A crítica de Heidegger à subjetividade à luz de seu conceito de uma transcendência não-metafísica

Alexandre Arbex Valadares

Resumo


O presente artigo constitui um estudo do conceito heideggeriano de transcendência a partir de sua crítica à metafísica e à noção de sujeito, dando relevo à ideia de mundo como conjuntura e jogo, ou como estrutura
em meio  à  qual se dá a busca  de apoio do ser-aí  –  modo de ser que designa a condição humana  –  e na qual, ao mesmo tempo, se  oferece a abertura do ser-aí ao ser. Tal abertura, que designa a ideia mesma de
transcendência, não diz respeito a uma fuga do mundo, mas, antes, é dada na estrutura essencial do ser-aí como ser-no-mundo. Esta proposição encerra o sentido da expressão “transcendência não-metafísica”, ou transcendência imanente, sob a qual o conceito heideggeriano de transcendência é pensado.

Palavras-chave


Heidegger, ontologia, transcendência.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.