A PAIXÃO PELA DESIGUALDADE, A INTERSECCIONALIDADE E NOVOS FEMINISMOS

Lemuel Guerra, Lorene Dias Ferreira

Resumo


Este artigo explora algumas implicações da teoria política de Rancière (2005), colocada em presença das visões em disputa no campo atual do feminismo, mais especificamente as que incluem nas suas pautas reivindicativas a abordagem interseccional – com a agregação da luta antirracismo e o especismo, em suas vertentes vegetariana e vegana.  Fazemos uma interpretação rancièriana das referidas propostas, no sentido de revelar eventuais pontos de tensão a partir da sua conceitualização da democracia e da política do autor e de outros a ele relacionados.


Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.32359/debin2018.v1.n2.p164-193



Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Sem derivações 4.0 Internacional.