QUALIDADE DE VIDA DE PESSOAS COM HIPERTENSÃO ARTERIAL

Victória dos Santos Laqui, Fernanda Gatez Trevisan, Rafaely de Cássia Nogueira Sanches, Anderson da Silva Rêgo, Marcelle Paiano, Cremilde Aparecida Trindade Radovanovic

Resumo


Resumo

Objetivo: avaliar a qualidade de vida de pessoas com hipertensão arterial e relaciona-la ao sexo e ao valor pressórico. Materiais e Método: estudo transversal, realizado com 191 pessoas em tratamento da hipertensão arterial, acompanhadas pela Estratégia Saúde da Família do município de Maringá, Paraná, Brasil. Os dados foram coletados no primeiro semestre de 2017, utilizando o instrumento MINICHAL – Brasil, e o Medical Outcomes Study 36 – Item Short – Form Health Survey e aplicado questionário para conhecimento do perfil sociodemográfico, econômico e estilo de vida. Foi realizada análise descritiva e inferencial para tratamento das variáveis. Resultados: a maioria dos entrevistados era idosa, com baixa escolaridade, casada e pertencia a classe econômica extrato AB. Quanto à avaliação da qualidade de vida, os entrevistados do sexo masculino apresentaram melhor avaliação em todas as dimensões analisadas em comparação com a população feminina. A maioria dos sujeitos com adequação no controle pressórico apresentou boa qualidade de vida, sendo que o estado mental, manifestações somáticas, estado de saúde geral, capacidade funcional e desempenho físico tiveram diferenças significativas. Conclusão: com o uso dos instrumentos citados foi possível observar que a maioria dos entrevistados apresentou boa qualidade de vida, de acordo com o sexo e o valor pressórico.


Palavras-chave


Resumo Objetivo: avaliar a qualidade de vida de pessoas com hipertensão arterial e relaciona-la ao sexo e ao valor pressórico. Materiais e Método: estudo transversal, realizado com 191 pessoas em tratamento da hipertensão arterial, acompanhadas pela Estra

Texto completo:

PDF (English) PDF

Referências


Rêgo AS, Laqui VS, Trevisan FG, Jaques AE, Oliveira RR, Radovanovic CAT. Fatores associados à pressão arterial inadequada de pessoas com hipertensão. Cogitare Enferm. 2018. (23)1: e54087. http://dx.doi.org/10.5380/ce.v23i1.54087

Kerber GF, Melere C. Prevalência de síndromes hipertensivas gestacionais em usuárias de um hospital no sul do Brasil. Rev Cuid. 2017; 8(3): 1899-906. http://dx.doi.org/10.15649/cuidarte.v8i3.454 3. World Health Organization (WHO). Health statistics and information systems: estimates for 2000–2012: causespecific mortality. [Internet] Geneva: WHO; 2015. http://www.who.int/gho/mortality_burden_disease/en/index.html

World Health Organization. Health statistics and information systems [Internet]. Geneva: World Health Organization; 2014. http://www.who.int/healthinfo/en/

Benjamin EJ, Blaha MJ, Chiuve SE, Cushman M, Das SR, Deo R, et al. American Heart Association Statistics Committee Stroke Statistics Subcommittee Heart disease and stroke statistics-2017 update: a report from the American Heart Association. Circulation. 2017 Mar 07;135(10): e146–e603. https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/pmid/28122885/

Barreto MS, Matsuda LM, Marcon SS. Factors associated with inadequate blood pressure control in patients of primary care. Esc. Anna Nery. [Internet] 2016;20(1) [acesso em 26 set 2016]. Disponível: http://dx.doi.org/10.5935/1414-8145.20160016.

Visentin A, Mantovani MF, Caveião C, Mendes TA, Neves AS, Hey AP. Quality of life of an institution hypertensive older women long stay. Rev Rene. 2015; 16(2):218-25. http://dx.doi.org/10.15253/2175-6783.2015000200011

World Health Organization (WHO). The World Health Organization Quality of Life Assessment (WHOQOL): position paper from the World Health Organization. Soc Sci Med 1995; 41(10):403-409. https://doi.org/10.1016/0277-9536(95)00112-K

Borges JWP, Moreira TMM, Schmitt J, Andrade DF, Barbetta PA, Souza ACC, et al. Medição da qualidade de vida em hipertensão arterial segundo a Teoria da Resposta ao Item. Rev Saúde Publica. 2017; 51:45. http://dx.doi.org/10.1590/s1518-8787.2017051006845

Brasil. Ministério da Saúde; Secretaria de Políticas de Saúde. Plano de Reorganização da Atenção à Hipertensão Arterial e ao Diabetes Mellitus. Brasília, DF, 2001.

Brasil. Ministério da Saúde; Secretaria de Políticas de Saúde. Plano de Reorganização da Atenção à Hipertensão Arterial e ao Diabetes Mellitus. Brasília, DF, 2001.

Associação Brasileira de Empresas de Pesquisa. Adoção do CCEB 2008 - Critério de Classificação Econômica Brasil. São Paulo: ABEP; 2015.

Barbosa LMM, Machado CB. Glossário de Epidemiologia e Saúde. In: Rouquayrol MZ, Gurgel M, editors. Rouquayrol: Epidemiologia & Saúde. 7ª ed. Rio de Janeiro: MedBook. 2013.

