Sobre a vocação católica: esboço de um modelo concêntrico de análise

Arlindo Netto

Resumo


O presente artigo, com base em dados etnográficos, apresenta e analisa o que nas ciências sociais se entende por vocação, especificamente no campo de estudos da religião. Num primeiro momento, o artigo identifica e analisa os mecanismos utilizados pela Igreja Católica para lidar com a vocação, especialmente ao que se refere ao celibato. E posteriormente, problematiza como o conceito da vocação se comporta no campo católico, e quando é utilizado em contextos etnográficos diversos. Desse modo, comparando a vocação católica, protestante e espírita, a fim de propor um modelo concêntrico de análise da vocação.

Texto completo:

PDF

Referências


ALMEIDA, L. C. (1949), “Notas para a História dos Seminários”. In: Revista Eclesiástica Brasileira. Petrópolis: Vozes, v.9, fasc. 1, p. 114-130, mar.

CAMPOS, R. B. C. (2002), “Sofrimento, misericórdia e caridade em Juazeiro do Norte: uma visão antropológica das emoções na construção da sociabilidade”. Ciência & Trópico, 30(2): 253-266.

__________. (2005), “Para Além da Dominação: carisma e modo de vida entre os Ave de Jesus”. Religião e Sociedade, vol. 25 nº1: 117-130.

____________. (2008), “Como Juazeiro do Norte se tornou a Terra da Mãe de Deus: Penitência, Ethos de Misericórdia e Identidade do Lugar”. Religião & Sociedade (Impresso), v. 28, p. 146-176.

___________. (2008), “Sobre a Docilidade do Catolicismo: uma revisão bibliográfica sobre sincretismo e anti-sincretismo”. BIB. Revista Brasileira de Informação Bibliográfica em Ciências Sociais, v. 65, p. 89-104.

___________. (2011), “O profeta, a palavra e a circulação do carisma pentecostal” in Revista de Antropologia, São Paulo, USP,v. 54 Nº 2.

___________. (2013), Quando a tristeza é bela: o sofrimento e a constituição do social e da verdade entre os Ave de Jesus – Juazeiro do Norte/CE. Recife: Ed. Universitária da UFPE.

CAMPOS, R. B. C. & GUSMÃO, E. H. (2011), “Religião em Movimento: relações entre religião e modernidade”. Campos (UFPR), v. 11, p. 65-83.

CAMPOS & REESINK. (2015), “Conversão (in)útil” in Revista Anthropológicas, UFPE.

CAMURÇA, Marcelo. (2009), “Tradicionalidade e meios de comunicação de massa: o catolicismo midiático”. In Carranza, B.; Mariz, C.; Camurça, M. (orgs.). Novas Comunidades Católicas. Aparecida, Ideias e Letras, p. 59-78.

CARRANZA, B. (2004), “Catolicismo em movimento”. Religião & Sociedade, vol.24, nº1.

_____________. (2009), “Perspectivas da neopentecostalização católica” In Carranza, B.; Mariz, C.; Camurça, M. (orgs.). Novas Comunidades Católicas. Aparecida, Ideias e Letras, p. 33-58.

_____________. (2011), Catolicismo midiático. Aparecida, SP: Ideias &Letras.

DANTAS, M. N. (2012), Mundos de letramento e agência na construção da identidade de seminaristas católicos. Tese (doutorado em Letras), Programa de Pós-Graduação em Estudos da Linguagem, Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal.

DE GROOT, C. F. G. (1996), Brazilian Catholicism and the ultramontane reform, 1850-1930. Latin American Studeis 75, Amsterdã, CEDLA.

DULLO, E. (2011), “Uma pedagogia da exemplaridade: a dádiva cristã como gratuidade” in Religião e Sociedade, Rio de Janeiro, 31(2): 105-129.

FERNANDES, Silvia Regina Alves. (2005a), “Padres cantores e a mídia: representações da identidade sacerdotal”. Ciencias Sociales y Religión, Porto Alegre - RS-Brasil, v. 7, p. 131-155, 2005.

___________. (2005b), “Padres cantores e o catolicismo - as interfaces do espetáculo e da fé”. Religião & Sociedade (Impresso), Rio de Janeiro, v. 25, n.2, p. 198-201, 2005

LEITE, Emmanuelle. (2014), Do Despertar ao Trabalhar: a produção do médium espírita kardecista em dois diferentes contextos etnográficos. Dissertação de mestrado em Antropologia, Programa de Pós Graduação em Antropologia, UFPE.

MAURICIO JUNIOR, Cleonardo. (2014), Vasos nas mãos do oleiro: a constituição do pastor pentecostal. Dissertação de mestrado em Antropologia, Programa de Pós-Graduação em Antropologia, Universidade Federal de Pernambuco, Recife.

MAUSS, M. (2008), “Uma categoria do espírito humano: a noção de pessoa, a de ‘eu’” in Sociologia e Antropologia. Tradução Paulo Neves. São Paulo: Cosac & Naify, p. 367-397.

MEDEIROS, K. & FERNANDES, S.R.A. (orgs.). (2005), O padre no Brasil - interpelações, dilemas e esperanças. São Paulo: Loyola.

NETTO, Arlindo. (2012), Seminaristas e um (quase) antropólogo: reflexões etnográficas sobre os ritos de passagem num seminário católico. Monografia, Departamento de Ciências Sociais, UFPE.

__________. (2015), “O bem maior que posso ter”: uma análise antropológica sobre a vocação católica no Brasil. Dissertação de mestrado, PPGAntropologia, UFPE.

REESINK, Mísia. (2005), “A Antropologia, os Católicos e a Noção de Deus”. Religião & Sociedade, v. 25, n. 1, p. 11-38.

___________. (2009), "Rogai por nós: a prece no catolicismo brasileiro à luz do pensamento maussiano”. Religião & Sociedade, v. 29, p. 29-57.

__________. (2010), “Reflexividade Nativa: quando a crença dialoga com a dúvida no período de Finados”. Mana (UFRJ. Impresso), v. 16, p. 151-177, 2010.

__________. (2013), “Por uma Perspectiva Concêntrica do Catolicismo Brasileiro”. Revista Anthropológicas, v. 24, p. 161-187.

SAHLINS, M. (1990), Ilhas de história. Rio de Janeiro: J. Zahar, 218 p.

SEIDL, E. (2012), “Sociologia da Vocação Religiosa: reprodução familiar e reprodução da Igreja” in Sociologias, Porto Alegre, ano 14, no 29, jan./abr, p. 240-272.

_________. (2009), “Caminhos que levam a Roma: recursos culturais e redefinições da excelência religiosa” in Horizontes Antropológicos, Porto Alegre, ano 15, n. 31, p. 263-290, jan./jun.

SERBIN, K. (2008), Padres, celibato e conflito social: uma história da Igreja católica no Brasil, tradução Laura Teixeira Motta, São Paulo: Companhia das letras.

SUAUD, C. (1978), La Vocation: conversion et reconversion des prêtres ruraux. Paris, Minuit.

_______. (2009), “As lutas religiosas do ponto de vista de uma sociologia da incorporação: O corpo sacerdotal (católico) entre doutrina e inovação”. Universidade do Porto (comunicação).

WEBER, M. (2004), Economia e sociedade: fundamentos da sociologia compreensiva, tradução de Regis Barbosa e Karen Elsabe Barbosa. Editora Universidade de Brasília: São Paulo, 586p.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.