O geômetra melancólico Cristina

Cristina Almeida

Resumo


As análises críticas sobre o livro, Pedra do Sono, de João Cabral de Melo Neto, costumam considerar apenas
o que nele é manifesto: a influência de Murilo Mendes e a imagética surreal, a sintaxe rítmica de Drummond e o
forte interesse pela pintura. Outros discorrem sobre as características que germinam do livro, a epígrafe de
Mallarmé, indicativos da futura poética da pedra. Analisaremos tal obra polêmica pelo viés da psicanálise: a
experiência não se frustra quando falha mas quando se realiza. Trata-se da melancolia na linguagem, processo pelo
qual o poeta passa ao lutar pela desintoxicação do poema.


Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2017 Autor, concedendo à revista o direito à primeira publicação

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Sem derivações 4.0 Internacional.

ISSN:1984-7408

 

Licença Creative Commons
Esta revista possui trabalhos licenciados com uma Licença Creative Commons - Atribuição 4.0 Internacional.