REDUÇÃO DA CARGA ORGÂNICA LANÇADA EM UM TRECHO DO RIO CAPIBARIBE PARA ATENDIMENTO À LEGISLAÇÃO AMBIENTAL (Reduction Of Organic Loading Launched In A Specific Area In The Capibaribe River To Comply With Environmental Legislation)

Renato Alves Pereira, Diogo Henrique Fernandes da Paz, Ioná Maria Beltrão Rameh Barbosa

Resumo


A bacia hidrográfica do rio Capibaribe apresenta sérios problemas de poluição. Isto se deve a falta de infraestrutura sanitária dos municípios que margeiam o rio atrelado às baixas taxas de vazões. Modelos matemáticos de qualidade da água são importantes ferramentas no estudo dos efeitos da poluição por fontes pontual e não pontual, bem como a avaliação de cenários, visando o cumprimento da legislação. Este artigo apresenta os resultados da modelagem matemática da qualidade da água, utilizando o modelo QUAL-UFMG, especificamente no trecho localizado entre o ponto da estação de monitoramento (39150000) e a (39188000), totalizando um trecho de 41,2 km, que compreende os municípios de Paudalho, São Lourenço da Mata e Camaragibe na bacia do rio Capibaribe, em Pernambuco. A pesquisa obteve os dados de entrada requeridos pelo modelo, efetuou-se a calibração dos parâmetros e, em seguida, realizou-se a validação para o ano de 2011 referentes ao Oxigênio Dissolvido e a Demanda Bioquímica de Oxigênio. Como conclusão, observou-se que o esgoto doméstico advindo dos municípios de Paudalho, São Lourenço da Mata e Camaragibe e do matadouro localizado em São Lourenço da Mata, contribuem consideravelmente para a poluição do rio Capibaribe neste trecho.

 

 

A B S T R A C T

The catchment area of the Capibaribe river presents serious water quality problems. This is due the lack of sanitation infrastructure in the municipalities bordering the Capibaribe river coupled up to low flows rate. Mathematical models of water quality are important tools in the study of pollution effects, specifically point and non-point sources, as well as on the scenarios evaluation, aiming to comply with the legislation. This article shows the results from a mathematical modeling of water quality using the QUAL-UFMG model in the Capibaribe river basin specifically the portion situated between the station (39150000) and (39188000), Totaling 41,2km (approximately 25,60mi), using techniques of Geographic Information Systems (SIG). The study obtained the input data required by the model and made the calibration parameters and then there was the validation for the year 2011 related to dissolved oxygen and biochemical oxygen demand. We conclude that the domestic sewage arising from the cities of Paudalho, São Lourenço da Mata and Camaragibe and the slaughterhouse located in São Lourenço da Mata contribute significantly to the pollution of the Capibaribe river in this area.

Keywords: Pollution, QUAL-UFMG, dissolved oxygen and biochemical oxygen demand.

 


Palavras-chave


Poluição; QUAL-UFMG; Oxigênio Dissolvido; Demanda Bioquímica de Oxigênio

Texto completo:

PDF

Referências


ALELUIA DOS REIS, J. S;. ModelagemMatemática da Qualidade de Água para o Alto Rio das Velhas/ MG. Ouro Petros- MG/ 2009.

ANA. Hidroweb. Disponível em: . Acesso em: 20/09/2015.

BRASIL. Resolução CONAMA nº 357, de 17 de Março de 2005. Dispõe sobre a classificação dos corpos d’água e diretrizes ambientais para o seu enquadramento, bem como estabelece as condições e padrões de lançamento de efluentes, e dá outras providências. Disponível em http://www.mma.gov.br/port/conama/res/Acesso em 10/nov/2015.

BRASIL. Agência Nacional de Águas – ANA. A Evolução da gestão dos recursos hídricos no Brasil = The evolution of water resources management in Brazil. Brasília: Agência Nacional de Águas, 2002. 64 p. (Edição comemorativa do Dia Mundial da Água)

PAZ, D.H.F. Modelagem Matemática da Qualidade da Água no Rio Capibaribe, Recife,2012

IBGE. Censo Populacional. 2000. Disponível em: . Acesso em 02/Setembro/2015

IBGE. Censo Populacional. 2010. Disponível em: . Acesso em 02/Setembro/2015

IOCHPE, C.; LISBOA FILHO, J . Introdução a Sistemas de Informações Geográficas com Ênfase em Bancos de Dados. Recife- PE- 2006

MOTA, S. Introdução à engenharia ambiental. 3. ed. Rio de Janeiro: ABES, 2003

PERNAMBUCO. Secretaria de Ciência e Tecnologia do Estado de Pernambuco. Plano Diretor de Recursos Hídricos da Bacia do Rio Capibaribe – PE. 2002.

PINHEIRO, RENATA BARROS. Outorga para o Lançamento de Efluentes em Curso De Água- Uma Metodologia de Apoio à Gestão de Recurso Hídricos, Recife, 2010.

REIS, J. S. A. Modelagem matemática da qualidade de água para o Alto Rio das Velhas/ MG. Dissertação (Mestrado). Universidade Federal de Ouro Preto. Programa de Pós-graduação em Engenharia Ambiental. 2006.

SILVA, R.C.P.; PAZ, D.H.F.; NASCIMENTO, C.M.S.; ARAÚJO, G.V.R.; TAVARES, R.G. Impactos Ambientais na bacia do rio Capibaribe: Avaliação da Poluição de suas águas no centro da cidade do Recife – PE. XIX Simpósio Brasileiro de Recursos Hídricos. Maceió-AL. 2011.

SOUZA, P.N.. Hidrologia Básica. 1. ed. São Paulo: Ed. Edgard Blucher LTDA:, 2010.

SOUZA, S.N. Aplicação de modelos matemáticos biogeoquímicos de qualidade da água para o sistema natural da bacia do rio Beberibe. Dissertação (Mestrado). Programa de Pós-gradução em Engenharia Civil. Universidade Federal de Pernambuco. 2000.

SRHE. Plano Hidroambiental da Bacia Hidrográfica do Rio Capibaribe: Tomo I - diagnóstico hidroambiental volume 01/03 / Projetos Técnicos. Recife, 2010.

STREETER, H.W; PHELPS, E.B. A study of the pollution and natural purification of the Ohio River. Public Health Bulletin, Washington. 1925.

TONON, K;. Modelagem da Qualidade da Água Utilizando os Modelos Streeter- Phelps e QUAL-UFMG na Bacia do Rio Lambari- Poço de Caldas (MG). Poço de Caldas- MG, 2014

TUCCI, C.E.M (Org). Hidrologia: Ciência e Aplicação. 2. ed. Porto Alegre: Ed. Universidade/UFRGS

VON SPERLING, M. Estudos e modelagem da qualidade da água de rios. Belo Horizonte: Departamento de Engenharia Sanitária e Ambiental; Universidade Federal de Minas Gerais, 2007

VON SPERLING, M. Introdução à qualidade das águas e ao tratamento de esgotos. Belo Horizonte: Departamento de Engenharia Sanitária e Ambiental; Universidade Federal de Minas Gerais. 243 p. 1996.




Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

 

Revista Brasileira de Geografia Física - eISSN: 1984-2295

Creative Commons License
Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Attribution-NonCommercial 4.0 International License