Avaliação Comparativa dos Modelos de Precificação de Employee Stock Opitions

Herbert Kimura, Leonardo Fernando Cruz Basso, André Wakamatsu

Resumo


Os planos de remuneração variável de opções sobre ações têm sido amplamente discutidos,
tanto por acadêmicos quanto por praticantes, para identificar falhas nos atuais programas de
stock options e para propor alternativas que aprimorem os mecanismos de remuneração de
longo prazo, diminuindo conflitos de agência. Neste artigo são avaliados todos os modelos
tradicionais de precificação de opções: 1) o modelo do FASB, 2) modelo de Hull-White e 3)
modelo de Ammann-Seiz baseado em árvores binomiais  em que são analisados os diferentes
aspectos com relação ao exercício da opção como, por exemplo, a possibilidade de exercício
antecipado após o período de carência e uma potencial escolha sub-ótima do momento de
exercício. Alguns modelos foram implementados computacionalmente para propiciar a
identificação da magnitude das diferenças nas estimativas de preço justo. Também são
realizadas comparações entre os modelos e análises de variações do preço justo em função de
modificações nos parâmetros de entrada. Nesta análise verificou-se que o modelo de Hull-White
tem um comportamento diferenciado em relação aos demais e que o comportamento dos
modelos da FASB e de Ammann-Seiz é muito parecido em relação aos parâmetros analisados. O
modelo de maximização de utilidade não é estudado em função da dificuldade de se estabelecer
parâmetros de aversão a risco, riqueza inicial e taxa de retorno esperada da ação para o
conjunto de executivos.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


..................................................................................................................................................................................................................................................................................