Um “olhar” simbolista sobre a narrativa A Confissão de Lúcio de Mário de Sá-Carneiro

Anny Querubina Barros, Eliana Cibele Costa, Paloma Pereira Borba

Resumo


A finalidade deste trabalho é o levantamento de dados que possam evidenciar o quão simbolista
é a narrativa “A Confissão de Lúcio”, de Mário de Sá-Carneiro, apesar deste autor ser enquadrado no
movimento literário de “Orpheu”, que é tipicamente Modernista. Embora, sem a pretensão de dar conta
(completamente) desta obra de arte – seria um erro, já que são possíveis diversas interpretações – esta
pesquisa desdobrou-se em um apaixonante desafio, em uma “viagem” pela atmosfera onírica do grande
gênio insatisfeito do mundo e de si mesmo.


Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2017 Autor, concedendo à revista o direito à primeira publicação

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Sem derivações 4.0 Internacional.

ISSN:1984-7408

 

Licença Creative Commons
Esta revista possui trabalhos licenciados com uma Licença Creative Commons - Atribuição 4.0 Internacional.