Análise do Gerenciamento dos Resíduos Sólidos no Município de Belém de Maria – Pernambuco

Jaisy Gonçalves, Luciana Cramer, Ítalo Cavalcante da Silva Soares

Resumo


Este artigo tem o objetivo de analisar o gerenciamento dos resíduos sólidos no município de Belém de Maria – Pernambuco. A pesquisa foi realizada através de estudo de caso, pesquisa bibliográfica e de campo. Foram realizados entrevistas e questionários, à gestão pública e à população, vislumbrando obter dados do posicionamento deles frente o gerenciamento e à problemática dos resíduos sólidos na cidade. Os resultados obtidos apontam que existem serviços de coleta, porém, as maneiras corretas de disposição dos resíduos sólidos não estão sendo cumpridas, visto que os resíduos são recolhidos e despejados em pontos afastados do cenário urbanos para depois seguir para a destinação final: o lixão. Ressalta-se, porém, que a população é conhecedora do cenário existente, do mesmo modo que identifica os problemas causados pelo lixo, no entanto, apresentam posturas condenáveis de educação ambiental. Assim, esta pesquisa permitiu também compreender a necessidade de mudanças na gestão de resíduos sólidos, tais como: implantação de coleta seletiva, participação na formação de consórcios públicos, tratamento de resíduos sólidos através da reciclagem e compostagem, e ações de educação ambiental que contribuam para despertar a necessidade de colaboração política e da população.


Texto completo:

PDF

Referências


ABNT. (2004). Resíduos sólidos – Classificação. Rio de Janeiro.

ABRELPE. (2015). Panorama 2015.

ABRELPE. (2017). Panorama 2017.

Andrade, A. O.; et al. (2018). A questão ambiental e a sustentabilidade. Manaus.

Amorim , A.P. et al. (2010). Lixão municipal: abordagem de uma problemática ambiental na cidade de Rio Grande - RS. Revista de Educação Ambiental, v. 15, n. 1, p. 159-177.

Bellen, H. M. van. (2005) Indicadores de Sustentabilidade: Uma Análise Comparativa. Rio de Janeiro: Editora FGV.

Besen, G. R. (2009) Programas municipais de coleta seletiva em parceria com organizações de catadores na região metropolitana de São Paulo: desafios e perspectivas. São Paulo.

Besen, G. R. (2011) Coleta seletiva com inclusão de catadores: construção participativa de indicadores e índices de sustentabilidade. São Paulo.

Besen, G. R., & Ribeiro, H. (2007) Panorama da coleta seletiva no Brasil: desafios e perspectivas a partir de três estudos de caso. São Paulo: Revista de Gestão Integrada em Saúde do Trabalho e Meio Ambiente.

Brasil. (APA) (2007) Lei nº 11.445, de 5 de janeiro de 2007. Estabelece diretrizes nacionais para o saneamento básico; altera as Leis nos 6.766, de 19 de dezembro de 1979, 8.036, de 11 de maio de 1990, 8.666, de 21 de junho de 1993, 8.987, de 13 de fevereiro de 1995; revoga a Lei nº 6.528, de 11 de maio de 1978; e dá outras providências.

Brasil. (APA) (2010) Lei nº 12.305, de 2 de agosto de 2010. Institui a Política Nacional de Resíduos Sólidos; altera a Lei nº 9.605, de 12 de fevereiro de 1998; e dá outras providências.

Borges, N. R. M., Castilho, A. P., & Pereira, V. T. (2011) Manual de metodologia científica do ILES Itumbiara/GO. Itumbiara: ILES/ULBRA.

Carvalho, L.E.X. (2001) Desenvolvimento de solução integrada de sistemas de limpeza urbana em ambiente SIG. Dissertação (Mestrado em Ciências em Engenharia de Transportes), Rio de Janeiro–RJ, Universidade Federal do Rio de Janeiro – UFRJ, 240 p.

Castilho Junior, A. B. (coord.). (2003) Resíduos sólidos urbanos: aterro sustentável para municípios de pequeno porte. 1. ed. Rio de Janeiro: ABES, 2003.

Costa, B. S., & Ribeiro, J. C. J. Gestão e gerenciamento de resíduos sólidos: direitos e deveres. Rio de Janeiro: Lumen Juris, 2013.

Cruz, R. G, & Bigliardi, R. V. (2005) A Teoria da Complexidade como base para o Enfrentamento da Crise Ambiental e da Racionalidade Teórico Instrumental. Revista Eletrônica do Mestrado em Educação Ambiental. v- 15, p. 12.

Darós, T. D.; et al. A Percepção Ambiental Como Instrumento de Apoio na

Gestão e na Formulação de Políticas Públicas Ambientais. São Paulo: Saúde e Sociedade,

Disponível em: . Acesso em: 22 set.2018.

Dyniewicz, A. M. (2006) Curso de avaliação efetividade de promoção a saúde. Curitiba.

França, R. G., & Ruaru, E. C. R. (2009) Diagnóstico da disposição final dos resíduos sólidos urbanos na região da Associação dos Municípios do Alto Irani (AMAI), Santa Catarina. Rio de Janeiro: Ciência saúde coletiva.

Fritsch, I. E., (2000). Resíduos Sólidos e seus aspectos legais, doutrinários e jurisprudenciais. Porto Alegre, EU/Secretaria Municipal da Cultura, p. 143.