Schulz RB, Rossignoli P, Correr CJ, Fernández-Llimós F, Toni PM. Validação do mini-questionário de qualidade de vida em hipertensão arterial (MINICHAL) para o português (Brasil). Arq Bras Cardiol. 2008; 90(2):139-44. http://dx.doi.org/10.1590/S0066-782X2008000200010

Malachias MVB, Souza WKSB, Plavnik FL, Rodrigues CIS, Brandão AA, Neves MFT, et al. Sociedade Brasileira de Cardiologia. 7ª Diretriz Brasileira de Hipertensão Arterial. Arq Bras Cardiol. 2016;107(3). http://www.scielo.br/pdf/abc/v107n3s3/0066-782X-abc-107-03-s3-0067.pdf.

Conselho Nacional de Saúde (Brasil). Resolução n o 466, de 12 de dezembro de 2012. Brasília, 2012.

Radovanovic CAT, Bevilaqua CA, Molena-Fernandes CA, Marcon SS. Multi-professional intervention in adults with arterial hypertension: a randomized clinical trial. Rev Bras Enferm,. 2016;69(6):1005-11. http://dx.doi.org/10.1590/0034-7167-2016-0320

Gorgui J, Gorshkov M, Khan N, Daskalopoulou SS. Hypertension as a risk factor for ischemic stroke in women. Can J Cardiol. 2014;30(7):774-82. https://doi.org/10.1016/j.cjca.2014.01.007

Silva SSBE, Oliveira SFSB, Pierin AMG. The control of hypertension in men and women: a comparative analysis. Rev Esc Enferm USP. 2016;50(1):50-8. http://dx.doi.org/10.1590/S0080-623420160000100007

Barreto MS, Marcon SS. Patient perspectives on family participation in the treatment of hypertension. Texto Contexto Enferm, Florianópolis, 2014 Jan-Mar; 23(1): 38-46. http://www.scielo.br/pdf/tce/v23n1/pt_0104-0707-tce-23-01-00038.pdf

Nunes MG, Silva AR, Bernardino AO, Oliveira BL, Barreto Neto AC. Prevalência e fatores associados a cooperação do paciente portador de hipertensão arterial. Acta Paul Enferm. 2015; 28(4):323-30. http://dx.doi.org/10.1590/1982-0194201500055.

Onyango MJ, Kombe I, Nyamongo DS, Mwangui MA. Study to determine the prevalence and factors associated with hypertension among employees working at a call centre Nairobi Kenya. Pan Pan African Medical Journal. 2017; 27(178):1-9. http://dx.doi.org/10.11604/pamj.2017.27.178.13073

Kaliyaperumal S, Hari S, Siddela P, et al. Assessment of quality of life in hypertensive patients. J Appl Pharm Sci 2016;6:143–7. https://doi.org/10.7324/JAPS.2016.60522

Silva PCS, Fava SMCL, Machado JP, Bezerra SMMS, Gonçalves MPT, Veiga EV. Alimentação e qualidade de vida relacionada à saúde de pessoas com hipertensão arterial sistêmica. Rev Rene. 2014;15(6):1016-23. http://dx.doi.org/10.15253/rev%20rene.v15i6.3303

Saleem F, Hassali MA, Shafie AA. A cross-sectional assessment of health-related quality of life (HRQoL) among hypertensive patients in Pakistan. Health Expect. 2014;17(3):388-95. https://doi.org/10.1111/j.1369-7625.2012.00765.x

Carson TL, Hidalgo B, Ard JD, Affuso O. Dietary interventions and quality of life: a systematic review of the literature. J Nutr Educ Behav. 2014; 46(2):90-101. https://doi.org/10.1016/j.jneb.2013.09.005

Rêgo AS, Radovanovic CAT. Adherence of hypertension patients in the Brazil’s Family Health Strategy. Rev Bras Enferm. 2018;71(3):1030-7. http://dx.doi.org/10.1590/0034-7167-2017-0297

Amaral FA, Dall’agnol SM, Maganinhi CB, Freitas NAR, Kich C. Qualidade de vida dos usuários do Programa Hiperdia de uma Unidade Básica de Saúde do município de Guarapuava/PR. Revista de saúde pública do Paraná. 2017;18(1):64-71. DOI: https://doi.org/10.22421/1517-7130.2017v18n1p64

Ribeiro IJS, Boery RNO, Casotti CA, Freire IV, Boery EN. Quality of life of people with high blood pressure at the Primary Health Care. Saúde Debate, 2015; 39(105): 432-440. https://doi.org/10.1590/0103-110420151050002011

Esteves, M., Vendramini, S., Santos, M. de L., Brandão, V., Soler, Z., & Lourenção, L. (2017). Qualidade de vida de idosos hipertensos e diabéticos em um serviço ambulatorial. Medicina (Ribeirão Preto. Online), 50(1), 18-28. https://doi.org/10.11606/issn.2176-7262.v50i1p18-28




DOI: https://doi.org/10.5205/1981-8963-v13i5a238242p1327-1337-2019



Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

 

INDEXADORES E BASES BIBLIOGRÁFICAS:

 doajPeriódicoscapes

bvs elsevier nlm diadorim periodicaabec

 

cinahl citefactor cuidenplusb socolar ulrichs sumarios