Leo Strauss e a Crítica à Modernidade

Elvis de Oliveira Mendes

Resumo


Neste artigo é apresentada de forma detalhada e precisa a esmagadora crítica de Strauss à modernidade. Neste sentido, formula-se aqui uma interpretação da crítica straussiana aos valores cultivados pelos homens deste período, valores estes que para Strauss produziram aquilo que ele mais temia: “o niilismo”. Sendo assim, diante do vácuo moral e de toda ausência de sentido que se instauram em nome da ciência e da racionalidade modernas, Strauss tenta achar uma saída ou um meio para se repensar tanto a política quanto a religião. Neste contexto, trata-se de mostrar que o que Strauss parece estar disposto a fazer é, por meio de uma problematização da situação política e intelectual do presente, estabelecer uma base filosófica para uma reavaliação do passado, buscando recolocar em discussão os ensinamentos dos antigos, no intuito de, com isso, observar uma alternativa à crise ética e metafísica de nosso tempo e salvaguardar as sociedades do futuro do abismo do niilismo.


Palavras-chave


Crítica da Modernidade, Racionalidade, Filosofia Política, Leo Strauss.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais

Esta é uma revista de acesso aberto. Isto significa que todo o conteúdo está disponível de maneira livre e gratuita para o usuário (a) ou para sua instituição. Aos usuários (as) é permitido ler, fazer download, copiar, distribuir, imprimir, fazer buscas e usar o link para os textos completos de artigos ou usá-lo para qualquer outra finalidade legal, sem ter que pedir permissão para editores ou autores. 

Licença Creative Commons
Esta revista está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

Perspectiva Filosófica está indexada atualmente pelo DIADORIM, pelo Sumário.org, pelo Google Scholar, pela REDIB e pelo LATINDEX.