Entre o cotidiano e o sublime: as fronteiras do lírico em Carlos Drummond de Andrade

Thaís Sampaio Mattana

Resumo


Esse trabalho visa aplicar ao poema O Mito, de Carlos Drummond de Andrade, a hipótese levantada
por Erich Auerbach de que a contradição entre a intenção problemática e a referência vulgar inspira
o discurso ambivalente dos estilos “mesclados”. Constatou-se que a maioria dos poemas com temas
cotidianos em Drummond possui estilo mesclado. Essa relação entre o cotidiano e o sublime seria um
ranço da tradição antiga da separação de estilos, que pregava a descrição realista do cotidiano como
inconciliável com o sublime e só teria lugar no cômico. Dessa forma, apenas a mescla de estilos possibilita
a impregnação da vida cotidiana com substância conflitiva.


Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2017 Autor, concedendo à revista o direito à primeira publicação

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Sem derivações 4.0 Internacional.

ISSN:1984-7408

 

Licença Creative Commons
Esta revista possui trabalhos licenciados com uma Licença Creative Commons - Atribuição 4.0 Internacional.