“Hoy me siento uma mujer empoderada”: Empoderamento femenino rural en el proyecto “sonhos de Maria” en el município de Missão Velha – Ceará, Brasil

Antoniel dos Santos Gomes Filho, Gustavo Barbosa de Carvalho, Maria Erilucia Cruz Macêdo

Resumo


El Brasil es una sociedad fundada por el patriarcado, de este modo el machismo se muestra en las tradiciones populares, aunque con las luchas sociales de finales del siglo XX, las diferencias de género que se han mitigado en algunas regiones del país, es actuante, originando, de esta manera, a diversos proyectos y manifestaciones sociales pro equidad de género, como el “Sonhos de Maria”, que tiene como finalidad el empoderamiento de las mujeres de la zona rural de Missão Velha (Ceará, Brasil), por medio de la construcción de un emprendimiento para la producción de pasteles y dulces, y de la unión de las mujeres. Así, este artículo tiene el objetivo de investigar la metodología social utilizada en ese proyecto para la inserción de la mujer en el mercado laboral y empoderamiento femenino. Proporcionando al lector una perspectiva del proceso del empoderamiento social de mujeres y del emprendedorismo social, además de sus impactos en la vida de las beneficiadas y en la sociedad, para esto se realizó un estudio de caso con un análisis cualitativo descriptivo de la implementación y de los impactos ocasionados en la vida de las trece participantes del proyecto, resultando en la observación de una metodología de impacto social construida a través de cuatro procesos: despertar, creer, construir y conquistar, que posibilitaron el empoderamiento femenino en la comunidad estudiada.

Palavras-chave


Empoderamiento Femenino; Impacto Social Emprendedorismo Social.

Texto completo:

PDF (Español (España))

Referências


ALMEIDA, I. C.; ANTONIALLI, L. M.; GOMES, A. F. (2011) Comportamento estratégico de mulheres empresárias: estudo baseado na tipologia de Miles e Snow. Revista Ibero-Americana de Estratégia, v. 10, n. 1, p. 102-127.

ALVORD, S. H.; BROWN, L. D. e LETTS, C. W. (2004) Social Entrepreneurship and Societal Transformation, The Journal of Applied Behavioral Science, nº 40, pp. 260-282, set.

ANTUNES, M. (2002) O Caminho do empoderamento: articulando as noções de desenvolvimento pobreza e empoderamento. In: ROMANO, J. e ANTUNES, M. Empoderamento e direitos no combate à pobreza. Rio de Janeiro.

BAQUEIRO, R. V. A. (2012) Empoderamento: instrumento de emancipação social? Uma discussão conceitual. Revista Debates, Porto Alegre, v.6, n.1, p.173-187, jan-abr.

BARRETO, M. D. P. S. L. (2004) PATRIARCALISMO E O FEMINISMO: uma retrospectiva histórica. Revista Ártemis, vol. 1, n.1, p. 64-73.

BRASIL, Ministério da Educação, Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação. (2013) Resolução N° 26, de 17 de Junho de 2013. Brasília.

_______, Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome, Secretaria Nacional de Segurança Alimentar e Nutricional. (2015) Resolução N° 72, de 09 de Outubro de 2015. Brasília.

CARVALHO, S. R. (2004) Os múltiplos sentidos da categoria “empowerment” no projeto de promoção à saúde. Cad. Saúde Pública, V.20, p.1088-1095, jul-ago.

CASTELLS, M. (2000) O poder da identidade. Editora Paz e Terra, Vol.II, Cap.4.

DEES, J. G. (2017) “The Meaning of “Social Entrepreneurship”. Recuperado de: < https://entrepreneurship.duke.edu/news-item/the-meaning-of-social-entrepreneurship/>.

______.; ANDERSON, B. B. (2006) “Framing a Theory of Social Entrepreneurship: Building on Two Schools of Practice and Thought”, Business, nº 1, p. 39-66.

DORNELAS, J. C. A. (2004) Empreendedorismo Corporativo: conceitos e aplicações. Revista de Negócios, Blumenau, vol. 9, n.2, p. 81-90, abr-jun.

___________, (2016) Empreendedorismo – Transformando Ideias em Negócios, 6° Edição. São Paulo: Atlas.

FREITAS, R. M. (2015) Expressões de Empoderamento Feminino em cargos de chefia em uma prefeitura municipal do extremo sul catarinense. Monografia (Bacharelado). Universidade do Extremo Sul Catarinense - UNESC. Administração com linha de formação Específica em Comércio Exterior.

GIL, A. C. (2009) Estudo de Caso - Fundamentação Científica. Subsídios para Coleta e Análise de Dados; Como Redigir o Relatório. São Paulo: Atlas.

______. (2010) Como Elaborar Projetos de Pesquisa. 5° edição. São Paulo: Atlas.

GOMES, M. C. R. (2017) “Sororidade, substantivo feminino”: reflexões linguísticas e sociais sobre abordagens do feminismo no jornal O Globo. Dissertação (Mestrado). Universidade Federal de Juiz de Fora. Programa de Pós-Graduação em Linguística.

HISRICH, R. D., PETERS, M. P., SHEPHERD, D. A. (2014) Empreendedorismo. 9° Edição. AMGH Editora LTDA.

