumo


A marca saiu do âmbito de produto para cultura de consumo, formada pela percepção dos consumidores a partir das experiências com o produto e a organização. A concorrência aumentou e as empresas adotam estratégias para se diferenciar ao trabalhar com marcas próprias. Para analisar o comportamento dos consumidores, aplicou-se o modelo teórico Behavioral Perspective Model (BPM) com objetivo de mensurar a relação aos reforços utilitários das marcas de cookies no teste às cegas e a influência dos reforços utilitários e informativos, no teste de marcas reveladas. No teste de marcas reveladas, a marca de fabricante com maior nível de reforços informativos apresentou maior preferência e evidenciou-se uma baixa discriminabilidade entre as marcas próprias. O teste às cegas não apresentou diferenças significativas entre a marca de fabricante e marcas próprias, indicando que as marcas possuem reforços utilitários semelhantes, indicando que podem ser facilmente substituídas entre si em termos funcionais

Palavras-chave


comportamento de consumidor; reforços informativos e utilitários; teste às cegas e de marcas reveladas; marcas de fabricantes; marcas próprias.

Texto completo:

PDF

Referências


Aaker, D. A. (1998). Brand equity: gerenciando o valor da marca. 2. ed. São Paulo: Negócio Editora, 1998.

Aaker, D. A. (2001). Criando e administrando marcas de sucesso. 3. ed. São Paulo: Futura.

Aaker, D. A. (2007). Estratégia de portfólio de marcas. Porto Alegre: Bookman.

American Marketing Association. Dictionary. Recuperado em 05 de julho, 2019 de

https://www.ama.org/resources/Pages/Dictionary.aspx?dLetter=P.

Amrouche, N., & Yan, R. (2012). Implementing online store for national brand competing against private label. Journal of Business Research, 65(3), pp. 325-332.

Chen, J., Narasimhan, O., John, G., & Dhar, T. (2010). An empirical investigation of private label supply by national label producers. Marketing Science, 29(4), 738-755

De Chernatony, L.(2005). Construção de marca. In: BAKER, M. J. et al. Administração de Marketing. 5. ed. Rio de Janeiro: Campus (Elsevier), cap. 15.

De Chernatony, L., & Dall’olmo Riley, F. (1998). Defining a brand: beyond the literature with experts’ interpretations, Journal of Marketing Management, Vol. 14, pp. 417-443.

De Wulf, K., Odekerken-Schröder, G., Goedertier, F., & Van Ossel, G. (2005). Consumer perceptions of store brands versus national brands. Journal of Consumer marketing, 22(4), 223-232.

Ejye Omar, O. (1994). Comparative product testing for own-label marketing. International Journal of Retail & Distribution Management, 22(2), 12-17.

Foxall, G. R. (1987). Radical behaviorism and consumer research theoretical promise and empirical problems. International Journal of Research in Marketing, 4(2), 111116-113127.

Foxall, G. R. (1990). Consumer Psychology in Behavioral Perspective. London e New York: Routledge.

Foxall, G. R. (1992). The Behavioral Perspective Model of purchase and consumption: From consumer theory to marketing practice. v.20, n.2, pp.189-198. Journal of the academy of marketing science.

Foxall, G. R. (1997). Marketing Psychology: The paradigm in the wings. London: MacMillan.

Foxall. (1998). Radical Behaviorist Interpretation: Generating and evaluating an account of consumer behavior. The Behavior Analyst, 21, 321-354.

Foxall, G. R. (2005). Understanding Consumer Choice. New York: Palgrave McMillan.

Foxall, G. R., Oliveira-Castro, J. M., & Schrezenmaier, T. C. (2004). The behavioral economics of consumer brand choice: patterns of reinforcement and utility maximization. Behavioural Processes, v. 66, p. 235-260.

Hyman, M. R., Kopf, D. A., & Lee, D. (2010). Review of literature–Future research suggestions: Private label brands: Benefits, success factors and future research. Journal of Brand Management, 17(5), 368-389.

Hoyer, W. D., & Brown, S. P. (1990). Effects of brand awareness on choice for a common, repeat-purchase product. Journal of consumer research, 17(2), 141-148.

Keller, K. L., & Machado, M.(2006). Gestão estratégica de marcas. São Paulo: Pearson Prentice Hall.

Kotler, P. (2000). Marketing para o século XXI: como criar, conquistar e dominar mercados. Futura.

Kumar, N., & Steenkamp, J. B. E. (2008). Estratégia de marcas próprias: como enfrentar o desafio da marca de loja. M. Books.

Labeaga, J. M., Lado, N., & Martos, M. (2007). Behavioural loyalty towards store brands. Journal of Retailing and consumer services, 14(5), 347-356.

Likert, R. (1932). A technique for the measurement of attitudes. Archives of Psychology, v. 140, p. 1-55.

Miquel-Romero, M. J., Caplliure-Giner, E. M., & Adame-Sánchez, C. (2014). Relationship marketing management: Its importance in private label extension. Journal of Business Research, 67(5), 667-672.

Nalini, L. E. E. G., Melo Cardoso, M. de, & Cunha, S. R. (2013). Comportamento do Consumidor: uma introdução ao Behavioral Perspective Model (BPM). Fragmentos de Cultura, Goiânia, v. 23, n. 4, p. 489-505, out./dez.

Nielsen (2017). 19º Estudo Anual de Marcas Próprias. The Nielsen Company. Confidential and proprietary.

Paula, V. A. F. (2008). Estratégia de marcas no varejo de alimentos: concepção e gestão de marcas próprias na Inglaterra e no Brasil. Tese (Doutorado em Engenharia de Produção) – Universidade Federal de São Carlos, São Carlos.

