Management of nursing care to the braid dead patient

Aline Lima Pestana Magalhães, Roberta Juliane Tono de Oliveira, Saulo Fabio Ramos, Milene Mendes Lobato, Neide da Silva Knihs, Elza Lima da Silva

Abstract


ABSTRACT

Objective: to understand the management of Nursing care to patients in brain death from the perspective of nurses working in the process of organ donation and transplants. Method: this is a qualitative study, based on the Data Based Theory, with 25 nurses. The data were obtained through individual semi-structured interviews and the open, axial and selective coding was used for data analysis. Results: two categories emerged from the analysis of the data: "Observing the difficulties related to the management of nursing care to the brain dead patient" and "Understanding the actions performed by the nursing team in the management of the brain dead patient's care. The limitations of physical structure and human and material resources were highlighted as difficulties. Monitoring and hemodynamic support, glycemic control and diuresis as necessary actions for the management of patient care in brain death were emphasized by the nurses. Conclusion: it is understood that the management of patient care in brain death requires understanding beyond the technical spheres, and it is necessary to demystify the meaning of organ donation for the maintenance of a new life in another person. Descriptors: Tissue and Organ Procurement; Organ Transplantation; Nursing Care; Critical Care; Brain Death; Nurse’s Role.

RESUMO

Objetivo: compreender a gerência do cuidado de enfermagem aos pacientes em morte encefálica na perspectiva de enfermeiros atuantes no processo de doação e transplantes de órgãos. Método: trata-se de estudo qualitativo, fundamentado na Teoria Fundamentada nos Dados, com 25 enfermeiras. Obtiveram-se os dados por meio de entrevistas semiestruturadas individuais e se empregou a codificação aberta, axial e seletiva para análise dos dados. Resultados: emergiram-se duas categorias a partir da análise dos dados: << Observando as dificuldades relacionadas a gerência do cuidado de enfermagem ao paciente em morte encefálica >> e << Compreendendo as ações realizadas pela equipe de enfermagem na gerência do cuidado ao paciente em morte encefálica >>. Destacaram-se como dificuldades a limitação da estrutura física, recursos humanos e materiais. Enfatizaram-se pelos enfermeiros a monitorização e o suporte hemodinâmico, controle glicêmico e de diurese como ações necessárias para a gerência do cuidado ao paciente em morte encefálica. Conclusão: compreende-se que a gerência do cuidado ao paciente em morte encefálica requer entendimento para além das esferas técnicas sendo necessária a desmistificação do significado da doação de órgãos para manutenção de uma nova vida em outro alguém. Descritores: Obtenção de Tecidos e Órgãos; Transplante de Órgãos; Cuidados de Enfermagem; Cuidados Críticos; Morte Encefálica; Papel do Profissional de Enfermagem.

RESUMEN

Objetivo: comprender la gestión del cuidado de enfermería a los pacientes en muerte encefálica en la perspectiva de enfermeros actuantes en el proceso de donación y trasplantes de órganos. Método: se trata de un estudio cualitativo, fundamentado en la Teoría Fundamentada en los Datos, con 25 enfermeras. Se obtuvieron los datos por medio de entrevistas semiestructuradas individuales y se empleó la codificación abierta, axial y selectiva para análisis de los datos. Resultados: surgieron dos categorías a partir del análisis de los datos: << Observando las dificultades relacionadas a la gestión del cuidado de enfermería al paciente en muerte encefálica >> y << Comprendiendo las acciones realizadas por el equipo de enfermería en la gestión del cuidado al paciente en muerte encefálica >>. Se destacaron como dificultades la limitación de la estructura física, recursos humanos y materiales. Se enfatizaron por los enfermeros el monitoreo y el soporte hemodinámico, control glucémico y de diuresis como acciones necesarias para la gestión del cuidado al paciente en muerte encefálica. Conclusión: se comprende que la gestión del cuidado al paciente en muerte encefálica requiere entendimiento más allá de las esferas técnicas siendo necesaria la desmitificación del significado de la donación de órganos para el mantenimiento de una nueva vida en otro. Descriptores: Obtención de Tejidos y Órganos; Trasplante de Órganos; Atención de Enfermería; Cuidados Críticos; Muerte Encefálica; Rol de la Enfermera.


