CARACTERIZAÇÃO GEOFÍSICA DA ANOMALIA RIO SECO NO SUDESTE DO ESTADO DO PARÁ, POSSÍVEIS MINERALIZAÇÕES AURÍFERAS EM TERRENOS ARQUEANOS

Divanir Conego Junior, Lilia Silva, Vanessa Biondo, João Neto

Resumo


O sudeste do Estado do Pará é conhecido mundialmente pelas ocorrências de ouro em depósitos filoneanos (primários) e em depósitos placer (secundários). Os depósitos primários são bem menos pronunciados que os aluvionares. Essa região apresenta diversas anomalias magnéticas associadas principalmente ás ocorrências de ouro primário. Este trabalho teve como foco a caracterização geofísica da anomalia magnética Rio Seco, visando a proposição desta como um corpo mineralizado, através da determinação de suas principais características físicas e contexto geológico. O corpo anômalo possui formato irregular com extensão maior na direção NE-SW, obtido a partir do processamento e interpretação geofísica que é concordante com o trend estrutural da região. A profundidade média para a anomalia Rio Seco foi de 134 metros, obtida a partir da Deconvolução de Euler e o contraste de susceptibilidade varia de 0.028 a 0.146 SI obtido a partir da inversão 3D. Diante dos resultados obtidos existe a possibilidade de a anomalia Rio Seco ser uma intrusão que possui diferenciação magmática ou até mesmo ser um núcleo greenstone belt preservado tectonicamente. Furos de sondagem são necessários para confirmar as hipóteses sugeridas

Palavras-chave


Geofísica Aplicada, Província Mineral de Carajás, Inversão 3D, Magnetometria, Greenstone Belt

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.18190/1980-8208/estudosgeologicos.v27n2p123-142

Apontamentos

  • Não há apontamentos.