O Orgulho Corporal na perspectiva do Consumo: Um panorama dos Estudos sobre o Movimento Fat Pride no Mundo

João Henriques de Sousa Júnior, Gabriela Gonçalves Silveira Fiates, Rudimar Antunes da Rocha

Resumo


Nas últimas décadas, o número de pessoas com sobrepeso e/ou obesidade tem aumentado em todo o mundo. Isto fez com que estas pessoas começassem a ter maior representação e visibilidade social nos diversos meios de comunicação. Apesar disto, poucos ainda são os estudos que tratam deste movimento mundial sob o olhar do consumo. Assim, este trabalho busca apresentar um panorama geral da produção intelectual acadêmica sobre o movimento fat pride no mundo, a partir de análise bibliométrica e revisão sistemática da literatura, a fim de contribuir para o desenvolvimento do tema. Para isso, foram avaliados artigos, teses e dissertações encontrados em dez bases de dados: Banco Digital de Teses e Dissertações, Catálogo de Teses e Dissertações da Capes, EBSCO host, Google Scholar, Periódicos Capes, ProQuest, Scielo, Scopus, Spell e Springer. Os resultados apontaram que o tema ainda é incipiente e precisa de mais aprofundamentos na literatura científica, tendo maior número de publicações e envolvimento de instituições e autores nos Estados Unidos. Além disso, há poucos estudos quantitativos e a extrema maioria dos trabalhos publicados restringe-se à visão feminina no movimento de orgulho corporal e no consumo, desconsiderando a questão do homem gordo como potencial consumidor.

Palavras-chave


Movimento Fat Pride; Comportamento do consumidor; Orgulho corporal; Bibliometria.

Texto completo:

PDF

Referências


Cooper, C. (2012). Fat Activism: A Queer Autoethnography. Thesis – Philosophy Doctor (292p.), University of Limerick.

Davenport, K., Solomons, W., Puchalska, S., & McDowell, J. (2018). Size Acceptance: A discursive analysis of online blogs. Fat Studies: An Interdisciplinary Journal of Body Weight and Society, May.

Donaghue, N., & Clemitshaw, A. (2012). ‘I'm totally smart and a feminist…and yet I want to be a waif’: Exploring ambivalence towards the thin ideal within the fat acceptance movement. Women’s Studies International Forum, v. 35, p.415-425.

Ellison, J. E. (2010). Large as Life: self-acceptance and the fat body in Canada, 1977-2000. Thesis – Doctor of Philosophy (368p.). York University.

Fernández-Ramirez, B., Arias, E. E., Escudero, E. B., & Jiménez, C. R. (2012). El Discurso Popular Sobre la Obesidad: análisis de contenido de uma discusión virtual. APOSTA – Revista de ciências sociales, 52, enero/marzo.

Gailey, J. A. (2012). Fat Shame to Fat Pride: Fat Women’s Sexual and Dating Experiences. Fat Studies: An Interdisciplinary Journal of Body Weight and Society, 1(1), p. 114-127.

Haravon, L. D. (1996). Gaining Respect: fat women and resistance. Thesis – Doctor of Philosophy degree in Sport, Health, Leisure and Physical Studies. (245p) The University of Iowa.

Hart, C. (1998). Doing a Literature Review: releasing the social Science research imagination. SAGE Publications.

IHME (2017). Health Effects of Overweight and Obesity in 195 Countries over 25 Years. Disponível em < https://www.nejm.org/doi/full/10.1056/NEJMoa1614362#t=abstract>. Acessado em 12 de setembro de 2018.

Kargbo, M. (2013). Toward a New Relationality: Digital Photography, Shame, and the Fat Subject. Fat Studies: An Interdisciplinary Journal of Body Weight and Society, 2(2), p.160-172.

Lazzarotti, F., Dalfovo, M. S., & Hoffmann, V. E. (2011). A bibliometric study of innovation based on Schumpeter. Journal of Technology Management & Innovation, 6(4), 21-35.

Lebesco, K. (1998). Revolting Bodies? The on-line negotiation of fat subjectivity. Thesis – Doctor of Philosophy (269p.). University of Massachusetts.

Liebenstein, S. V. (2012). Confronting Weight Discrimination in Germany – The foundation of a fat acceptance organization. Fat Studies: An Interdisciplinary Journal of Body Weight and Society, 1(2), p.166-179.

Machado Junior, C., Souza, M. T. S., Parisotto, I. R. S., & Palmisano, A. (2016). As Leis da Bibliometria em Diferentes Bases de Dados Científicos. Revista de Ciências da Administração, 18(44), p. 111-123.

Maor, M. (2013). ‘Do I Still Belong Here?’ The body’s boundary work in the Israeli Fat Acceptance Movement. Social Movement Studies: Journal of Social, Cultural and Political Protest, 12(3), p.280-297.

Mapuranga, J. R. S., & Carneiro, H. F. (2013). Obesidade e psicanálise: o orgulho de ser gordo e o politicamente correto. In: Viana, T. C., & Leal, I. (org.). Sintomas alimentares, cultura, corpo e obesidade: questões clínicas e de avaliação. 1ª ed. Lisboa: Placebo Editora, p.179-212.