HOOGENDOORN, B.; PENNINGS, E. e THURIK, R. (2010) “What Do We Know about Social Entrepreneurship? An Analysis of Empirical Research”, International Review of Entrepreneurship, nº 8(2), p. 1-42.

JONATHAN, E. G. (2003) Empreendedorismo feminino no setor tecnológico brasileiro: dificuldades e tendências. Encontro de Gestão Estratégica de Pequenas Empresas, n. 3.

___________, (2005) Mulheres empreendedoras: medos, conquistas e qualidade de vida. Psicologia em Estudo, v. 10, n. 3, p. 373-382.

KLEBA, M. E.; WENDAUSEN, A. (2009) Empoderamento: processo de fortalecimento dos sujeitos nos espaços de participação social e democratização da política. Saúde e Sociedade. Vol.18 n°4. São Paulo, out-dez.

LAKATOS, E. M., MARCONI, M. A. (2017) Metodologia Científica, 7° edição. São Paulo: Atlas.

LANDERDAHL, M. C.; PADOIN, S. M. M.; VILLELA, W. V. (2015) “Agora eu posso”: empoderamento de operárias da construção civil na perspectiva da autonomia econômica. Revista Feminismos, Vol.3, N.2/3, p. 24-36. Salvador.

LISBOA, T. K. (2008) O Empoderamento como estratégia de inclusão de mulheres nas políticas sociais. In: Fazendo Gênero 8 – Corpo, violência e Poder, 2008, Florianópolis. Anais..., p.1-6.

LÚCIO, C. G. Mulher, mercado de trabalho e desigualdade. Brasil Debate. Nov. 2014. Disponível em: . Acesso em: 30 mai. 2017.

MARCONI, M. A., LAKATOS, E. M. (2015) Fundamentos de Metodologia Científica: procedimentos básicos, pesquisa bibliográfica, projeto e relatório, publicações e trabalhos científicos, 7° edição. São Paulo: Atlas.

_________, M. A., LAKATOS, E. M. (2017) Fundamentos de Metodologia Científica, 8° edição. São Paulo: Atlas.

MARTIN, R. L. e OSBERG, S. (2007) “Social Entrepreneurship: The Case for Definition”, Stanford Social Innovation Review, nº 5, p. 27-39.

MARTINS, C. H. B. (2003) Trabalhadores na reciclagem do lixo: dinâmicas econômicas, socioambientais e políticas na perspectiva de empoderamento. Tese (doutorado). Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Programa de Pós-Graduação em Sociologia.

MARTINS, E. P., ROSTAS, M. H. S. G. (2017) Configuração para o ensino de empreendedorismo: um estudo de caso a partir do currículo de um curso superior de tecnologia. Polêm!ca, Rio de Janeiro, v. 17, n.1, p. 18-36.

NATIVIDADE, D. R. (2009) Empreendedorismo feminino no Brasil: políticas públicas sob análise. Revista de Administração Pública, v. 43, n. 1, p. 231-256.

NEVES, E. O., GUEDES, C. A. M., SANTOS, K. C. (2010) Empreendedorismo social e sustentabilidade: um estudo de caso sobre o projeto “mulheres em ação jogando limpo com a natureza” do IFNMG. Rev. FAE, Curitiba, v.13, n.2, p.1-14.

NOGUEIRA, C. M. (2010) As relações sociais de gênero no trabalho e na reprodução. Aurora. Ano IV, n. 6, p.59-62.

OLIVEIRA, E. M. (2004) Empreendedorismo social no Brasil: atual configuração, perspectivas e desafios – notas introdutórias. Rev. FAE, Curitiba, v.7, n.2, p.9-18.

ONU. (2015) Transformando o mundo: a agenda 2030 para o desenvolvimento sustentável. Tradução: Centro de Informações das Nações Unidas para o Brasil (UNIC Brasil). Nova York.

ONU Mulheres. (2016) Mais igualdade para as mulheres brasileiras: caminhos de transformação econômica e social – Brasília: ONU Mulheres – Entidade das Nações Unidas para a Igualdade de Gênero e o Empoderamento das Mulheres.

QUEIROZ, J. F. A., RIBEIRO, D. N., ALVES, D. A. (2016) Empreendedorismo Feminino: estudo de caso das características e especificidades das mulheres empreendedoras mineiras na cidade de Itarama-MG. Organizações e Sociedade, Iturama-MG, v.5, n.4, p. 52-64.

SARTI, C. (1988) Feminismo no brasil: uma trajetória particular. Cad. Pesq., São Paulo.

SEN, A. (2000) Desenvolvimento como liberdade. Tradução: Laura Teixeira Motta. Companhia das Letras. São Paulo.

SCORZAFAVE, L. G. D. S. (2001) A evolução e os determinantes da participação feminina no mercado de trabalho brasileiro. Dissertação (Mestrado). USP- Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade. São Paulo: USP.

WELSH, H. B. D., MEMILI, E., KACIAK, E., SADOON, A. A. (2014) Saudi women entrepreneurs: a growing economic segment. Journal of Business Research, v. 67, n. 5, p. 758-762.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Submissão ABERTA para a próxima edição. Acesse as Diretrizes para Autorese envie-nos seu texto!