Considerações Acerca de uma Estética Negativa em Theodor W. Adorno

Fábio Caires Correia, Oneide Perius

Resumo


A obra de arte é um fato social. É um produto social de indivíduos sociais, e sua lógica é construída a partir dessa visão. Mas deve principalmente ser autônoma. É na arte que a radicalidade da dialética encontra sua maior expressão. Pois, sendo expressão dialética e, ainda, negativa, ela é ao mesmo tempo social e antissocial. É a partir desta tensão entre autonomia e determinação que é desenvolvida a Teoria Estética (Ästhetische Theorie). O objetivo deste texto é, neste sentido, apresentar a radicalidade da teoria estética negativa adorniana como uma tentativa de trazer à luz não só outro esquecido pela razão moderna, mas, e de forma mais específica, pensar a liberdade em meio a uma sociedade de não-liberdade. A estética negativa, enquanto sensibilidade e movimento para o não-idêntico é, neste sentido, moção e fundamento de apoio à ética, enquanto propensão a uma possível vida menos errada.


Palavras-chave


Teoria Estética; Arte; Autonomia; Ética; Theodor W. Adorno

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais

Esta é uma revista de acesso aberto. Isto significa que todo o conteúdo está disponível de maneira livre e gratuita para o usuário (a) ou para sua instituição. Aos usuários (as) é permitido ler, fazer download, copiar, distribuir, imprimir, fazer buscas e usar o link para os textos completos de artigos ou usá-lo para qualquer outra finalidade legal, sem ter que pedir permissão para editores ou autores. 

Licença Creative Commons
Esta revista está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

Perspectiva Filosófica está indexada atualmente pelo DIADORIM, pelo Sumário.org, pelo Google Scholar, pela REDIB e pelo LATINDEX.