FILOSOFIA, POESIA E RESISTÊNCIA: SOBRE A UNIDADE ENTRE EPISTEMOLOGIA E MILITÂNCIA POLÍTICA EM TEMPOS DE CRISE

Otacílio Gomes da Silva Neto

Resumo


A crise social vivenciada pelos brasileiros tem dado margem a medidas governamentais de caráter suspeito. Impulsionados por setores empresariais, midiáticos e do agronegócio, tais medidas também chamadas de “reformas”, têm sido apressadas por membros do poder legislativo em conluio com o executivo. Essa trama foi montada no auge da crise do governo da presidenta Dilma o que levou ao impeachment do seu mandato. Passados alguns fôlegos da usurpação do poder executivo, boa parte dos brasileiros começa a perceber que esse processo foi uma farsa montada pelas camadas privilegiadas com o apoio ideológico da grande mídia. Diante disso, a meta desse trabalho é o de elaborar uma reflexão crítica do cenário brasileiro endossando leituras alternativas àquela oferecida pela mídia oficial. Partiremos de uma problematização envolvendo o conceito de crise a partir de Bobbio (2004) e Santos (2007) para entender as razões da ofensiva das classes privilegiadas que comandam o país. Em seguida, a partir de Gramsci (2011) e Freire (2006), retomaremos o conceito de conscientização cujo sentido vislumbra o ato de conhecer como resistência à opressão via o engajamento político. Concluiremos o trabalho resgatando, a partir de Arendt (2002), a desgastada arte da política como instrumento de humanização e inclusão social.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.32359/debin2018.v1.n1.p52-67



Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Sem derivações 4.0 Internacional.