Galeno, J. J. A. (2017) Gestão de resíduos sólidos: Análise dado pelos meios de hospedagem do centro histórico de São Luis. São Luis.

Godoy, A. S. (1995) Introdução à pesquisa qualitativa e suas possibilidades. São Paulo: Revista de Administração de Empresas.

Gurski, B., Gonzaga, R., & Tendolni, P. Conferência de Estocolmo: Um marco na questão ambiental. Curitiba.

IBGE. IBGE Cidades: Panorama de Belém de Maria.

IPEA. (2010) Brasil perde R$ 8 bilhões anualmente por não reciclar. Brasília.

IPEA. (2013) Situação social das catadoras e dos catadores de material reciclável e reutilizável –Brasil. Brasília.

Jacobi, P. R.; Besen, G. R. (2011) Gestão de resíduos sólidos em São Paulo: desafios da sustentabilidade. São Paulo.

Jardim, N.S.; WELLS, C.; Prandini, F.L.; D’Almeida, M.L.O.; Mano, V.G.T. (cords.) (1995) Lixo Municipal: Manual de Gerenciamento integrado. São Paulo: IPT/CEMPRE.

Junior, A. P., Roméro, M. A., Bruna, G. C. (2004) Curso de Gestão Ambiental. Barueri, SP: Manole.

Junkes, M. B. (2002) Procedimentos para aproveitamento de resíduos sólidos urbanos em municípios de pequeno porte. Florianópolis.

Klein, F. B., Gonçalves-Dias, S. L. F.; Jayo, M. (2018) Gestão de resíduos sólidos urbanos nos municípios da Bacia Hidrográfica do Alto Tietê: uma análise sobre o uso de TIC no acesso à informação governamental. Curitiba: Revista Brasileira de Gestão Urbana.

Lakatos, E. M. Fundamentos de metodologia científica. São Paulo: Atlas, 7ed.

Leme, S. M. (2009) Comportamento da população urbana no manejo dos resíduos sólidos domiciliares em Aquidauana – MS. Londrina.

Lima, A. M. et al. (2013) Gestão de resíduos urbanos: um estudo da percepção dos munícipes acerca da implantação da coleta seletiva em Aripuanã – MT. Rio de Janeiro: IX Congresso Nacional De Excelência Em Gestão.

Lira, E. M. (2012) Análise da concepção dos resíduos sólidos entre moradores e agentes de saúde no bairro no Alto do Mandu – Recife, Pernambuco, Brasil. Recife: 2012.

Medeiros, J. H. D. (2012) Gestão dos Resíduos Sólidos para Municípios de Pequeno e Médio Porte à Luz da Política Nacional de Resíduos Sólidos. Angicos.

Melo, E. S. (2017) A Trajetória Social dos Catadores de Lixo em Santana/AP – Brasil. Lisboa.

Mucelin, C. A., & Bellini, M. (2008) Lixo e impactos ambientais perceptíveis no ecossistema urbano. Uberlândia: Sociedade & Natureza.

Pacheco, J. R. (2004) Estudo de certas potencialidades de processos oxidativos avançado para o tratamento de percolado de aterro sanitário. Curitiba.

Paes, F. G. (2004) Otimização de rotas para a coleta do lixo doméstico: um tratamento GRASP do Problema Do Carteiro Chinês Misto (PCCM). Campos do Goytacazes.

Portela, M. O., & Ribeiro, J. C. J. (2014) Aterros sanitários: aspectos gerais e destino final dos resíduos. Caxias do Sul: Direito Ambiental e sociedade.

Oliveira, T.B. & Galvão Junior, A.C. (2016) Planejamento municipal na gestão dos resíduos sólidos urbanos e na organização da coleta seletiva. EngSanitAmbient, v.21, n.1. pp. 55-64

Ribeiro, T. F., & Lima, S. C. (2000) Coleta seletiva de lixo domiciliar - estudo de casos. Uberlândia: Caminhos da Geografia.

Rovaris, N. R. S., & Santos, T. (2017) Cenário brasileiro da gestão dos resíduos sólidos urbanos e coleta seletiva. São Paulo: Anais do VI SINGEP.

Rodrigues, B. P., Brito, F. M. S., & Campanharo, W. A.. (2011) Pesquisa Qualitativa versus quantitativa. Jerônimo Monteiro.

Silva, A. C.; et al. (2016) Política nacional de resíduos sólidos (Lei 12.305/2010) e sua aplicabilidade no município de Bacabal – MA. Campina Grande: VII Congresso Brasileiro de Gestão Ambiental.

Soares, L. G. C., Salgueiro, A. A., & Gazineu, M. H. P. (2007) Educação ambiental aplicada aos resíduos sólidos na cidade de Olinda, Pernambuco – um estudo de caso. Recife: Ciência e Tecnologia.

Valença, K. F. P, & Oliveira, T. A. B. (2006) A importância da metodologia científica para o ensino e aprendizagem no ensino superior.

Vergara, S. C. (2009) Projetos e relatórios de pesquisa em administração. São Paulo: Atlas, 10 ed.

Vieira, E. A. (2006) Lixo - problemática sócio espacial e gerenciamento integrado: a experiência de Serra Azul (SP). Rio Claro.

Yin, R. K. (2001) Estudo de caso: planejamento e métodos. 2 ed. Porto Alegre: Bookman.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Submissão ABERTA para a próxima edição. Acesse as Diretrizes para Autorese envie-nos seu texto!