Keywords


Obtenção de Tecidos e Órgãos. Transplante de órgãos. Cuidados de Enfermagem. Cuidados Crítico. Morte encefálica.

References


Freire ILS, Vasconcelos QLDAQ, Melo GSM, Torres GV, Araújo EC, Miranda FAN de. Facilitadores e barreiras na efetividade da doação de órgãos e tecidos. Texto contexto - enferm. [Internet]. 2014 Dec [cited 2016 Nov 23] ; 23(4): 925-34. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S010407072014000400925&lng=en. Doi: 10.1590/0104-07072014002350013.

BRASIL. Decreto n. 9.175, de 18 de outubro de 2017. Regulamenta a Lei n.9.434, de 4 de fereveiro de 1997, para tratar da disposição de órgãos, tecidos, células e partes do corpo humano para fins de Transplante e Tratamento. Disponível em: . Acesso em 24 de janeiro de 2018.

Brasil. Portaria n. 2.600, de 21 de outubro de 2009. Aprova o Regulamento Técnico do Sistema Nacional de Transplantes. Diário Oficial da União, Poder Executivo [Internet]. 2009 [cited 2015 Apr 06]; Available from: http://bvsms.saude.gov.br/bvs/saudelegis/gm/2009/prt2600_21_10_2009.html

Associação Brasileira de Trasnplante de Órgãos. Registro Brasileiro de Transplantes – Jan/Set de 2017 [Internet]. 2017 [cited 2018 Jan 30]; Available from: http://www.abto.org.br/abtov03/default.aspx?mn=557&c=1102

SC transplantes. Dados sobre doação e transplante 2016. Disponível em: http://sctransplantes.saude.sc.gov.br/

Freire ILS, Vasconcelos QLDAQ, Torres GV, Araújo EC, Costa IKF, Melo GSM. Estrutura, processo e resultado da doação de órgãos e tecidos para transplante. Rev. Bras. Enferm. [Internet]. 2015; 68(5): 837-45. Available from: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0034-71672015000500837&lng=en. Doi: 10.1590/0034-7167.2015680511i.

Brasil. Agência Nacional de Vigilância Sanitária (BR). Resolução nº 50, de 21 de fevereiro de 2002. Dispõe sobre o Regulamento Técnico para planejamento, programação, elaboração e avaliação de projetos físicos de estabelecimentos assistenciais de saúde [Internet]. Available from: http://bvsms.saude.gov.br/bvs/saudelegis/ anvisa/2002/res0050_21_02_2002.html

Freire ILS, Mendonça AEO, Dantas BAS, Silva MF, Gomes ATL, Torres GV. Processo de doação de órgãos e tecidos para transplante: reflexões sobre sua efetividade. J Nurs UFPE on line. 2014 Jul. [citado 2018 ]8(supl. 1):2533-8.

Treviso Patrícia, Peres Sabrina Capeletti, Silva Alessandra Dartora da, Santos Adriana Alves dos. Competências do enfermeiro na gestão do cuidado Rev. Adm. Saúde Vol. 17, Nº 69, Out. – Dez. 2017

Santos JLG, Pestana AL, Guerrero P, Meirelles BSH, Erdmann AL. Práticas de enfermeiros na gerência do cuidado em enfermagem e saúde: revisão integrativa. Rev. bras. enferm. [Internet]. 2013 Apr [cited 2018 Jan 21] ; 66( 2 ): 257-263. Available from: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0034-71672013000200016&lng=en. Doi:10.1590/S0034-71672013000200016.

