O Encontro de Sábios/as nas memórias e identidades do povo Xukuru do Ororubá

João Luiz da Silva Vieira

Resumo


O Encontro de Sábios/as da Natureza – Longy-abaré ocorre anualmente no Território Indígena Xukuru do Ororubá com o objetivo de compartilhar os saberes com o povo, sobretudo aqueles ligados à agricultura. O trabalho descreve e interpreta as relações entre as memórias e a identidade do povo em pauta através do método da história oral, visto que as narrativas proferidas por ocasião do encontro representam as vidas dos sujeitos e suas concepções de natureza. Ao mesmo tempo, forma realizadas observações diretas em campo para registros de imagens e áudios. Os discursos observados externam a memória biocultural e a identidade coletiva dos indígenas, fortalecendo os laços que eles possuem com o seu território.


Texto completo:

PDF

Referências


ARAÚJO, André Luiz de Oliveira. 2013. Una mirada agroecológica en la pisada Xukuru do Ororubá: um presente de posibilidades. Dissertação (Maestría en Agroecologia). Sevilha: Universidad Internacional de Andalucía.

ARAÚJO, Marli Gondim de; SOUZA, Tiane Araújo de Paiva e. 2018. A sabedoria tradicional originária indígena: encontro de sábios e sábias e previsões para a agricultura Xukuru. Cadernos de Agroecologia, v. 13, n. 1: 1–6.

BRUNO, Fernanda; MARTINS, Karla Patrícia Holanda. 2008. Profetas da Natureza: ver e dizer no sertão. Intexto, vol 18 (1): 1-12.

CUNHA, Euclides. 2018 [1902]. Os sertões. Barueri: Ciranda Cultural.

DANTAS, Mariana Albuquerque. 2015. Dimensões da participação política indígena na formação do Estado Nacional brasileiro: revoltas em Pernambuco e Alagoas (1817-1848). Tese (Doutorado em História). Niterói: Universidade Federal Fluminense.

DELGADO, Lucília de Almeida Neves. 2006. História oral: memória, tempo, identidades. Belo Horizonte: Autêntica.

GRÜNEWALD, Rodrigo de Azeredo. 2005. As múltiplas incertezas do toré. IN: ______. Toré: regime encantado do índio do Nordeste. Recife: FUNDAJ, Editora Massangana, pp. 13-38.

HAESBAERT, Rogério. 1999. Identidades Territoriais. In: ROSENDAHL, Zeny; CÔRREA, Roberto Lobato (Orgs). Manifestações da cultura no espaço. Rio de Janeiro: EDUERJ, pp. 169-247.

LIMA, Clarisse Martins. 2017. Tempo e qualidade na Vila de Cimbres: uma abordagem etnográfia da (contra)mistura. R@U: revista de antropologia da UFSCAR, vol 9 (2): 87-107.

MEDEIROS, Maria do Céu. Igreja e dominação no Brasil escravista: o caso dos Oratorianos de Pernambuco 1659-1830. João Pessoa: Idea.

MELO, Constantino José Bezerra de. 2019. O ritual sagrado: a religião indígena do povo Xukuru do Ororubá (Pesqueira e Poção/PE). Tese (Doutorado em Ciências da Religião). Recife: Universidade Católica de Pernambuco.

ORDÔNIO, Iran Neves; AUTOR; MACIEL, Caio Augusto Amorim. 2019. O Coletivo Indígena Jupago Kreká na promoção da agricultura do sagrado no espaço CAXO Da Boa Vista, Pesqueira-Pe. Trabalho apresentado no IX Seminário Internacional de Geografia Agrária, Recife-PE.

ORORUBÁ FILMES. 2020. Cartas das Assembleias Xukuru do Ororubá. (https://sites.google.com/view/ororubafilmes/arquivos-para-baixar?authuser=0; acesso em: 19/08/2020).

PACHECO DE OLIVEIRA, João. 2004. A viagem de volta: etnicidade, política e reelaboração culturala no Nordeste indígena. 2ª ed. Rio de Janeiro: Contra Capa.

PACHECO DE OLIVEIRA, João. 2011. A presença indígena no Nordeste: processos de territorialização, modos de reconhecimento e regimes de memória. Rio de Janeiro: Contra Capa.

PENNESI, Karen Elizabeth. 2007. The predicament of prediction: rain prophets and meteorologists in Northeast Brazil. PhD. Dissertation. Tucson: University of Arizona.

PENNESI, Karen; SOUZA, Carla Renata Braga de. 2012. O Encontro Anual dos Profetas da Chuva em Quixadá, Ceará: a circulação de discursos na invenção de uma tradição. Horizontes Antropológicos, ano 18, vol 38: 159-186.

PINTO, Estevão. 1935. Os indígenas do Nordeste: introdução ao estudo da vida social dos indígenas do Nordeste brasileiro. São Paulo: Nacional.

PINTO, Estevão. 1938. Os indígenas do Nordeste: organização e estrutura social dos indígenas do Nordeste brasileiro. São Paulo: Nacional.

POLLAK, Michael. 1992. Memória e identidade social. Estudos Históricos. Rio de Janeiro, vol. 5(10): 200-212.

PORTO ALEGRE. 1993. Aldeias indígena e povoamento no Nordeste no final do século XVIII: aspectos demográficos da ‘Cultura de Contato’. IN: DINIZ, Eli; LOPES, José Sérgio Leite; PRANDI, Reginaldo (orgs.). Ciências Sociais Hoje, pp. 195-217. São Paulo: HUCITEC.

SAQUET, Marcos Aurelio. 2019. Saber popular, práxis territorial e contra-hegemonia. Rio de Janeiro: Consequência;

SILVA, Edson. 2007. História, memórias e identidade entre os Xukuru do Ororubá. Tellus, v. 1: 89–102.

SILVA, Edson. 2008. Xukuru: memórias e história dos índios da Serra do Ororubá (Pesqueira/PE), 1950-1988. Tese (Doutorado em História). Recife: Universidade Federal de Pernambuco.

TADDEI, Renzo Romano. 2005. Of clouds and streams, prophets and profits: the political semiotics of climate and water in the Brazilian Northeast. PhD. New York: University of Columbia.

TADDEI, Renzo Romano. 2006. Oráculos da chuva em tempos modernos: mídia, desenvolvimento econômico e as transformações na identidade social dos profetas do Sertão. IN: MARTINS, Karla Patrícia Holanda (org.). Profetas da Chuva, pp. 1-11. Fortaleza: Tempo D’Imagem.

TOLEDO, Victor M.; BARRERA-BASSOLS, Narciso. 2015. A memória biocultural: a importância ecológica das sabedorias tradicionais. São Paulo: Expressão Popular.

AUTOR. 2018. O Terreiro de Toré da Boa Vista como espaço sagrado do povo Xukuru do Ororubá, Pesqueira-PE. Monografia (Licenciatura em Geografia). Instituto Federal de Pernambuco, Recife.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.