A EXPERIÊNCIA DE CONSUMO DE APLICATIVOS DE TRANSPORTE PARTICULAR: UM ESTUDO NA CIDADE DE RECIFE

Natália Karine Almeida de Jesus, Angela Cristina Rocha de Souza, Ionete Cavalcanti de Moraes, Maria Iraê de Souza Corrêa

Resumo


Este estudo teve como objetivo analisar a experiência de consumo de usuários de aplicativos voltados à mobilidade urbana, especificamente os de transporte particular. Desenvolvemos uma pesquisa descritiva e qualitativa cujos dados foram analisados utilizando-se da análise de conteúdo. Os resultados ratificam os elementos indicados por Lofman (1991), com exceção do elemento “estímulos sensoriais”. Os significados e elementos da experiência encontrados sinalizam que o uso dos aplicativos vem preencher mais do que uma necessidade funcional de transporte. Eles atendem outras necessidades, afetivas, relacionadas ao bem estar do consumidor que envolvem, por exemplo, ficar tranquilo e sentir segurança. Concluímos que o uso do aplicativo extrapola a perspectiva racional do consumo, incorporando também os aspectos de natureza sociocultural, significados e sentimentos. Assim, esse estudo contribui para diminuir a lacuna de conhecimento que envolve a compreensão dos elementos que compõem a experiência de consumo de produtos tecnológicos, ao identificar a presença de aspectos emocionais no consumo desses produtos.


Palavras-chave


Experiência de consumo; Comportamento do consumidor; Consumo de tecnologia; Aplicativos de transporte particular

Texto completo:

PDF

Referências


ADDIS, M.; HOLBROOK, M. B. On the conceptual link between mass customization and experiential consumption: an explosion of subjectivity. Journal of Consumer Behaviour, v. 1 (1), Jun.. 2001. Disponível em: https://onlinelibrary.wiley.com/doi/pdf/10.1002/cb.53. Acesso em: 22 out. 2017.

ALVARES, L. F. H. Quando risco e sensações encontram-se na teia: uma investigação empírica da relação entre a busca de sensações e o risco percebido em compras pela web. 2004. 250 f. Tese (Doutorado em Administração)–Instituto COPPEAD de Administração, Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2004. Disponível em: http://www.coppead.ufrj.br/upload/publicacoes/Tese_Luis_Alvares.pdf. Acesso em: 15 set. 2017.

BARBOSA, L. Cultura, consumo e identidade: limpeza e poluição na sociedade brasileira contemporânea. In: BARBOSA, L.; CAMPBELL, C. (Org.). Cultura, consumo e identidade. Rio de Janeiro: FGV, 2006.

BITNER, M. J. Servicescapes: the input of physical surroundings on customers and employees. In: BATESON, John. Managing services marketing: text and readings. 3a Ed. Orlando: The Dryden Press, 1992. Disponível em: https://pdfs.semanticscholar.org/2acb/77daf7ba60eb523c276a8c6260f6ed076a12.pdf. Acesso: 12. jan. 2018.

CAPELAS, B. Uber tem 13 milhões de usuários no Brasil. O Estado de São Paulo. Abril, 2017. Disponível em: https://link.estadao.com.br/noticias/geral,uber-tem-13-milhoes-de-usuarios-no-brasil,70001726602. Acesso em: 7 mar. 2018.

CORREA, R. S.; PINTO, M. R.; BATINGA, G. L. A Beleza na escuridão: um “olhar” sobre a experiência de consumo por mulheres deficientes visuais em serviços de beleza e estética. Revista Ciências Administrativas, v. 22, n. 2, p. 371-395, 2016. Disponível em: http://www.spell.org.br/documentos/ver/44408/a-beleza-na-escuridao--um----olhar----sobre-a-experiencia-de-consumo-por-mulheres-deficientes-visuais-em-servicos-de-beleza-e-estetica/i/pt-br. Acesso em: 02. out. 2017.

DAMIAN, I. P. M.; MERLO, E. M. O papel da qualidade do serviço e da imagem da loja na experiência de consumo de serviços automotivos. REGE: Revista de Gestão, São Paulo, v. 21, n. 2, p. 269-282, 2014. Disponível em: < http://www.regeusp.com.br/arquivos/2014.2.7.pdf>. Acesso em: 6 set. 2017.

FGV. 29ª Pesquisa anual do uso de TI. 2018. Disponível em: https://eaesp.fgv.br/sites/eaesp.fgv.br/files/pesti2018gvciappt.pdf. Acesso em: 10 jul. 2018.

GENTILE, C.; SPILLER, N.; NOCI, G. How to sustain the customer experience: an overview of experience components that co-create value with the customer. European Management Journal. v. 25, n. 5, p. 395–410, 2007. Disponível em: https://ac.els-cdn.com/S0263237307000886/1-s2.0-S0263237307000886-main.pdf?_tid=spdf-713f9714-c121-4418-9094-f415791ffb09&acdnat=1519755261_e024c8193b642f00a4ed2b1f267b009d. Acesso em: 23 fev. 2018.

GIESLER, M.; VENKATESH, A. Reframing the embodied consumer as cyborg: a posthumanist epistemology of consumption. Advances in Consumer Research, v. 32, p. 1-9, 2005. Disponível em: file:///C:/Users/Acsouza/Downloads/Reframing_the_Embodied_Consumer_as_Cyborg_A_Posthu.pdf. Acesso em 11 out. 2017.

GUIMARÃES, P. R. B. Métodos quantitativos estatísticos. Curitiba: IESDE Brasil S.A., 2008. Disponível em: http://people.ufpr.br/~prbg/public_html/ce003/LIVRO1.pdf. Acesso em: 17 abr. 2018.

