AS RELAÇÕES DE CONFIANÇA, APRENDIZAGEM E CONHECIMENTO EM UMA REDE DO SETOR IMOBILIÁRIO

Juliano Nunes Alves, Laércio André Gassen Balsan, Gilnei Luiz de Moura, Breno Augusto Diniz Pereira

Resumo


Os conflitos advindos das divergências de interesses entre a empresa e os seus administradores têm sido objeto de estudo no contexto organizacional. Um dos problemas relacionado a estes conflitos é o risco moral, o qual caracteriza-se por um comportamento oportunista da parte do administrador após o contrato ter sido firmado. A fim de minimizar este problema, os proprietários da empresa podem utilizar-se de incentivos, os quais têm a importante função de alinhar os interesses do administrador aos seus próprios, minimizando o risco moral e estabelecendo uma posição de vantagem competitiva para a empresa. O objetivo deste trabalho consiste em analisar a influência do tipo de incentivo (pecuniário, não pecuniário e misto) na intenção de risco moral do administrador. O método utilizado foi um quase-experimento, o qual foi aplicado em duplas e em três rodadas, contemplando os três tipos distintos de incentivos. Os resultados demonstraram que o tipo de incentivo não influenciou, de forma significativa, nas respostas dos pesquisados. Porém, um efeito interativo, advindo do não conhecimento prévio do parceiro, foi detectado na relação entre o tipo de incentivo e a intenção de risco moral, provocando um aumento significativo quando o incentivo pecuniário foi utilizado.

 

Palavras-chave: Risco Moral. Incentivos. Teoria da Agência.


Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


..................................................................................................................................................................................................................................................................................