Habilidades profissionais colaborativas para engenheiros por meio da geometria descritiva

Ana Cláudia Rocha Cavalcanti, Vandré Ricardo Pereira Melo, Flávio Antonio Miranda de Souza

Resumo


Os desafios profissionais contemporâneos nos campos das engenharias têm demandado novas habilidades em lidar com a forma, tanto nos meios de representação tradicionais e como nos meios digitais, dos quais, o lápis e papel e os aplicativos de auxílio ao projeto são coexistentes e complementares. A modelagem de objetos tem que ser precisa, antecipando erros para evitar desperdícios. A correção antecipada desses erros em sua fase projetual é, sem dúvida, fundamentada no conhecimento da geometria descritiva. Do ponto de vista das habilidades interpessoais, novas demandas têm sido freqüentes, tais como cooperação, colaboração, interatividade, entre outras. Portanto, esse artigo discute as experiências do ensino da geometria descritiva nos cursos de engenharia civil e engenharia mecânica da Universidade Federal de Pernambuco. O estudo faz uso de metodologias ativas de ensino e aprendizagem para a aquisição de visualização espacial que estimulam a colaboração para aprender a aprender num cenário de constantes inovações. Os estudantes utilizaram ferramentas tradicionais de desenho (lápis e papel) e ferramentas digitais (AutoCAD e SketchUp) aplicadas na resolução de problemas. A inovação refere-se ao uso de metodologias ativas para a apreensão de conteúdos e habilidades colaborativas. Os estudos apresentados demonstram que os estudantes assumiram papeis ativos na aquisição do conhecimento, interagindo e colaborando com diferentes grupos de trabalho.




Palavras-chave


Metodologias ativas; geometria descritiva; engenharias.

Texto completo:

PDF

Referências


BARROWS, H. S. Problem-based learning in medicine and beyond: A brief overview. In: WILKERSON, L.; GIJSELAERS, W. H. (Eds.). Bringing problem-based learning to higher education: theory and practice. San Francisco: Jossey-Bass, 1996, p. 3-12.

BARROWS, H. S. Problem-based learning applied to medical education. Springfield, IL: Southern Illinois University Press, 2000.

BONO, E. Serious creativity: using the power of lateral thinking to create new ideas. London, Harper Collins. 1992.

CARVALHO, GISELE L. de et al. The Integration of Graphic Disciplines in Civil Engineering Courses through Computer Graphics. Journal of Mechanics Engineering and Automation. v. 7, p. 94-100, 2017.

CAVALCANTI, A. C. R.; De SOUZA, F. A. M.; CARVALHO, G. L. Processos colaborativos na aprendizagem da geometria descritiva para o curso de engenharia civil. In: XLIII CONGRESSO BRASILEIRO DE EDUCAÇÃO EM ENGENHARIA, 2015, Mauá. Anais... Mauá-RJ, 2015.

CAVALCANTI, A. C. R. et al. Habilidade espacial e colaborativa dos estudantes de engenharia civil: adaptando PBL para o ensino-aprendizagem de geometria descritiva. In: CONGRESSO BRASILEIRO DE EDUCAÇÃO EM ENGENHARIA, 44., 2016, Natal. Anais... Natal-RN, 2016.

CAVALCANTI, A. C. R.; MELO, V. R. P.; De SOUZA, F. A. M. Contribuição da geometria descritiva para uma educação inovadora nas engenharias mecânica e civil. In: XLVI CONGRESSO BRASILEIRO DE EDUCAÇÃO EM ENGENHARIA, 46., 2018, Salvador. Anais... Salvador, 2018.

CAVALCANTI, Danuza; SILVA, Aparecida. Modelos didáticos de professores: concepções de ensino-aprendizagem e experimentação. In: XIV ENCONTRO NACIONAL DE ENSINO DE QUÍMICA, 2008, Curitiba. Anais… Curitiba, 2008.

CHANDRASEKARAN, S. et al. Learning through projects in engineering education. In: SOCIETÉ EUROPÉENNE POUR LA FORMATION DES INGÉNIEURS ANNUAL CONFERENCE, 40., 2012, Thessaloniki. Anais… Thessaloniki: SEFI, 2012.

EUROPEAN COMMISSION. European classification of skills/competences, qualifications and occupations. Publication Office of the European Union, Luxembourg, 2013.

GAVIN, K. Case study of a project-based learning course in civil. European Journal of Engineering Education, No. 36, Vol. 6, p. 547–558. 2011.

GIANNOTTI, M. et al. Proposta de aplicação do PBL nos cursos de engenharia. In: CONGRESSO BRASILEIRO DE EDUCAÇÃO EM ENGENHARIA, 36., 2008, São Paulo. Anais... São Paulo: ABENGE, 2008.

HMELO-SILVER, Cindy E. Problem-Based Learning: what and how do students learn? Educational Psychology Review, v.16, n.3, 2004, p. 235–266.

LEVIN, B. Energizing teacher education and professional development with problem-based learning. United States: ASCD, 2001.

LIBÂNEO, J. C. Didática. São Paulo: Cortez, 1990.

MAMEDE, S. Aprendizagem baseada em problemas: características, processos e racionalidade. In: MAMEDE, S.; PENAFORTE, J. (Orgs.). Aprendizagem baseada em problemas: anatomia de uma nova abordagem educacional. Fortaleza: Hucitec, 2001. p. 25-48.

MATÍNEZ, A. M. A criatividade como princípio funcional da aula: limites e possibilidades. In: VEIGA, I. P.A. (Org.) Aula: gênese, dimensões, princípios e práticas. Campinas: Papicus, 2008. p. 115-143.

MONTENEGRO, G. Habilidades espaciais: exercícios para o despertar de ideias. Santa Maria: sCHDs, 2003.

NORMAN, K. L. Spatial visualization: a gateway to computer-based technology. Journal of Special Educational Technology, v. XII, n. 3, 1994, p. 195-206.

PIMENTA, S. G.; ANASTASIOU, L. D. G. C. Docência no ensino superior. São Paulo: Cortez, 2002.

PRENDES ESPINOSA, Maria Paz. Análisis de imágenes en textos escolares. Pixel-Bit. Revista de Medios y Educación, 1996, n. 6, p. 15-39.

SEABRA, Rodrigo; SANTOS, Eduardo. Avaliando a aptidão espacial de estudantes em um curso de geometria gráfica. In: VII INTERNATIONAL CONFERENCE ON GRAPHICS ENGINEERING FOR ARTS AND DESIGN, 2007, Curitiba. Anais… Curitiba, 2007.

STACHEL, Hellmuth., Descriptive Geometry in today's engineering curriculum. Transactions of FAMENA Vol. 29 N. 2 , 2005, pp. 35-44.

UTTAL, D. et al. The malleability of spatial skills: a meta-analysis of training studies. Psychological Bulletin, 2013, v. 139, n. 2, p. 352–402.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.