RELAÇÕES SOCIAIS DE GÊNERO E RAÇA: UM DEBATE PARA A LUTA DE CLASSES NA LICENCIATURA EM EDUCAÇÃO DO CAMPO

Carolina Orquiza Cherfem

Resumo


A Educação do Campo tem como protagonista os trabalhadores do campo e suas organizações, com o objetivo de relacionar suas lutas sociais e pela terra a uma proposta de educação que corresponda a um projeto de sociedade que tem como base a transformação e a emancipação humana. Nesse contexto, é evidente as necessárias discussões teóricas em torno da luta de classes e dos modos de produção em disputa na garantia dos direitos dos sujeitos do campo. Contudo, neste mesmo cenário emergem as discussões de gênero e raça, pautadas nas práticas dos diferentes movimentos sociais de mulheres que denunciam a estrutura familiar patriarcal e racista historicamente verificada no campo brasileiro. A partir desta realidade, o objetivo do artigo é apresentar uma discussão teórica acerca da necessidade da intersecção das categorias de classe, gênero e raça na licenciatura em Educação do Campo, com base na experiência da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC).


Palavras-chave


Educação do Campo, Classe, Gênero, Raça.

Texto completo:

PDF

Referências


BRASIL. Decreto nº 7.352, de 4 de novembro de 2010. Política de educação do campo e o Programa Nacional de Educação na Reforma Agrária - PRONERA. Brasília: 2010a. BRASIL.

BIROLI, Flávia; MIGUEL, Luis Felipe. Gênero, raça, classe: opressões cruzadas e convergências na reprodução das desigualdades. Mediações, Londrina, v. 20 n. 2, p. 27-55, 2015.

CHERFEM, Carolina Orquiza. Consubstancialidade de Gênero, Classe e Raça no Trabalho Coletivo/Associativo. Tese de doutorado. Campinas: UNICAMP, 2014.

COLLINS, Patricia Hill. Intersectionality’s definitional dilemas. Annual Review of Sociology, Palo Alto, n. 41, p. 1-20, 2015.

CUNHA, H.S. A feminização da luta por escolas do campo. Uma questão de gênero e classe. Entrelaçando, n. 10, ano V, 2016.

DAVIS, Angela. Women, race, and class. New York: Vintage Books, 1983.

FALQUET, Jules. Três questões aos movimentos sociais “progressistas”: contribuições da teoria feminista à análise dos movimentos sociais. Lutas & Resistências, Londrina, v.1, p.212-225, set. 2006.

GOMES, Clara Suzane Silva. Educação no campo e as questões étnico-raciais: um desafio no cotidiano escolar. 2016. Disponível em: https://eventos.set.edu.br/index.php/enfope/article/viewFile/1408/377. Acesso em 7 de maio de 2017.

GONÇALVES, Micheli Suellen Neves, et al. Gênero e constituição da mulher camponesa: um estudo das produções acadêmicas sobre gênero na formação proposta pela educação superior do campo no brasil de 2011 a 2015. Anais do XXIV Seminário Nacional UNIVERSITAS/BR, 2016. Disponível em http://www.ppe.uem.br/xxivuniversitas/anais/trabalhos/e_7/7-014.pdf. Acesso em 12 de maio de 2017.

KERGOAT, Daniele. Dynamique et consubstantialité des rapport sociaux. In DORLIN, Elsa. Sexe, Race, Clase. Pour une épistémologie de la domination. Paris: Presses Universitaires de France, 2010.

_____. Se battre, disent-elles...Paris: La Dispute, 2012.

MAGALHÃES, Leila de Lima. O campo tem cor? presença/ausência do negro no currículo da educação do campo no Pará. Dissertação de mestrado. Universidade Federal do Pará. 2009.

MATTHAEI, Julie. Porque os/as economistas feministas/marxistas/anti-racistas devem ser economistas feministas-marxistas-antiracistas. In FARIA, Nalu; NOBRE, Miriam. Economia Feminista. São Paulo: SOF - Sempre Viva Organização Feminista, 2002.

MOLINA, Mônica Castagna. Educação do Campo e Pesquisa. Questões para Reflexão. Brasília: Ministério do Desenvolvimento Agrário, 2006.

MOORE, Carlos. O marxismo e a questão racial. Karl Marx e Friedrich Engels frente ao racismo e à escravidão. Belo Horizonte: Nandyala; Uberlândia: Cenafro, 2010.

MOTA, Maria Eleusa da; PAULA, Maysa do Carmo de. A questão de gênero no MST e a educação do campo. Rev. Ed. Popular, Uberlândia, v. 11, n. 2, p. 70-82, jul./dez. 2012.

OLIVEIRA, Esteves de. Gênero e Educação do Campo: a importância do debate e espaços possíveis. Revista InterAtividade, Andradina, SP, v.3, n.2, 2º sem. 2015.

PAULILO, Maria Ignês. Mulheres Rurais. Quatro décadas de diálogos. Editora UFSC: Florianópolis, 2016.

SAFFIOTI, Heleieth. Gênero, Patriarcado e Violência. São Paulo: Editora Fundação Perseu Abramo, 2004.




DOI: https://doi.org/10.32359/debin2019.v2.n5.p137-157



Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Sem derivações 4.0 Internacional.