HOLBROOK, M. B. The millennial consumer in the texts of our times: experience and entertainment. Journal of Macromarketing. v. 20, n. 2, p. 178-192, Dec. 2000. Disponível em: https://db.tt/92dsJMrp28. Acesso: 22. nov. 2017.

____.; HIRSCHMAN, E. The experiential aspects of consumption: consumer fantasies, feeling and fun. Journal of Consumer Research, v. 9, n. 2, p. 132-141, Sept. 1982. Disponível em: http://www.mastermarketing.dauphine.fr/fileadmin/mediatheque/masters/master204/documents/Holbrook_-_10.pdf. Acesso em 20 set. 2017.

KANTAR TNS. E-hailing puts the brakes on traditional mobility. Disponivel em: http://www.tnsglobal.com/press-release/e-hailing-puts-brakes-traditional-mobility. Acesso em: 19 set. 2017.

KRANZBÜHLER, A-M.; KLIJNEN, M. H. P..; MORGAN, R. E.; TEERLING, M. The multilevel nature of customer experience research: an integrative review and research agenda. International Journal of Management Reviews, v. 20, p. 433–456, 2018. Disponível em: https://onlinelibrary.wiley.com/doi/epdf/10.1111/ijmr.12140. Acesso em: 10 set. 2019.

LI, M.; DONG, Z. Y.; CHEN, X. Factors influencing consumption experience of mobile commerce. Internet Research, v. 22, n. 2, p. 120-141, 2012. Disponível em: https://www.emerald.com/insight/content/doi/10.1108/10662241211214539/full/html. Acesso em 12 set. 2019.

LOFMAN, B. Elements of experiential consumption: an exploratory study. Advances in Consumer Research, v. 18. 1991. Disponível em: http://acrwebsite.org/volumes/7243/volumes/v18/NA-18. Acesso em: 09 nov. 2017.

MADZHAROV, A.; BLOCK, L.; MORRIN, M. The cool scent of power: effects of ambient scent on consumer preferences and choice behavior. Advances in Consumer Research, v. 42, p. 593-595, 2015. Disponível em: https://journals.sagepub.com/doi/10.1509/jm.13.0263. Acesso em: 13 set. 2019.

MCCARTHY, J.; WRIGHT, P. Technology as experience. Cambridge: The MIT Press, 2004. Disponível em: https://www.researchgate.net/publication/224927635_Technology_as_Experience. Acesso em: 14 fev. 2018.

PALMER, A. Customer experience management: a critical review. Journal of Services Marketing. v. 24, n. 3, p. 196–208, 2010. Disponível em: http://www-emeraldinsight-com.ez19.periodicos.capes.gov.br/doi/pdfplus/10.1108/08876041011040604. Acesso em: 14 fev. 2018.

PINE, J; GILMORE II, J. H. Welcome to the experience economy. Harvard Business Review. v. 76, July-August, 1998. Disponível em: http://go-galegroup.ez19.periodicos.capes.gov.br/ps/retrieve.do?tabID=T002&resultListType=RESULT_LIST&searchResultsType=SingleTab&searchType=AdvancedSearchForm&currentPosition=13&docId=GALE%7CA20916746&docType=Article&sort=RELEVANCE&contentSegment=&prodId=AONE&contentSet=GALE%7CA20916746&searchId=R1&userGroupName=capes&inPS=true. Acesso em: 14 fev. 2018.

SCHMITT, B. H. Experiential Marketing. In: Journal of Marketing Management. n. 15. [S.l]: Westburn Publishers Ltd, 1999. Disponível em: https://www.tandfonline.com/doi/pdf/10.1362/026725799784870496. Acesso em: 22 out. 2018.

____. Marketing experimental. São Paulo: Nobel, 2000. Disponível em: https://books.google.com.br/books?hl=pt-PT&lr=&id=5jX_uz-dzP4C&oi=fnd&pg=PT12&dq=Schmitt+2000+marketing+experimental&ots=a_37ruwD8J&sig=5lvvWSFBjwIul51DscYbYSrhzNk#v=onepage&q=Schmitt%202000%20marketing%20experimental&f=false. Acesso em: 23. set. 2017.

____. Gestão da experiência do cliente: uma revolução no relacionamento com os Consumidores. Porto Alegre: Bookman, 2004.

SOUZA, R. V. Comportamento do consumidor e consumo de tecnologia: perspectivas de investigação na sociedade contemporânea. In: Encontro de Marketing da ANPAD, IV, 2010, Florianópolis. Anais... Florianópolis, 2010. Disponível em: http://www.anpad.org.br/admin/pdf/ema338.pdf. Acesso em: 12 dez. de 2017.

TOMTOM. TomTom Traffic Index. Full ranking 2017. Disponível em: https://www.tomtom.com/en_gb/traffic-index/ranking/?country=BR. Acesso em: 29 jul. 2019.

ZILLES, F. “Se meu jipe falasse: a experiência de consumo dos usuários off-road.” 2006. 172 f. Dissertação (Mestrado em Administração)–Escola de Administração, Programa de Pós-graduação em Administração, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2006. Disponível em: http://www.lume.ufrgs.br/bitstream/handle/10183/6197/000526782.pdf?sequence=1. Acesso em: 7. set. 2017.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA E DE EMPRESAS, CIÊNCIAS CONTÁBEIS E TURISMO: B4; CIÊNCIAS AMBIENTAIS: B5; COMUNICAÇÃO E INFORMAÇÃO: B5; ECONOMIA: B5; INTERDISCIPLINAR: B5; SOCIOLOGIA: B4. 

 

Publicação e Apoio:

 

 

RGP está indexada em:

 

Instituições de referência para a RGP: