A seca de 2012-2014 no município de Taperoá-PB e o papel das ações de convivência nesse contexto

André Aires de Farias, Francisco de Assis Salviano de Sousa, Telma Lucia Bezerra Alves Aires, Thyago Carneiro de Brito

Resumo


O presente artigo buscou identificar e analisar os impactos sociais, econômicos e ambientais da seca de 2012-2014 no município de Taperoá-PB e o papel das ações de convivência nesse contexto. A identificação dos impactos foi realizada utilizando-se o método de listagem descritiva check-list, dados bibliográficos e documentais. Para analisar as variáveis socioeconômicas e as ações de convivência foram utilizados os mesmos materiais dos impactos, exceto o check-list. Os impactos continuaram porque faltou recursos financeiros para implantar programas e as políticas públicas de convivência não foram efetivas, só aparecendo com maior intensidade quando a região estava prejudicada pela seca. Para redução dos impactos é necessário aumentar o número de cisternas, principalmente a calçadão. É necessário também perfurar poços e construir açudes, além de fazer manutenção nos que estejam com capacidade reduzida ou desativados; construir barragens subterrâneas e tanques naturais; terminar e colocar em funcionamento a Transposição do Rio São Francisco; incentivar a gestão dos recursos hídricos, criar programas que visem o fortalecimento da agricultura familiar, incentivando a fenação, silagem, meliponicultura, apicultura, criação de animais e plantas adaptados à região, dentre muitos outros.




DOI: https://doi.org/10.26848/rbgf.v13.5.p%25p

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

      

Revista Brasileira de Geografia Física - ISSN: 1984-2295

Creative Commons License
Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Attribution-NonCommercial 4.0 International License