Pedroso, R. (2016). Valor Subjetivo do Consumo Sustentável. Tese de Doutorado. Universidade Católica de Goiás. Goiânia, GO.

Private Label Manufacturers Association (2017). Industry News. Private label today. Retirado em 06 de julho, 2017 de http://www.plmainternational.com/industry-news/private-label-today

Oliveira, R. N. A. (2005). Gestão Estratégica de Marca própria. Rio de Janeiro: Brasport, 2ª Ed. 2005. 256 p.

Oliveira-Castro, Jorge M. (2003). Effects of base price upon search behavior of consumers in a supermarket: an operant analysis. Journal of Economic Psychology, v. 24, n. 5, p. 637-652.

Oliveira‐Castro, J. M., Cavalcanti, P. R., & Foxall, G. R. (2016). What consumers maximize: Brand choice as a function of utilitarian and informational reinforcement. Managerial and Decision Economics, 37(4-5), 360-371.

Oliveira-Castro, J. M. & Foxall, G. R. (2005). Análise do Comportamento do Consumidor. Em J. A. Rodrigues & M. R. Ribeiro (Orgs.). Análise do Comportamento: Pesquisa, Teoria e Aplicação. Porto Alegre: Artmed.

Oliveira-Castro, J. M., Foxall, G. R., James, V. K., Pohl, R. H., Dias, M. B., & Chang, S. W. (2008). Consumer-based brand equity and brand performance. The Service Industries Journal, 28(4), 445-461.

Oliveira-Castro, J. M., Foxall, G. R., & Wells, V. K. (2010). Consumer brand choice: Money allocation as a function of brand reinforcing attributes. Journal of Organizational Behavior Management, 30(2), 161-175.

Olson, E. L. (2012). Supplier inferences to enhance private label perceptions. Journal of Business Research, 65(1), 100-105.

Piato, E. L. (2011). Análise do alinhamento da estratégia de marcas próprias do atacado distribuidor em relação às perspectivas dos clientes varejistas. Tese - (Doutorado em Engenharia de Produção) - Universidade Federal de São Carlos – UFSCar

Pohl, R. H., & Oliveira-Castro, J. M. (2008). Efeitos do nível de benefício informativo das marcas sobre a duração do comportamento de procura. RAC-Eletrônica, 2(3), 499-469.

Pohjanheimo, T., & Sandell, M. (2009). Explaining the liking for drinking yoghurt: The role of sensory quality, food choice motives, health concern and product information. International Dairy Journal, 19(8), 459-466.

Rajala, A. K., & Hantula, D. A. (2000). Towards a behavioral ecology of consumption: delay‐reduction effects on foraging in a simulated Internet mall. Managerial and Decision Economics, 21(3‐4), 145-158.

Rezende, S. R. G. (2013). Análise das estratégias de marcas em fornecedores de marcas próprias: estudo multicasos em fabricantes de produtos lácteos. Uberlândia, 2013. 182 f. Dissertação- (Mestrado em Administração) - Universidade Federal de Uberlândia – UFU

Rosenthal, B. (2009) Comportamento de consumo: uma análise dos fatores que controlam a escolha de bebidas. Seminários em Administração- SEMEAD, São Paulo. Anais eletrônicos.

Serralvo, F.A., Prado, K.P.L., & Leal, C. A. (2007). A importância de marcas no contexto competitivo- O caso das Havaianas. XXX encontro de Marketing da ANPAD, 23.

Silva, Murilo S. V. (2007). Análise do Comportamento do consumidor: valor de equivalência e aval¬iação de qualidade e conhecimento de marcas de café. Dissertação (Mestrado em Psicologia) – Pontifícia Universidade Católica de Goiás, Goiânia.

Skinner, B. F. (1953/ 2000). Ciência e comportamento humano. 10ª ed., Ed. Martins Fontes.

Skinner, B. F. (1957). Verbal behavior action. MA: Copley Publishing Group.

Skinner, B. F. (1974/ 2003). Sobre o behaviorismo. São Paulo. Cultrix.

Skinner, B. F. (1978). O comportamento verbal. São Paulo: Cultrix (Tradução de Maria da Penha Villalobos).

Souza, M. G. de, & Nemer, A. (1993). Marca e distribuição: desenvolvendo dominação estratégica e vantagem competitiva no mercado global. Makron Books.

Tarziján, J. (2007). Should national brand manufacturers produce private labels? Journal of Modelling in Management, v. 2, n. 1, pp. 56-70.

Todorov, J. C. (2012). O conceito de contingência tríplice na Análise do Comportamento humano. Psicologia: Teoria e Pesquisa, 1(1), 75-88.

Urban, G. L., Hulland. J. S., & Weinberg, B. D. (1993). Premarket Forecasting For New Consumer Durable Goods: Modeling Categorization, Elimination, and Consideration Phenomena. Journal of Marketing, 57, 2, 47- 62

Vraneševic, T., Stančec, R. (2003). The effect of the brand on perceived quality of food products. British Food Journal, 105(11), 811-825.

Yan, J., Foxall, G. R., & Doyle, J. R. (2012). Patterns of reinforcement and the essential value of brands: II. evaluation of a model of consumer choice. The Psychological Record, 62(3), 377-394.

Yokoyama, M. H. (2010). Análise das estratégias de produção em fornecedores de marcas próprias: um estudo multicaso em empresas do setor de alimentos. Dissertação - (Mestrado em Engenharia de Produção) - Universidade Federal de São Carlos – UFSCar


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2021 CBR - Consumer Behavior Review

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

          

 RePEc Ideas

Flag Counter

Consumer Behavior Review - eISSN: 2526-7884

Creative Commons License
Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Attribution-NonCommercial 4.0 International License