ORIENTAÇÕES PARA ESCRITA DA REDAÇÃO DO ENEM EM VÍDEOS DO YOUTUBE

Wanderleya Magna Alves, José Cezinaldo Rocha Bessa

Resumo


O artigo analisa orientações para a produção da redação do ENEM
expressas em vídeos do YouTube, focalizando aspectos explorados na produção do texto dissertativo e concepções sobre a produção escrita que as sustentam. Reportando-nos a pressupostos dos estudos do texto e do discurso alinhados a uma perspectiva interacional de linguagem e pautando-nos numa orientação de pesquisa qualitativa e interpretativa, analisamos vídeos do YouTube que visam a ensinar os internautas a escrever redações para o ENEM. Os resultados sinalizam, dentre outros achados, que as orientações apresentadas nos vídeos atendem exigências específicas do “modelo” de texto que se propõe ensinar, comportando, em geral, aspectos de organização textual e linguístico-gramatical, afastando-se, assim, de uma compreensão de produção textual escrita como atividade autêntica de
interlocução.


Palavras-chave


Redação do ENEM; Escrita; YouTube.

Texto completo:

PDF

Referências


ANTUNES, I. Aula de Português: encontro e interação. São Paulo: Parábola

Editorial, 2003.

ANTUNES, I. Avaliação da produção textual no Ensino Médio. In: MENDONÇA, M. &

BUNZEN, C. (Orgs.). Português no ensino médio e formação do professor. São

Paulo: Parábola editorial, 2006, p.163-180.

ARAÚJO, J. C. (Org.). Internet & ensino: novos gêneros, outros desafios. Rio de

Janeiro: Lucerna, 2007.

BAKHTIN, M. Estética da criação verbal. 4. ed. Tradução de Paulo Bezerra. São

Paulo: Martins Fontes, 2003.

BAKHTIN, M. Os gêneros do discurso. Organização, tradução, posfácio e notas de

Paulo Bezerra. Notas à edição russa de Serguei Botcharov. São Paulo: Editora 34,

BESSA, J. C. R. Lições que Clarice Lispector nos ensina sobre a escrita.

Entrelinhas (UNISINOS. Online), v. 9, n. 2, p. 193-202, 2015.

BESSA, J. C. R., et al.; Cotejo como proposta metodológica para o trabalho com o

texto na sala de aula. In: Palavras e contrapalavras: entendendo o cotejo como

proposta metodológica. São Carlos/SP. Pedro e João Editores, 2017, p. 148-163.

BESSA, J. C. R.; BERNARDINO, R. A. S. Equívocos em torno da escrita: o caso das

dicas de produção de textos em vídeos do YouTube. Domínios de Lingu@Gem, v.

, n. 1, p. 174 - 191, 2016.

BRITTO, L. P. L. O ensino da leitura e da escrita numa perspectiva transdisciplinar.

In: CORREA, D. A.; SALEH, P. B. O. (Org.). Práticas de letramento no ensino:

leitura, escrita e discurso. São Paulo: Parábola editorial, 2007, p. p. 53 -77.

BULL, G. et al. Connecting informal and formal learning: Experiences in the age of

participatory media. Contemporary Issues in Technology and Teacher

Education, v. 8, n. 2, p. 100-107, 2008.

COSCARELLI, C. V. Letramento digital no Inaf. Linguagem & Ensino, Pelotas, v.20,

n.1, p. 153-174, jan./jun. 2017.

PASQUIER, A.; DOLZ, J. Um decálogo para ensinar a escrever. Cultura y

Educación, 2: 31-41. Madrid: Infância y aprendizaje. Tradução de R. H. R. Rojo.

Circulação restrita, 1996.

GERALDI, J. W. Textos de Arquivo XV: Práticas de leitura de textos na escola.

b. Disponível em:

eitura+de+textos+na+escola>. Acesso em: 10 nov. 2017a.

GERALDI, J. W. Textos de arquivo XVIII. Práticas de produção de textos na escola.

a. Disponível em:

producao-de-textos-na-escola/>. Acesso em: 01 dez., 2017b.

GERALDI, J. W. Concepções de linguagem e ensino de português. In: GERALDI, J.

W. ALMEIDA, M. J [et al]. (Org). O texto na sala de Aula. 4. ed. São Paulo, Ática,

a. p. 39-45.

GERALDI, J. W. Escrita, uso da escrita e avaliação. In: GERALDI, J. W. (Org.). O

texto na sala de aula. São Paulo: Anglo, 2012b, p. 127-129.

