O gênero dos santos e a agência dos devotos: A hagiografia e as orações direcionadas aos santos católicos sob uma perspectiva de gênero

Cleonardo Mauricio Junior

Resumo


 

Este trabalho tem por objetivo analisar (i) a hagiografia e (ii) as tradicionais orações direcionadas aos santos católicos, ambos sob uma perspectiva de gênero. Os papéis mitológicos de gênero dos santos retirados de suas biografias serão analisados primeiramente. Depois disto, focaremos nas orações e pedidos que os fiéis direcionam aos seus santos de devoção. Pretendo mostrar que estas orações podem revelar a prática de uma “agência de projetos nas margens do poder” (Ortner 2007).

Fazendo um contraponto à análise de Pierre Bourdieu em A dominação masculina com o trabalho de Sherry Ortner, e outros que trazem contribuições contundentes ao debate em torno da oposição estrutura-agência, caro às Ciências Sociais desde sua gênese, o objetivo é revelar uma “agência de projetos” em meio à cosmologia e às práticas religiosas da instituição considerada como uma das principais responsáveis pela instauração da ideologia desigual de gênero vigente na sociedade brasileira. Será possível, assim, apontar o equívoco em se contrapor os conceitos de estrutura e agência. Eles seriam, pelo contrário, complementares, no sentido de a agência fazer parte, ser inerente à estrutura. Fica claro então, desde já, minha opção de apontar elementos que contrariem o “paradoxo da doxa” bourdiano, trazendo à tona negociações por autonomia (mesmo) em meio a estruturas patriarcais seculares.

 


Texto completo:

PDF

Referências


ALMEIDA, Maria da Conceição Lafayette. 2011. “Mulheres no início do Século XX: Agência, resistência e empoderamento” In ALMEIDA, Maria da Conceição Lafayette & LONGHI, Márcia Reis. Etapas da Vida: Jovens e Idosos na Contemporaneidade, Recife, Ed. Universitária UFPE.

BOURDIEU, Pierre. 1999. A dominação masculina. Bertrand Brasil, Rio de Janeiro.

COUTO, Edilece Souza. 2004. “A mártir, a virgem mãe e a avó: figuras da devoção popular católica” In Tempo de festas: homenagens a Santa Bárbara, N. S. da Conceição e Sant’Ana em Salvador (1860 – 1940). Tese (Doutorado em História) - Universidade Estadual Paulista.

DE THEIJE, Marjo. 2002. “São metade macho, metade fêmea: sobre a identidade de gênero dos homens católicos”. ANTHROPOLÓGICAS, ano 6, 13(1): 47-56.

DURKHEIM, Émille. 2008. As Formas Elementares de Vida Religiosa. São Paulo. Paulus.

MARIZ, Cecília L. & MACHADO, Maria das Dores Campos. 1994. “Pentecostalismo e a Redefinição do Feminino.” Religião e Sociedade. 17(1-2).

MENEZES, Renata de Castro. 2004. “A relação de devoção”. In________ A dinâmica do sagrado: rituais, sociabilidade e santidade num convento do Rio de Janeiro. Relume Dumará: Núcleo de antropologia da Política/UFRJ, Rio de Janeiro.

MENEZES, Renata de Castro. 2009. “Santo Antônio no Rio de Janeiro: dimensões da santidade e da devoção”. In TEIXEIRA, Faustino & MENEZES, Renata. Catolicismo Plural: dinâmicas contemporâneas. Vozes, Rio de Janeiro.

ORTNER, Sherry B. 2007. “Poder e Projetos: reflexões sobre a agência” In: GROSSI, Miriam Pilar (et.alli). Conferências e Diálogos: saberes e práticas antropológicas. Nova Letra, Blumenau.

PINTO, F. S & SOARES, H. R. 2010. “Santa Gianna Beretta Molla: um estudo sobre os novos modelos de santidade no catolicismo contemporâneo”. Trabalho apresentado na 27ª Reunião Brasileira de Antropologia - Brasil Plural: Conhecimentos, Saberes Tradicionais e Direitos à Diversidade. Belém, PA, Brasil.

ROBBINS, Joel. 2009. “Pentecostal networks and the spirit of globalization: on the social productivity of ritual forms”. Social Analysis, 53 (1): 55-66.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.