Afirmações identitárias e estratégias de resistências entre povos indígenas habitantes no semiárido pernambucano

Thyara Freitas

Resumo


  

Este trabalho tem por objetivo analisar o histórico de diversas estratégias de resistências utilizadas pelos povos indígenas ao longo da História, a exemplo de alianças, possibilitando a desconstrução do estereótipo sobre os indígenas enquanto indivíduos passivos nos processos da colonização. Além da análise da participação política destas populações, as reivindicações de políticas públicas e as buscas das garantias por direitos civis, e as afirmações, concepções e relações identitárias étnicas, principalmente, entre os índios no Nordeste. A pesquisa realizada consistiu em dois movimentos simultâneos e integrados: I. a realização de estudos bibliográficos sobre o referido tem; II. a análise de dados demográficos, contextualizando as relações socioculturais e políticas que os índios no Nordeste vivenciam com as identidades étnicas.


Texto completo:

PDF

Referências


BARTH, Fredrik. Os grupos étnicos e suas fronteiras. In: O guru, o iniciador e outras variações antropológicas. Rio de Janeiro: Contra Capa, 2000, p. 25-68.

BODART, Cristiano; MARCHIORI, Cassiane. Memória, identidade e resistência: o desenvolvimento econômico como ameaça. In: Revista Resgate, 2011, p. 76-86.

BRASIL. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística-IBGE. Censo 1991. Disponível em: http://censo1991.ibge.gov.br/resultados [Acesso em: 20/06/2019]

BRASIL. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística-IBGE. Censo 2000. Disponível em: http://censo2000.ibge.gov.br/resultados [Acesso em: 20/06/2019]

BRASIL. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística-IBGE. Censo 2010. Disponível em: http://censo2010.ibge.gov.br/resultados [Acesso em: 20/08/2018]

BRASIL. Censo da Educação Superior 2016, Inep, 2017. Disponível em: http://portal.inep.gov.br/basica-censo-escolar-sinopse-sinopse [Acesso em: 20/08/2018]

BRASIL. Constituição da República Federativa do Brasil de 1988. Brasília, DF: Presidência da República, 2019. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/Constituicao/ Constituiçao.htm. [Acesso em: 20/06/2019]

BRASIL. Lei nº 11.654 de 15 de abril de 2008. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_Ato2007-2010/2008/Lei/L11654.htm [Acesso em: 20/06/2019]

BRUIT, Héctor Hernan. Bartolomé de Las Casas e a simulação dos vencidos. São Paulo: Editora da Unicamp e Iluminuras, 1995.

CUNHA, Euclides da. Os sertões. São Paulo: Editora Brasiliense S.A., 1985 [1902].

CUNHA, Manuela C. (Org.). História dos índios no Brasil. São Paulo: Companhia das Letras, 1992, p. 133-231.

______. Manuela C. Imagens de índios do Brasil: o século XVI. Estudos Avançados, São Paulo, 1990, p. 91-110.

______. Manuela C. (Org.). Legislação indigenista no século XIX: uma compilação: 1808-1889. São Paulo: Editora da Universidade de São Paulo, 1992.

DANTAS, Mariana Albuquerque. Dimensões da participação política indígena: Estado nacional e revoltas em Pernambuco e Alagoas (1817-1848). Niterói, RJ, UFF, 2015 (Tese Doutorado em História).

_____. Identidades indígenas no Nordeste. In: WITTMANN, Luisa Tombini (Org.). Ensino (d)e história indígena. Belo Horizonte: Autêntica Editora, 2015, p. 81-116.

FREITAS, Itamar. A experiência indígena no ensino de História. In: OLIVEIRA, Margarida M. Dias de (Coord.) História: Ensino Fundamental. Brasília: Ministério da Educação, 2010, p. 159 – 192.

_____. A experiência indígena entre os historiadores profissionais. In: MELO, Egberto; BEZERRA, Sandra (Orgs.). História local e ensino: saberes e identidades. Recife: Liceu, 2014, p. 50-85.

GÂNDAVO, Pero de Magalhães de. A primeira história do Brasil: história da província Santa Cruz a que vulgarmente chamamos Brasil. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Editor, 2004.

GOMES, Mércio P. O índio na História: o povo Tenetehara em busca da liberdade. Rio de Janeiro: Vozes, 2002.

HALBWACHS, Maurice. A memória coletiva. São Paulo: Centauro, 2004.

HALL, Stuart. A identidade cultural na Pós-Modernidade. Rio de Janeiro: DP&A Editora, 1987.

MENEGHINI, Camila; ATHIAS, R. M. Mulheres indígenas na cidade do Recife: identidade étnica e redes. Recife: UFPE, 2015 (Monografia Ciências Sociais).

MONTE, Edmundo; SILVA, Edson. Índios no Nordeste: informações sobre os povos indígenas. 2012 . Acesso em: 11/10/2018.

