HOLODECK EDUCACIONAL - Missão para Marte: em busca de vida

Renato Guedes dos Santos, David Dovoe Thornburg

Resumo


Sempre que pensamos em salas de aula nos vêm à mente um conjunto de mesas e cadeiras em filas onde os alunos se sentarão diante de um professor. Parece que ficamos presos a essa formação através dos séculos, como se estivéssemos diante do modelo ideal para ocorrência do ensino e da aprendizagem. Curiosamente, encontramos salas com esse padrão de configuração em imagens da Idade Média e em ambientes virtuais criados na perspectiva do ciberespaço. Pensando em contextos alternativos para a educação, em especial para crianças de até 14 anos no Ensino Fundamental, e visando estabelecer um modelo conceito para uma sala de aula inovadora, sem fileiras de cadeiras e apoiada pelo uso intensivo da internet e de recursos computacionais, estudantes do ensino fundamental participaram de uma experiência imersiva viajando em uma espaçonave simulada a partir do espaço próximo à Terra até a órbita de Marte para procurar por evidências de que o planeta vermelho tem ou teve vida um dia.  A originalidade do experimento despertou a curiosidade da George Lucas Educational Foundation que deslocou uma equipe cinematográfica da Edutopia até o Recife para produção de um documentário sobre essa metodologia. Este artigo relata como se deu o planejamento e a execução dessa experiência cuja didática abarcou o engajamento dos alunos, passou pela formação do pensamento profissional, pela ampliação do conhecimento dos estudantes através da descoberta e da resolução de problemas e chegou na identificação de aspectos vocacionais, de liderança e atitudinais.

Palavras-chave


holodeck educacional; aprendizagem imersiva; tecnologia educacional; jogos epistêmicos.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.36397/emteia.v3i1.2166

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

ISSN 2177-9309

Contato: revista.emteia@ufpe.br