O FURO ESTRATIGRÁFICO DE RIACHO FECHADO (CURRAIS NOVOS/RN), DOMÍNIO RIO PIRANHAS-SERIDÓ (PROVÍNCIA BORBOREMA, NE BRASIL): PROCEDIMENTOS E RESULTADOS

Vlademir Cruz Medeiros, Rogério Cavalcante, André Luiz Carneiro da Cunha, Alexandre Ranier Dantas, Alan Pereira da Costa, Angeval Alves de Brito, Joseneusa Brilhante Rodrigues, Mateus de Araújo Silva

Resumo


O presente trabalho apresenta os procedimentos e a metodologia utilizada na execução do furo estratigráfico (1200m de profundidade) na região Riacho Fechado (Currais Novos/RN) pela CPRM-Companhia de Pesquisa e de Recursos Minerais (Serviço Geológico do Brasil), enfocando deste a instalação da sonda, aquisição de dados através dos testemunhos, até a obtenção de dados que permitissem uma modelagem geológica da região. O furo de sonda está inserido no Domínio Rio Piranhas-Seridó da Província Borborema (nordeste do Brasil), porção central do estado do Rio Grande do Norte, tendo como objetivo principal avaliar as relações/feições estratigráficas do Grupo Seridó, com ênfase a caracterizar uma possível inversão estratigráfica desta unidade na referida região, na qual estão presentes minas de scheelita, tais como Brejuí, Boca de Lages e Barra Verde. Com relação aos procedimentos do referido furo, é abordada a metodologia referente ao posicionamento da sonda, orientação de testemunho, além de medidas de atitudes (planares e lineares), registro/descrições e análises de Fluorescência de Raios-X (portátil) nos testemunhos. A descrição das litologias associadas as medidas/parâmetros estruturais obtidos nos testemunhos e em campo, permitiram caracterizar uma inversão estratigráfica do Grupo Seridó, materializada por uma dobra recumbente com superfície axial subhorizontalizada, provocando repetição de unidades/formações do Grupo Seridó, onde ressaltamos a Formação Jucurutu na porção inferior do furo, e consequentemente ampliação o potencial exploratório da região. Um biotita leucogranito equigranular com idade (U-Pb) em zircão de 561+4 Ma observado na profundidade de 167,25 a 171,78m é sugerido como provável fonte para os fluidos magmáticos responsáveis pelo transporte e precipitação das mineralizações de tungstênio e molibdênio na região. A integração e análise de mapas e seções geológicas, furos estratigráficos, dados aeromagnéticos e da bibliografia permitiram sugerir um modelo/configuração geológica da porção leste do Domínio Rio Piranhas-Seridó durante o Neoproterozoico, bem como sua configuração atual.

Palavras-chave


Inversão estratigráfica, Sondagem, Estratigrafia, Grupo Seridó, Mineralização

Texto completo:

PDF

Referências


Hollanda, M. H. B. M., Souza Neto, J. A., Archanjo, C. J., Stein, H., Maia, A. C. S., 2017. Age of the granitic magmatism and the W-Mo mineralizations in skarns of the Seridó belt (NE, Brazil) based on zircon U-Pb (SHRIMP) and Re-Os determinations, Journal of South American Earth Sciences (2017), doi: 10.1016/j.jsames.2017.07.011.

Jardim de Sá, E. F., 1984. Geologia da região Seridó: reavaliação de dados. In: SBG VIII Simp. Geol. Nordeste, 2003... Boletim 9 p.278-296.

Jardim de Sá, E. F., 1994 A Faixa Seridó (Província Borborema, NE do Brasil) e o seu significado geodinâmico na Cadeia Brasiliana/Pan-Africana. Brasília, 1994. 803p. 2 mapas. Tese de doutorado, Instituto de Geociências - UnB. 803p.

Jardim de Sá, E. F., Salim, J., 1980. Reavaliação dos conceitos estratigráficos na região do Seridó (RN-PB). Mineração e Metalurgia, 80(421):16-28.

Ludwig, K. R., 2003. Isoplot 3.00 - A Geochronological Tollkit for Microsoft Excel. Berkeley Geochronology Center, Special Publication No 4.

Medeiros, V. C., 2013. Geologia da Província Seridó. In: CPRM/UnB/SEBRAE I Seminário das Províncias Metalognéticas Brasileiras: A Província de W-Au Seridó. 2013


Apontamentos

  • Não há apontamentos.