Emoção e morte: dores do desejo de ser travesti no Nordeste brasileiro

Verônica Alcântara Guerra

Resumo


Este artigo é um estudo de caso sobre as dores e o desejo de assumir a travestilidade no interior de uma cidade nordestina, no seio de uma família conservadora; fruto de uma pesquisa etnográfica empreendida nos anos de 2009 e 2010, período inicial das reflexões sobre as diversas formas de empreender a travestilidade e a ressignificação das relações familiares após as travestis saírem de casa. Para tanto, o estudo de caso revisitará a trajetória de uma jovem travesti sob a luz das emoções, moralidades e o sentimento de luto diante da trágica morte de Angel, nome fictício da personagem. Estudar sobre travestilidades, em especial no Nordeste brasileiro, fala mais sobre como a sociedade negocia a moralidade do que mesmo sobre as próprias travestis que invertem e subvertem as lógicas normativas do corpo em prol da vontade de estar no mundo como se deseja.


Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Revista de Estudos e Investigações Antropológicas
AV. Prof. Moraes Rêgo, 1.235. 13° andar
Cidade Universitária
50.670-901 - Recife - PE – Brasil
reiappga@gmail.com