A morte de Deus: a gramática em questão

Robione Antonio Landim

Resumo


No fragmento 346 do livro A gaia ciência, Nietzsche recusa a caracterização de si mesmo enquanto ateu. Por que Nietzsche recusa a classificação de ateísta? Estaria no sangue ser teísta, religioso? O caminho que esse trabalho seguirá para discutir essa temática passa pela compreensão da morte de Deus enquanto crítica a todo tipo de fundamento último. Ademais, ainda se destacará a relação presente entre a noção de Deus-fundamento e a linguagem. Desse modo, o presente artigo orbitará em torno do seguinte problema: em que medida a morte de Deus coloca em questão a crença na gramática?


Palavras-chave


Nietzsche. Morte de Deus. Ateísmo. Linguagem.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2020 Landim Antonio Landim