PORTUGUÊS BRASILEIRO EM FOCO: SUBSTITUIÇÃO DO PRONOME CLÍTICO DE TERCEIRA PESSOA COMO OBJETO PELO PRONOME RETO DE TERCEIRA PESSOA EM MEMES

Larissa Gabrielle Lucena Marques, Caroline da Silva Soares

Resumo


Este artigo trata sobre a substituição do pronome clítico de terceira pessoa como objeto pelo pronome reto de terceira pessoa em memes em redes sociais. Assim, objetiva verificar como vem ocorrendo a substituição do pronome clítico de terceira pessoa como objeto pelo pronome reto de terceira pessoa em memes no Facebook. Apresenta uma análise de três exemplares do gênero retirados de diversas páginas. Os resultados apontam que a substituição do pronome clítico como objeto pelo pronome reto de terceira pessoa vem ocorrendo de forma recorrente nos memes, o que reforça esta como uma característica própria do português brasileiro (PB). Ademais, foi possível perceber também que está havendo um processo de apagamento dos clíticos no PB devido aos poucos casos de sua utilização nos memes analisados.


Palavras-chave


Substituição pronominal. Português brasileiro. Memes

Texto completo:

PDF

Referências


BAGNO, Marcos. Eu consolo ele, ele me consola: as estratégias de

pronominalização. In: ______. Português brasileiro? : um convite à pesquisa. 4.

ed. São Paulo: Parábola Editorial, 2004, pp. 99-108.

BAKHTIN, Mikhail Mikhailovich. Gêneros do Discurso. In: ______. Estética da

criação verbal. São Paulo: Martins Fontes, 1997.

BARRETO, Krícia Helena. Os memes e as interações sociais na internet: Uma

interface entre práticas rituais e estudos de face. Tese (doutorado) – Universidade

Federal de Juiz de Fora, Faculdade de Letras. Programa de Pós-Graduação em

Linguística, 2015. Disponível em: .

Acesso em: 09/04/2018.

BATISTA, Ronaldo de Oliveira. A palavra e a sentença: estudo introdutório. São

Paulo: Parábola Editorial, 2011.

BIEMBENGUT SANTADE, Maria Suzett. A metodologia de pesquisa: instrumentais e

modos de abordagem. In: SIMÕES, Darcilia; GARCÍA, Flavio (Orgs.). A pesquisa

científica como linguagem e práxis. Rio de Janeiro: Dialogarts, 2014, pp. 95-109.

CASTILHO, Ataliba T. de; ELIAS, Vanda Maria. Pequena gramática do português

brasileiro. São Paulo: Contexto, 2015.

CUNHA, Angélica Furtado da. Funcionalismo. In: MARTELOTTA, Mário Eduardo

(org.). Manual de linguística. 2. ed. São Paulo: Contexto, 2016, pp. 157-176.

GODOY, Arilda Schmidt. Pesquisa qualitativa: tipos fundamentais. Rev. Adm.

Empres. São Paulo, v. 35, n. 3, Mai./Jun., 1995, pp. 20-29. Disponível em:

>. Acesso em: 13/05/2018.

GUERREIRO, Anderson; SOARES, Neiva Maria Machado. Os memes vão além do

humor: uma leitura multimodal para a construção de sentidos. Florianópolis/SC, v.

, n. 2, p. 185-208, jul./dez., 2016. Disponível em:

2016v12n2p185>. Acesso em: 09/04/2018.

MARCUSCHI, Luiz Antônio. Gêneros textuais: definição e funcionalidade. In:

DIONIZIO, Angela Paiva; MACHADO, Anna Rachel; BEZERRA, Maria Auxiliadora

(orgs.). Gêneros textuais e ensino. 5. ed. Rio de Janeiro: Lucerna, 2007, pp. 19-36.

MENON, O. P. S. O sistema pronominal do português do Brasil. Curitiba: Letras,

, p. 91-106. Disponível em: .

Acesso em: 03/12/2017.

NEVES, Maria Helena de Moura. Estudar os usos linguísticos. Ou: a visão

funcionalista da linguagem. In: ______. Texto e gramática. 2. ed. São Paulo:

Contexto, 2013, pp. 15-34.

SAUTCHUK, Inez. A classificação morfológica das palavras. In: ______. Prática de

morfossintaxe. 2. ed. São Paulo: Manole, 2010, pp. 15-36.

SEVERINO, Antônio Joaquim. Metodologia do trabalho científico. 23.ed. São

Paulo: Cortez, 2007.

SILVA, Antônio Carlos Ribeiro da. Metodologia da pesquisa aplicada à

contabilidade. 2.ed. São Paulo: Atlas, 2008.

SILVA, C. R. T.; SILVA, F. E. V. Aspectos morfossintáticos do português

brasileiro sob a ótica das gramáticas contemporâneas: contribuições da

gramática gerativa. PPGL/UFPB, 2014. Disponível em:

. Acesso em:

/12/2017.

SOBREIRA, R. T. Bode Gaiato. Museu de memes, 2017. Disponível em:

. Acesso em:

/05/2018.

SOUZA, Carlos Fabiano de. Memes: formações discursivas que ecoam no

ciberespaço. Campos dos Goytacazes/RJ: Vértices, 2013, p. 127-148. Disponível

em: . Acesso

em: 04/12/2017.




DOI: https://doi.org/10.12345/htxt.v20i1.247996

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


2007 - 2020 © Hipertextus Revista Digital - ISSN: 1981-6081 - E-mail: hipertextusrevistadigital@gmail.com
Universidade Federal de Pernambuco - Departamento de Letras - Núcleo de Estudos de Hipertexto e Tecnologia Educacional