INSTITUTO NACIONAL DE ESTUDOS E PESQUISAS EDUCACIONAIS ANÍSIO

TEIXEIRA (INEP). Redação no ENEM 2018 - cartilha do participante. Brasília, 2018.

Documento eletrônico. Disponível em:

http://download.inep.gov.br/educacao_basica/enem/guia_participante/2018/manual_

de_redacao_do_enem_2018.pdf>. Acesso em: 30 out. 2018.

JESUS, R. B.; PETRONI, M. R. O gênero do discurso Artigo de opinião em

atividades de leitura e escrita no Ensino Fundamental. In: PETRONI, M. R. (Org.).

Gêneros do discurso, leitura e escrita: experiências de sala de aula. São Carlos:

Pedro & João Editores, 2008, p. 69-91.

LOPES-ROSSI, M. A. G. Práticas de leitura de gêneros discursivos: A reportagem

como proposta. In: PETRONI, M. R. (Org.). Gêneros do discurso, leitura e escrita:

experiências de sala de aula. São Carlos: Pedro & João Editores, 2008, p. 51-68.

LUCENA, C.; FUKS, H. Professores e aprendizes na web: a educação na era da

Internet. Rio de Janeiro: Clube do Futuro, 2000.

MARCUSCHI, L. A. Produção textual, análise de gêneros e compreensão. São

Paulo: Parábola, 2008.

MATTAR, J. Youtube na educação: o uso de vídeos em Ead. São Paulo/SP, p. 1-

, 2009

MORAN, J. M. Como utilizar a internet na Educação. Ciência da Informação,

BRASÍLIA, v. 26, n. 2, p. 146-153, 1997.

MORAN, J. M. Os novos espaços de atuação do professor com as tecnologias.

Revista Diálogo Educacional, Curitiba, PR, v. 4, n.12, p. 13-21, 2004.

OLIVEIRA, L. A. Coisas que todo professor de português precisa saber: a teoria

na prática. São Paulo: Parábola Editorial, 2010.

PETRONI, M. R. Gêneros do discurso, leitura e escrita: experiências de sala de aula.

In: Gêneros do discurso, leitura e escrita: experiências de sala de aula. Maria

Rosa Petroni (Org.). São Carlos: Pedro e João Editores, 2008, p. 9-16.

POUTS-LAJUS, S; RICHÉ-MAGNIER, M. A escola na era da internet: os desafios

do multimídia na educação. Lisboa: Instituto Piaget, 2000.

RIBEIRO, A. E. Tecnologia digital e ensino: breve histórico e seis elementos para a

ação. Linguagem & Ensino, Pelotas, v.19, n.2, p. 91-111, jul./dez. 2016.

ROJO, R.; CORDEIRO, G. S. Apresentação: Gêneros orais e escritos como objetos

de ensino: modo de pensar, modo de fazer. In: Gêneros orais e escritos na

escola/ tradução e organização Roxane Rojo e Glaís CORDEIRO. Campinas, SP:

Mercado de Letras, 2004, p. 07-18.

ROTTAVA, L. Concepções de leitura e de escrita: um contraponto entre professores

em formação de português, inglês e espanhol. In: ROTTAVA, L.; LIMA, M. S. (Orgs.).

Linguística aplicada: relacionando teoria e prática no ensino de línguas. Ijuí: Ed.

UNIJUÍ, 2004, p. 111-138.

SOUSA, R. P. de; MOITA, F. da M. C da S. C.; CARVALHO, A. B. G. Tecnologias

digitais na educação. Campina Grande: EDUEPB, 2011.

VIDON, L. N. Letramento escolar e ensino do texto: entre a tipologia textual e os

gêneros do discurso. Estudos lingüísticos, São Paulo, v. 44, n. 2, p. 480-190,

maio/ago., 2015.

WACHOWICZ, T. C. Análise linguística nos gêneros textuais. São Paulo:

Saraiva, 2012.

XAVIER, A. C. S. Letramento digital: impactos das tecnologias na aprendizagem da

Geração Y. Calidoscópio, v. 9, n. 1, p. 3-14, jan./abr. 2011.

ZANCHETA JR., J. Como usar a internet na sala de aula. São Paulo: Contexto,




DOI: https://doi.org/10.12345/htxt.v19i1.247974

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


2007 - 2020 © Hipertextus Revista Digital - ISSN: 1981-6081 - E-mail: hipertextusrevistadigital@gmail.com
Universidade Federal de Pernambuco - Departamento de Letras - Núcleo de Estudos de Hipertexto e Tecnologia Educacional