Teseu e Aracne: O amor no abismo

Kátia Rose Pinho

Resumo


A escrita literária sempre desperta as mais diversas reflexões, principalmente, no que concerne a
urdidura textual. Este portal aberto pela meta-ficção é um convite a revisitar Atenas-Aracne, Teseu-
Ariadne e sermos Penélope a cada leitura. Em A Rainha dos Cárceres da Grécia , Osman Lins nos entrega
o novelo para sermos/não sermos Teseu. Estabelece-se ambígua ambivalência reveladora da paratopia
do escritor, e porque não, do leitor? vítima na grande teia que é o romance.


Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2017 Autor, concedendo à revista o direito à primeira publicação

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Sem derivações 4.0 Internacional.

ISSN:1984-7408

 

Licença Creative Commons
Esta revista possui trabalhos licenciados com uma Licença Creative Commons - Atribuição 4.0 Internacional.