Magalhães ALP. Gerenciando o cuidado de enfermagem no processo de doação e transplantes de órgãos e tecidos na perspectiva do pensamento lean. 2016. 237p. Tese [Doutorado em Enfermagem] - Florianópolis, Universidade Federal de Santa Catarina, Programa de Pós-Graduação em Enfermagem; 2016.

Strauss A, Corbin J. Pesquisa qualitativa: técnicas e procedimentos para o desenvolvimento de teoria fundamentada. 2ª ed. Porto Alegre: Artmed; 2008.

Souza BSJ, Grudka GL, Mola R. Notificação da morte encefálica em ambiente hospitalar. Rev Rene. 2015 mar-abr; 16(2):194-200. Available from: http://periodicos.ufc.br/rene/article/view/2705.Doi:10.15253/rev%20rene.v16i2.2705

Cavalcante LP, Ramos IC, Araújo MAM, Alves MDS, Braga VAB. Cuidados de enfermagem ao paciente em morte encefálica e potencial doador de órgãos. Acta paul. enferm. [Internet]. 2014 Dec; 27( 6 ): 567-572.

Pestana AL, Erdmann AL, Sousa FGM de. Emergindo a complexidade do cuidado de enfermagem ao ser em morte encefálica. Esc. Anna Nery [Internet]. 2012; 16( 4 ): 734-740.

Freire ILS, Mendonça AEO, Pontes VO, Vasconcelos QLDAQ, Torre GV.Morte encefálica e cuidados na manutenção do potencial doador de órgãos e tecidos para transplante. Rev. Eletr. Enf. 2012; 14, n4, p. 903-912, 2012.

Cassettari SSR, Mello ALSF. Demanda e tipo de atendimento realizado em unidades de pronto atendimento do município de Florianópolis, Brasil. Texto contexto - enferm. [Internet]. 2017; 26(1).

Westphal GA, Caldeira Filho M, Vieira KD, Zaclikevis VR, Bartz MCM, Wanzuita R et al . Diretrizes para manutenção de múltiplos órgãos no potencial doador adulto falecido: Parte III. Recomendações órgãos específicas. Rev. bras. ter. intensiva [Internet]. 2011 Dec [cited 2016 Nov 23] ; 23(4): 410-25.

Pessoa JLE, Schirmer J, Roza BA. Avaliação das causas de recusa familiar a doação de órgãos e tecidos. Acta paul. enferm. [Internet]. 2013 [cited 2018 Jan 21] ; 26( 4 ): 323-330. Available from: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S010321002013000400005&lng=en. http://dx.doi.org/10.1590/S0103-21002013000400005.

Fonseca, PIMN et al. Situações difíceis e seu manejo na entrevista para doação de órgãos. Revista Portuguesa de Enfermagem de Saúde Mental, Portugal, v. 4, p.69-76, out. 2016.

Bedenko RC, Nisihara R, Yokoi DS, Candido VM, Galina I, Moriguchi RM et al . Análise do conhecimento da população geral e profissionais de saúde sobre doação de órgãos após morte cardíaca. Rev. bras. ter. intensiva [Internet]. 2016 Sep [cited 2018 Oct 08]; 28(3):285-293. Available from: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0103507X2016000300285&lng=en. Epub Sep 09, 2016. Doi:10.5935/0103-507X.20160043.

Bocci, M.G. et al. Taking Care of Relationships in the Intensive Care Unit: Positive Impact on Family Consent for Organ Donation. Transplantation Proceedings, [s.l.], v. 48, n. 10, p.3245-3250, dez. 2016.




DOI: https://doi.org/10.5205/1981-8963-v13i4a238433p1124-1132-2019



 

INDEXADORES E BASES BIBLIOGRÁFICAS:

doaj

capes bvs ebesco elsevier nlm diadorim periodicaabec

 

cinahl citefactor cuidenplusb socolar ulrichs sumarios

 

Licença Creative Commons

All the contents of this journal, except where otherwise noted, is licensed under a Creative Commons Attribution License