A NARRATIVA DE KAMAWERI KITÍ A ORIGEM DAS DOENÇAS E DOS MALES SOCIAIS

Silvio Sanches Barreto

Resumo


O presente artigo aborda da literatura que tem tópicos amplos e complexos dos conhecimentos da categoria de especialista do Alto rio Negro. Os dois pajés foram convocados pelo Chefe da Casa de Ritual para confecção dos cocares para serem usados no dia da festa, ao período de lagartas comestíveis. A princípio houve quebra de tabus alimentares e não ouve dos conselhos, a qual, se fez surgir vários os tipos de doenças e dos males sociais que se espalharam em todo universo e, que trata-se a origem e da assepsia das frutas e dos peixes para consumo, para isto, o pajé aciona para uma eficiência simbólica para ter uma boa da saúde. Para abordagem metodológica foi uma construção de dado na escuta dos especialistas de narrar as histórias antigas, por meio de perguntas semiestruturadas e fechadas na língua indígena tukano, segundo costume local.


Texto completo:

PDF

Referências


ARHEM, Kaj; CAÑÓN, Luis; ÂNGULO, Gladys e GARCIA, Maximiliano (Compiladores). Etnografia Makuna. Tradiciones, relatos, y saberes de Gente de Agua. Acta Universitatis Gothoburgensis e Instituto Colombiano de Antropología e História – Icanh, Bogotá, 2004.

AZEVEDO, Suegu. Dagoberto L. Agenciamento do mundo pelos Kumuã Ye’pamahsa. O conjunto dos bahsese na organização do espaço Di’ta Nuhku. Manaus: EDUA, 2018. (Coleção Reflexividades Indígenas). (pp.54-89).

BAYARU, Tõrãmu (Wenceslau Sampaio Galvão) & GUAHARI Ye Ñi (Raimundo Castro Galvão), (Narradores). Livro dos antigos Desana – Guahari Diputiro Porã. ONIMRP/FOIRN. São Gabriel da Cahoeira, Am:FOIRN: Comunidade do Pato no Medio rio Papuri, 2004. Kamawerĩ Kere. História de Kamawerĩ, pp.624 a 629.

BARBOSA (Kedali), Itaiçu. Manuel M. & GARCIA (Kali), Iauareté. Adriano M. (Narradores). UPÍPERI KALÍSI. Histórias de Antigamente. Histórias dos antigos. Taliaseri-Phukurana. (Versão do clã Kabana-idakena-yanapere). Intérpretes: Pedro Garcia (Pukutha, São Gabriel da Cachoeira; Benjamim Garcia (Kali), Iauareté. UNIRVA/FOIRN, Iauareté – São Gabriel da Cachoeira, Amazonas – Brasil, 2000. Kamaweni hiwida kalísi. História das duas cabeças de Kamaweni, pp.153 a 159.

BARRETO, Silvio S. Relato de uma experiência do benzedor e da parteira sobre concepção, gestaão e nascimento da criança. Dissertação de mestrado apresentado ao Programa de Pós-graduação em Antropologia Social da Universidade Federal do Amazonas, 2019. (pp.66-69; 102-103; 119-120).

BARRETO, João Paulo L. OMERÕ: Constituição e Circulação de Conhecimentos Yepamahsã (Tukano), UFAM, NEAI, Manaus/Am, EDUA, 2018. Kamaweri, pp.42-43; Baábokasé (doenças causadas pela ingestão de alimentos), pp.86-87.

_________, João Paulo L. Waimahsã peixes e humanos. Manaus: EDUA, 2018. (Coleção Reflexividades Indígenas).

BARRETO, João Rivelino R. Formação e Transformação de Coletivos Indígenas do noroeste amazônico. Do mito à sociedade das comunidades. Manaus: EDUA, 2018. (Coleção Reflexividades Indígenas).

ELIADE, M. Mito e Realidade. Editora Perspectiva S. A. São Paulo, 1972, pp.6.19

GARNELO, Luiza. Poder, Hierarquia e reciprocidade: Saúde e harmonia entre os Baniwa do Alto Rio Negro; Parte I-Mitologia, politica, gênero e geração pp.29-104; Rio de Janeiro: Editora Fiocruz, 2003.

HUGH-JONES, S. Frabricated body: objects and ancestors in NW Amazonia. In: Santosgraneros, F. (ed.) The Occult Life of Things. Tucson: Universy of Arizona Press. 2009. (pp.33-59)

JEAN, E. Jackson. Rituales Tukano de violencia sexual. Traducción de Maritza Díaz, François Correa; Leonor Herrara. Revista Colombiana de Antropologia. Vol.28, 1990-1991, Bogotá, pp.25-52.

LEVI-STRAUSS, C. (1975). A eficácia simbólica. Rio de Janeiro: Tempo Brasileiro

_______________, C. O pensamento Selvagem. Traducão de Tania Tellegrini. Campinas, SP: Papirus, 1989.

MAIA, Gabriel S. Bahasamori. O tempo, as estações e as etiquetas sociais dos Yepamahsã (Tukano). Manaus: EDUA, 2018. (Coleção Reflexividades Indígenas). (pp. 115; 175-180)

MONTENEGRO M., Leonardo M. Resenha de Etnografia makuna. Tradiciones, relatos y saberes de la gente de agua. Tabula Rasa Revista de Humanidades – Colombia, nº 2, 327 -336, enero-diciembre de 2004.

OLIVEIRA, M. Santana de. Vida, poder e conhecimento: cuidados contemporaneos em torno do nascimento entre grupos Tukano Orientais do medio rio Tiquié, noroeste Amazonico. Pós doutoranda em Antropologia Antropologia Social (PPGAS-UFSCar). 11 (1), jan./jun. 2019: pp.35-64.

RAMIREZ, Henri. A Fala Tukano dos Ye’Pâ-Masa Tomo II Dicionário. Inspetoria Salesiana Missionária da Amazônia, CEDEM, 1997. Recife: SSL; CIPAC.

Working Papers on South American Indians. Number 3, August 1981. Food taboos in Lowland South America. Kennneth M. Kensinger and Waud H. Kracke, Editors.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.