O USO DO TELEFONE CELULAR EM SALA DE AULA: O OLHAR DE DOIS ALUNOS-PROFESSORES

Marcus de Souza Araújo

Resumo


O objetivo deste estudo de caso é apresentar o olhar reflexivo de dois alunos do curso de Letras-Inglês a respeito do uso do telefone celular em sala de aula para fins pedagógicos. O resultado indica que o telefone móvel pode ocupar uma posição primária integrada às atividades desenvolvidas pelo professor no ensino-aprendizagem.


Palavras-chave


Telefone celular; Fins pedagógicos; Ensino-aprendizagem.

Texto completo:

PDF

Referências


BATES, A. W. T. Educar na era digital: design, ensino e aprendizagem. São Paulo:

Artesanato Educacional, 2016.

BARBOSA, A. F. Introdução. In: Pesquisas sobre o uso das tecnologias da

informação e comunicação nas escolas brasileiras. São Paulo: Comitê Gestor da

Internet no Brasil, 2017.

BRAGA, D. B. Ambientes digitais: reflexões teóricas e práticas. São Paulo: Cortez,

CASTELLS, M. A galáxia da internet: reflexões sobre a internet, os negócios e a

sociedade. Rio de Janeiro: Zahar, 2003.

COMITÊ GESTOR DA INTERNET NO BRASIL. Pesquisa sobre o uso das

tecnologias de informação e comunicação nas escolas: TIC Educação 2013. São

Paulo: CGI.br, 2014.

CORTELLA, M. S. Educação, escola e docência: novos tempos, novas atitudes. São

Paulo: Cortez, 2014.

FAVA, R. Educação para o século 21: a era do indivíduo digital. São Paulo: Saraiva,

GIL, J. M. S., HERNÁNDEZ-HERNÁNDEZ, F. Dos “porquês” e “comos” por trás de

uma pesquisa sobre aprender a ser docente de ensino fundamental. In: GIL, J. M. S.,

HERNÁNDEZ-HERNÁNDEZ, F. (org.). Professores na incerteza: aprender a

docência no mundo atual. Porto Alegre: Penso, 2016.

GÓMEZ, A. P. O pensamento prático do professor: a formação do professor como

profissional reflexivo. In: NÓVOA, A. (coord.). Os professores e a sua formação.

Lisboa: Dom Quixote, 1995.

IANNONE, L. R.; ALMEIDA, M. E. B.; VALENTE, J. A. Pesquisa TIC Educação: da

inclusão para a cultura digital. In: Pesquisas sobre o uso das tecnologias de

informação e comunicação nas escolas brasileiras: TIC Educação 2015. São

Paulo: Comitê Gestor da Internet no Brasil, 2016.

KENSKI, V. M. Tecnologias e ensino presencial e a distância. 9a ed. Campinas:

Papirus, 2012.

LABRA, J. P.; CATASÚS, M. G.; AVI, B. R. La innovación y La tecnologia educativa

como base de La formación inicial del professorado para La renovación de La

enseñanza. RELATEC – Revista Lationoamericana de Tecnologia Educativa. v. 14, n.

, p. 101-114, 2015. Disponível em http://relatec.unex.es. Acesso em 30 jan. 2018.

MCQUIGGAN, S. et al. Mobile learning – a handbook for developers, educators, and

learners. New Jersey: Wiley, 2015.

MERIJE, W. Mobimento: educação e comunicação mobile. São Paulo: Peirópolis,

MORAN, J. M. Ensino e aprendizagem inovadores com apoio de tecnologias. In:

Moran, J. M.; MASETTO, M. T.; BEHRENS, M. A. Novas tecnologias e mediação

pedagógica. 21a ed. rev. e atual. Campinas: Papirus, 2013.

MUNHOZ, A. S. Projeto instrucional para ambiente virtuais. São Paulo: Cenage

Learning, 2016.

PISCHETOLA, M. Inclusão digital e educação: a nova cultura da sala de aula.

Petrópolis: Vozes, 2016.

PÉREZ GÓMEZ, Á. I. P. Educação na era digital: a escola educativa. Porto Alegre:

Penso, 2015.

PRENSKY, M. From digital natives to digital wisdom: hopeful essays for 21st

century learning. California: Corwin, a Sage Company, 2012.

SANCHO, J. M. De tecnologias da Informação e Comunicação a Recursos

Educativos. In: SANCHO, J. M.; HERNÁNDEZ, F. (org.). Tecnologias para

transformar a educação. Porto Alegre: Artmed, 2006.

SCHÖN, D. A. Formar professores como profissionais reflexivos. In: NÓVOA, A.

(coord.). Os professores e a sua formação. Lisboa: Dom Quixote, 1995.

SERRES, M. Polegarzinha – uma nova forma de viver em harmonia, de pensar as

instituições, de ser e de saber. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2013.

SONEGO, A. H. S. et al. Mobile learning: pedagogical strategies for using applications

in the classroom. INTERNATIONAL CONFERENCE MOBILE LEARNING, 12th

Vilamoura, Algarve, Portugal. Proceedings... Vilamoura: IADIS, 2016. 186 p.

STAKE, R. E. The art of case study research. Londres: SAGE Publications, 1995.

UNESCO. Diretrizes de políticas para a aprendizagem móvel. 2014.

VEEN, W.; VRAKKING, B. Homo zappiens: educando na era digital. Porto Alegre: Artmed, 2009.

YIN, R. K. Pesquisa qualitativa do início ao fim. Porto Alegre: Penso, 2016.




DOI: https://doi.org/10.12345/htxt.v19i1.247980

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


2007 - 2020 © Hipertextus Revista Digital - ISSN: 1981-6081 - E-mail: hipertextusrevistadigital@gmail.com
Universidade Federal de Pernambuco - Departamento de Letras - Núcleo de Estudos de Hipertexto e Tecnologia Educacional