USO DO TEXTO FILOSÓFICO EM SALA DE AULA: PARA ALÉM DA FILOSOFIA ANALÍTICA DA LINGUAGEM PELA INTERPRETAÇÃO DOS ESTUDANTES

Adailton Pereira de Melo, Sergio Ricardo Vieira Ramos

Resumo


Uma das preocupações essenciais no ensino de Filosofia é a experiência da
leitura em sala de aula, especialmente dos textos de Filosofia. A leitura é
elemento fundante da aprendizagem uma vez que conduz, com a escrita e a
oralidade, ao processo de letramento, ou seja, fazer uso social das experiências
em sala de aula. Na leitura do texto filosófico, o estudante é convidado à uma
experiência do texto filosófico. Nesse sentido, o presente artigo discute uma
experiência em sala de aula, de leitura e interpretação de fragmento do texto de
Emmanuel Levinas, “Totalidade e Infinito”, em uma turma do Ensino Médio,
2o ano, sem a preocupação analítica do texto, com livre interpretação dos
estudantes, considerando o sentido objetivo da temática. O processo
metodológico se desenvolve pela sensibilização, problematização, leitura,
pesquisa de conceitos e interpretação. Muitas vezes fundamentos em discursos
anacrônicos, a falta de problematização e os conteúdos de base histórica não
permite aos discentes desenvolverem a sua própria capacidade de compreensão
do texto, a partir de referenciais mediados pelo professor, mas não comentados
pelos mesmos.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.