Solidariedade na pandemia: das redes para as ruas

Juliana Farias Pessoa Guerra

Resumo


A crise provocada pelo novo coronavírus constitui um fenômeno global que tem mobilizado instituições locais, nacionais e internacionais. No cenário local, organizações realizam ações de solidariedade para mitigar os efeitos sociais decorrentes da pandemia. Populações vulnerabilizadas, como as de rua, se encontram em condições tão insalubres que tornam impossível a realização os cuidados sanitários de prevenção à Covid-19. Esse sofrimento tem despertado o sentimento de solidariedade que se transformou em ações de ajuda coletiva. Um dos destaques é o Coletivo “Unificados Pela População em Situação de Rua”, que atua na Região Metropolitana do Recife. Numa sociedade em que as transformações sociais na contemporaneidade deixaram em segundo plano o vínculo social, valorizando a racionalidade utilitarista, a noção de solidariedade contrasta com a hegemonia da doutrina neoliberal. Para lançar luz para a importância da solidariedade na formação dos laços sociais diante da pandemia, faz-se necessário o aporte do pensamento antiutilitarista e do paradigma da dádiva.



Palavras-chave


dádiva, covid-19, pandemia, solidariedade.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2021 Revista de Estudos AntiUtilitaristas e PosColoniais

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Sem derivações 4.0 Internacional.

Creative Commons CC Atribuição Não comercial, sem derivação 4.0.