Lições do Aluno Hoasqueiro no “Sítio dos Encantos”

Wagner Lins Lira

Resumo


O direcionamento deste artigo relaciona-se aos fenômenos subjetivos e espirituais emergentes nas sessões com ayahuasca ou Vegetal na Associação Espiritualista União do Vegetal (AEUDV), dissidência udvista pernambucana situada no município de Riacho das Almas, agreste do estado. Para tal, procuraremos entender como se dá a ligação dos adeptos com o Astral Superior a partir da relação direta entre espírito e matéria num dualismo complementar e não redutor, que tem por referencial doutrinário os princípios do mestre José Gabriel da Costa. Os diálogos e entrevistas realizados com alguns adeptos nos permitem entender a manifestação do êxtase religioso, assim como os caminhos a serem trilhados diante das informações recebidas nos ritos com ayahuasca, considerada uma bebida professora, que costuma testar progressivamente seus alunos mediante o contato com essa realidade espiritual.

 

Palavras chave: Antropologia. Bebidas. Ayahuasca. Rituais. Êxtase religioso


Texto completo:

PDF

Referências


ANDRADE, A. P. 1995. O Fenômeno do Chá e a Religiosidade Cabocla: um estudo centrado na União do Vegetal. Dissertação de mestrado em Ciências da Religião. Instituto Metodista de Ensino Superior. São Bernado do Campo.

ARIÈS, P. 1989. Sobre a História da morte no Ocidente: desde a idade média. 2ª ed. Lisboa: Editorial Teorema.

BACHELARD, G. 2004. Ensaios sobre o Conhecimento Aproximado. Rio de Janeiro, Contraponto.

BRISSAC, S. 1999. A Estrela do Norte Iluminando Até o Sul. Uma etnografia da União do Vegetal em um contexto urbano. Dissertação de mestrado em Antropologia Social. Museu Nacional. Rio de Janeiro.

CARVALHO, E. A. 2003. Enigmas da Cultura. São Paulo: Cortez.

DROUOT, P. 1999. O físico, o xamã e o místico. Rio de Janeiro: Record- Nova Era.

ELIADE, M. 1992. O sagrado e o profano. 1ª ed. São Paulo: Martins Fontes.

_________. 1998. Mito e realidade. 5ª ed. São Paulo: Editora Perspectiva S. A..

GOULART, S. L. 2004 . Contrastes e Continuidades em uma Tradição Amazônica. Tese de doutorado em Ciências Sociais. Universidade Estadual de Campinas. Campinas.

LEARY, T. et allii. 1964. The Psychedelic Experience: a manual based on the Tibetan Book of the Dead. New York: Citadel Press.

LIRA, W. L. 2009a. Os trajetos do êxtase dissidente no fluxo cognitivo entre homens, folhas, encantos e cipós: uma etnografia ayahuasqueira nordestina. Dissertação de mestrado em Antropologia. Universidade Federal de Pernambuco. Recife.

_________. 2009b. “Os estados da arte dissidente na continuidade com a tradição hoasqueira”. In: Revista Ponto Urbe/USP, v. 05, São Paulo. (pp. 01-27).

_________. 2010. “Lições da ayahuasca na AEUDV pernambucana”. In: Cadernos de Pesquisa Interdisciplinar em Ciências Humanas, v 11. Florianopolis, (pp. 525-559).

LUNA, L. E. 1986. Vegetalismo: shamanism among the mestizo population of the Peruvian Amazon. Estocolmo: Almquist and Wiksell Internacional.

LUTZ, C. & WHITE, G. 1986. The Anthropology of Emotions. North Caroline: Annual Review of Anthropology, (pp. 405-436).

MACRAE, E. 1992. Guiado pela Lua. Xamanismo e uso ritual da ayahuasca no culto do Santo Daime. 1ª ed. São Paulo: Brasiliense.

__________. 2004. O uso ritual de substâncias psicoativas na religião do Santo Daime como exemplo de redução de danos. Brasília: Texto apresentado para a Câmara de Assessoramento Técnico-Científico do Conselho Nacional Antidrogas (CONAD).

MAFFESOLI, M. 2001. Sobre o Nomadismo; Vagabundagens Pós-Modernas. Rio de Janeiro: Editora Record.

MORIN, E. 1999. Ciência com Consciência. 3ª ed. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil.

RICCIARDI, G. S. 2008. O Uso da Ayahuasca e a Experiência de Transformação, Alívio e Cura, na União do Vegetal (UDV). Dissertação de mestrado em Ciências Sociais. Universidade Federal da Bahia. Salvador.

SHELDRAKE, R. 1995. A ressonância mórfica & a presença do passado. Os hábitos da natureza. 1ª ed. Lisboa: Instituto Piaget.

SILVA, L. O. 2002. Marachimbé veio foi para apurar. Estudo sobre o castigo, ou peia, no ritual do Santo Daime. Dissertação de mestrado em Ciências da Religião. Pontifícia Universidade Católica. São Paulo.

SLOTERDIJK, P. 1992. Mobilização Copernicana e Desarmamento Ptolomaico: Ensaio Estético. Rio de Janeiro: Tempo Brasileiro.

TURNER, V. 1974. O processo ritual: estrutura e anti-estrutura. Petrópolis, Vozes.

VAN GENNEP, A. 1978. Os ritos de passagem (Apresentação de Roberto da Matta). Petrópolis: Vozes.

ZINBERG, N. 1984. Drug, set and setting. New Haven: Yale University Press.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.