MONTEIRO, John M.; AZEVEDO, F. L. N. (Org.). Confronto de culturas: conquista, resistência, transformação. São Paulo: Edusp; Rio de Janeiro: Expressão e Cultura, 1997.

_____. (Org.). Raízes da América Latina. São Paulo: Edusp/Expressão e Cultura, 1996.

MONTEIRO, John M. Armas e armadilhas. In: NOVAES, Adauto. (Org.) A outra margem do Ocidente. São Paulo: Cia. das Letras, 1999, p. 237-249.

_____. Negros da terra: índios e bandeirantes nas origens de São Paulo. São Paulo: Companhia das Letras, 1994.

_____. Tupis, tapuias e historiadores: estudos de história indígena e do indigenismo. UNICAMP. Campina, 2001 (Tese Livre Docência).

MOREIRA NETO, Carlos de Araújo. A política indigenista brasileira durante o século XIX. Rio Claro, SP, 1971 (Tese Doutorado em História).

OLIVEIRA, Carlos Estevão. O ossuário da "Gruta-do-Padre" em Itaparica e algumas notícias sobre remanescentes indígenas do Nordeste. In: Boletim do Museu Nacional XIV-XVII (1938-1941), Rio de Janeiro: Imprensa Nacional, 1942, p. 151-184.

OLIVEIRA, João P. de (Org.). A viagem de volta: etnicidade, política e reelaboração cultural no Nordeste indígena. Rio de Janeiro: Contra Capa, 2004.

_____. Trama histórica e mobilizações indígenas atuais: uma antropologia dos registros numéricos no Nordeste. In: OLIVEIRA, J. P. de. (Org.). A presença indígena no Nordeste: processos de territorialização, modos de reconhecimento e regimes de memória. Rio de Janeiro: Contra Capa, 2011, p. 653-687.

_____. Pardos, mestiços ou caboclos: os índios nos censos nacionais no Brasil (1872 – 1980). Horizontes Antropológicos, 1997, p. 60-83.

_____. Uma etnologia dos "índios misturados"? Situação colonial, territorialização e fluxos culturais. Mana, Rio de Janeiro, v. 4, n. 1, p. 47-77, abr. 1998.  

OLIVEIRA, Roberto C. de. Identidade, etnia e estrutura social. São Paulo: Pioneira, 1978.

RIBEIRO, Darcy. Os índios e a civilização: a integração das populações indígenas no Brasil moderno. 4. ed. Petrópolis: Vozes, 1982 (a primeira edição brasileira foi publicada em 1970).

______. O povo brasileiro: a formação e o sentido do Brasil. 2. ed. São Paulo: Cia. das Letras, 1995.

SAMPAIO, José Augusto Laranjeiras. De caboclo a Índio: etnicidade e organização social e política entre povos indígenas contemporâneos do Nordeste do Brasil. O caso Kapinawá. Campinas, SP, Unicamp, 1986. (Dissertação Mestrado em Antropologia)

SILVA, Edson. A invenção dos índios nas narrativas sobre o Brasil. In: ANDRADE, Juliana Alves de; SILVA, Tarcísio Augusto Alves da. (Orgs.). O ensino da temática indígena: subsídios didáticos para o estudo das sociodiversidades indígenas. Recife: Edições Rascunhos, 2017, p. 37-79.

_____. A afirmação dos índios no Nordeste! In: Revista Crítica Histórica, 2011, p. 314-319.

_____. "Confundidos com a massa da população": o esbulho das terras indígenas no Nordeste no século XIX. In: Revista do Arquivo Público de Pernambuco, Recife, 1996, p.17-29.

_____. Expressões indígenas da cultura imaterial de Pernambuco. In: GUILLEN, Isabel C. M. (Org.). Tradições & traduções: a cultura imaterial em Pernambuco. Recife, Editora Universitária – UFPE, 2008, p. 215-230.

_____. História indígena em Pernambuco: para uma compreensão das mobilizações indígenas recentes a partir de leituras de fontes documentais do Século XIX. In: Revista do Instituto Arqueológico, Histórico e Geográfico Pernambucano, 2011, p. 73-114.

_____. Índios organizados, mobilizados e atuantes: história indígena em Pernambuco nos documentos do Arquivo Público. In: Revista de Estudos e Pesquisas, FUNAI, Brasília, 2006, p. 175-224.

_____. “Os caboclos” que são índios: História e resistência indígena no Nordeste. In: Portal do São Francisco – Revista do Centro de Ensino Superior do Vale do São Francisco/CESVASF. Belém de São Francisco, 2004, p. 127-137.

_____. Xukuru: memórias e história dos índios da Serra do Ororubá (Pesqueira/PE), 1950- 1988. Campinas, SP, Unicamp, 2008 (Tese Doutorado em História).

WEBER, Max. Relações comunitárias étnicas. In: Economia e sociedade: fundamentos da sociologia compreensiva. Brasília: UnB, 1991, p. 267-277.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.