COMPORTAMENTO DAS FIRMAS EM REDES DE PRODUÇÃO

Francisco Pinto, Elizabeth Loiola

Resumo


Este artigo tem por objetivo avaliar os comportamentos adotados por firmas inseridas em redes de
produção, para a identificação de comportamentos predominantes. Foi elaborado um modelo de
análise, que propõe que o comportamento pode ser definido pelas dimensões confiança –
desdobrada nos componentes transparência, honestidade e relacionamento interpessoal – e pela
flexibilidade – subdividida em pró-atividade e reconfiguração. A partir de um questionário, montado
com base no modelo  e composto de questões fechadas com escala qualitativa, é calculado um
valor para cada uma das dimensões, que compõem a matriz ConFlex, onde o comportamento
predominante pode ser encontrado. Foram pesquisadas três redes de produção. Os testes
estatísticos sugerem a consistência das relações propostas para o comportamento e as dimensões.
Encontrou-se relação estatisticamente significante entre a confiança e seus componentes
transparência e honestidade, mas a relação entre confiança e relacionamento interpessoal não foi
estaticamente significante. A relação entre a  flexibilidade e seus componentes se revelou
estatisticamente significante. Em duas das redes pesquisadas, os comportamentos identificados
situaram-se na célula “competição baixa”, da ConFlex. Para a outra rede, o resultado encontrado
localizou-se na célula “cooperação alta”.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


..................................................................................................................................................................................................................................................................................