Cidadania através dO Espelho: dignidade, emoções e moralidades

Thiago Santos

Resumo


O presente texto apresenta a relação estabelecida entre o reconhecimento social do trabalho/trabalhador e a constituição da cidadania no Brasil. Focalizando o fato de que esta gera uma relação de prestígio ou vergonha para os indivíduos e, consequentemente, contextos de embates morais entre as diferentes noções e experiências de vida digna de ser vivida. Discuto aqui a partir de dois exemplos: em primeiro lugar, como recurso alegórico e heurístico, apresento um conto de Machado de Assis que dialoga com sentimentos como honra e vergonha mediados por posição na estrutura do trabalho; em um segundo momento, faço comentários a partir de alguns dados colhidos ao longo de minha pesquisa etnográfica, entre as pessoas em situação de rua na cidade do Recife-PE, nos quais, assim como no conto, aspectos morais relacionados às formas de trabalho estão intimamente conectados com os sentimentos/emoções e percepções de ser digno.


Texto completo:

PDF

Referências


ASSIS, Machado de. 50 Contos de Machado de Assis. Companhia das Letras, 2015.

CARDOSO DE OLIVEIRA, Luís Roberto. 1996. Entre o justo e o solidário: Os dilemas dos direitos de cidadania no Brasil e nos EUA. Revista Brasileira de Ciências Sociais (ANPOCS), no 31. ano 11.

______________. 2004. Honra Dignidade e Reciprocidade. Série Antropologia, 344. Brasília.

CARVALHO, José Murilo de. 2002. Cidadania no Brasil. O longo Caminho. 3a ed. Rio de

Janeiro: Civilização Brasileira.

COELHO, Maria Claudia; Rezende, Claudia Barcellos [org.]. 2011. Cultura e sentimentos: ensaios em antropologia das emoções. Rio de Janeiro: Contra Capa / FAPERJ.

ELIAS, Nobert. 2000. Os Estabelecidos e os Outsiders: sociologia das relações de poder a partir de uma pequena comunidade. Rio de Janeiro : Jorge Zahar.

______________. 1993. O Processo Civilizador – volume 2. Rio de Janeiro : Jorge Zahar Ed.

GOFFMAN, Erving. 2008. Estigma. Rio de Janeiro : LTC.

KOURY, Mauro G. P. 2009. Emoções, Sociedade e Cultura: a categoria de análise emoções como objeto de investigação na sociologia. Curitiba : Editora CRV.

MARSHALL, T. H. A. 1977. Cidadania, classe social e status. Rio de Janeiro: Zahar.

PEIRANO, Marisa. 2006. “Sem lenço, sem documento”: cidadania no Brasil. In A Teoria Vivida: e outros ensaios de antropologia. Rio de Janeiro: Jorge Zahar.

REZENDE, Cláudia B; COELHO, Maria C. 2010. Antropologia das Emoções. Editora FGV.

SANTOS, Thiago. 2014. Rios, Pontes e Outros Corpos: notas sobre a população em situação de rua no Centro do Recife. Monografia. Recife : UFPE.

______________. “Sou morador de rua, mas não sou como aquele ali não”: pessoas em situação de rua em Recife e as negociações de si mediante o estigma. Trabalho apresentado na REA/ABANE 2015, no GT Antropologia das Emoções e da Moralidade: Emoções, Lugares e Memória.

SCHEFF, Thomas J. 2011. [Tradução de Mauro Guilherme Pinheiro Koury]. A vergonha como a emoção principal da análise sociológica: Alguns exemplos nas músicas populares. (pp. 74-86). RBSE, Volume 10. Nº 28.

SHWEDER, R.; LEVINE, R. 2008.. Culture Theory – essays on mind, self and emotion. Cambridge: Cambridge SUMÁRIO EXECUTIVO: Pesquisa nacional sobre a população em situação de rua.

TYLOR, Charles. 2013. As Fontes do Self : a construção da identidade moderna. 4 ed. São Paulo : Edições Loyola.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.