Mendes, K. D. S., Silveira, R. C. C. P., & Galvão, C. M. (2008). Revisão integrativa: método de pesquisa para a incorporação de evidência na saúde e na enfermagem. Texto & Contexto – Enfermagem, 17(4), Oct./Dec.

Mismetti, D. (2012). Gordos em forma. In: Ciência e Saúde. Jornal Folha de São Paulo, 5 de setembro de 2012. Disponível em Acessado em 20 de abril de 2018.

Murray, S. (2005). Doing Politics or Selling Out? Living the Fat Body. Women’s Studies: An Interdisciplinary Journal, 34(3), p. 265-27.

Murray, S. (Un/Be) (2005). Coming Out? Rethinking Fat Politics. Social Semiotics, 15(2), august.

NCD Risc. (2016). Data Visualizations – Adiposity. Disponível em: . Acessado em 21 de abril de 2018.

Neves, A. S., & Mendonça, A. L. O. (2014). Alterações na identidade social do obeso: do estigma ao fat pride. DEMETRA, 9(3), p. 619-631.

Ortega, F., & Zorzanelli, R. T. (2010). Corpo em evidência: a ciência e a redefinição do humano. Rio de Janeiro: Civilização brasileira.

Robinson, K. M. (2014). The Fat Acceptance Movement: contesting fatness as Illness, 1969-1998. Dissertation (331p.) – Doctor of Philosophy, University of Wisconsin-Madison.

Rousseau, B., & Rousseau, R. (2000). Percolation as a model for informetric distributions: fragment size distribution characterized by Bradford curves. Scientometrics, [S.l.], 47, p. 195-206.

Saguy, A. C., & Ward, A. (2009). The F Word: Reclaiming and Inverting Stigma. American Sociological Association.

Schultz, K. (2015). Fat activism and collective accountability: from virtual community to embodied coalition. College of Liberal Arts & Social Sciences Theses and Dissertations. DePaul University, 194.

Soares, P. B., Carneiro, T. C. J., Calmon, J. L., & Castro, L. O. C. O. (2016). Análise bibliométrica da produção científica brasileira sobre Tecnologia de Construção e Edificações na base de dados Web of Science. Ambiente Construído, 16(1), Jan./Mar.

Sousa Júnior, J. H. (2018). Avaliação de consumidores gordos e magros em relação aos estímulos promocionais de moda plus size no varejo de vestuário. (Dissertação de Mestrado em Administração – 146f.) Universidade Federal de Pernambuco – UFPE, Recife, 2018.

Sousa Júnior, J. H. (2019). Representação do corpo gordo no cinema nacional: Análise de papéis de atores com sobrepeso e obesidade nas produções cinematográficas brasileiras de maior bilheteria. Revista Livre de Cinema – RELICI, v. 6, n. 1, 2019.

Sousa Júnior, J. H. (2020). Fat Pride: O movimento de autoaceitação corporal e seus reflexos no mercado de moda brasileiro. Boletim de Conjuntura – BOCA, v. 2, n. 4, p. 10-13, 2020.

Sousa Júnior, J. H., & Melo, F. V. S. (2018a). Anúncios de Moda Plus Size no Varejo Brasileiro: Como o Consumidor Gordo Avalia?. Anais do VIII Encontro de Marketing da Anpad (EMA), Porto Alegre: Anpad.

Sousa Júnior, J. H., & Melo, F. V. S. (2018b). Moda “Só para Maiores”: Experiência de Consumo de Pessoas Obesas em Lojas Especializadas de Vestuário Plus Size. Revista Administração em Diálogo – RAD, 20(3), p.110-123, Set./Dez.

Sousa Júnior, J. H., & Melo, F. V. S. (2019). Moda além do “G”: Hábitos e preferências de consumo de vestuário de consumidores plus size. Revista da Universidade Vale do Rio Verde – UninCor, v. 17, n. 1, 2019.

Stang, K. L. (2015). The Role of Fashion and Fatshion Blogging in College Women’s Negotiation of Identity. Dissertation – Master of Arts degree in Journalism (100p). The University of Iowa.

Tavares, H. O., & Castro, A. L. (2017). Discurso e Poder: a prescrição do controle corporal em blogs plus size. Política & Trabalho – Revista de Ciências Sociais, 47, Junho/Dezembro, p.97-119.

Wann, M. (1998). Fat! So? Because you don’t have to apologize for your size. Berkeley, Calif.: Ten Speed Press.

Webb, J. B., Vinoski, E. R., Bonar, A. S., Davies, A. E., & Etzel, L. (2017). Fat is fashionable and fit: a comparative content analysis of Fatspiration and Health at Every Size Instagram images. Body Image, 22, p. 53-64.

Wormell, I. (1998). Informetria: explorando bases de dados como instrumento de análise. Revista Ciência da Informação, 27(2), p. 210-216.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Submissão ABERTA para a próxima edição. Acesse as Diretrizes para Autorese envie-nos seu texto!