O empreendimento moral: valores e política na representação do empreendedorismo

Aloizio Lima Barbosa

Resumo


O ato de empreender, refletido nas narrativas das pessoas que o realizam, ao mesmo tempo em que apresenta vários tipos de significação, também é circunscrito dentro de alguns limites. Os seus limites se apresentam a partir do momento em que, ao narrar seus atos e relacioná-los a algum aspecto de suas vidas, as pessoas colocam o empreendedorismo como valor legítimo, no sentido de ser um aspecto não só desejável, mas também alcançável pelo esforço individual. O trabalho que segue tem como objetivo a reflexão, a partir de uma pesquisa sobre o sentido da ação para empreendedores, investigar as formas que esse sentido aponte para alguns elementos morais – os ensejos morais do empreendedorismo – e, dentro do referencial da sociologia pragmática francesa, apontar a relação entre o estudo da moral como momento de um estudo sobre política, ou seja, que os valores morais também são objeto de disputa e de transformação.


Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Revista de Estudos e Investigações Antropológicas
AV. Prof. Moraes Rêgo, 1.235. 13° andar
Cidade Universitária
50.670-901 - Recife - PE – Brasil
reiappga@gmail.com